Onda de golpes anuncia falsos programas federais para roubar dados e dinheiro de usuários

Por Amanda Ribeiro

18 de dezembro de 2023, 11h45

Auxílio cesta básica, saque social e até distribuição de aparelhos de ar-condicionado: ao longo das últimas semanas, golpistas têm tentado roubar dados e dinheiro de usuários nas redes a partir de anúncios de uma série de falsas iniciativas do governo federal. Em posts que acumulam ao menos 1,2 milhão de visualizações e milhares de compartilhamentos no Facebook, criminosos se aproveitam da proximidade do fim do ano para propagar bônus e benefícios que nunca existiram.

  • O modus operandi dos posts fraudulentos é similar: na rede social, perfis falsos propagam, em nome do Poder Executivo, links para supostos programas que garantem auxílios financeiros ou produtos vendidos a preços populares. A maior parte das publicações alcança muitas visualizações e poucos compartilhamentos, sinal de impulsionamento pago de conteúdo;
  • Os links levam a sites que imitam a identidade visual do governo federal ou de veículos jornalísticos, como o G1 ou a CNN Brasil. Alguns portais usam, inclusive, chatbots — assistentes virtuais alimentados por inteligência artificial;
  • Nas páginas fraudulentas, a depender do objetivo do golpe, o usuário tanto pode ser levado a inserir dados pessoais, como nome, CPF e email, quanto a fazer transferências financeiras para garantir o acesso ao suposto produto ou serviço.
Leia mais
Nas Redes Golpistas inventam programa de distribuição de ceia de Natal para enganar cidadãos
Nas Redes Posts enganosos inventam programa de ‘saque social’ para aplicar golpe

“Hoje ela que fez a boa. Encontrou um dinheiro no CPF não sei de onde e fez o churrasco hoje”, afirma um homem não identificado em encenação que acompanha o golpe do “saque social”. Na gravação, um casal finge ter tido acesso a um suposto benefício do governo. O link do anúncio que aparece logo abaixo leva a um chatbot que usa o logo do governo federal e solicita o pagamento de uma taxa em troca de um auxílio que nunca é entregue.

Reportagem editada do Jornal Hoje mostra o apresentador César Tralli. Manchete enganosa sugere que governo criou programa de distribuição de cestas de Natal
‘Ceia para todos’. Fraudadores usam reportagem jornalística editada para dar ares de credibilidade a programa falso de distribuição de kits de Natal (Reprodução)

Procedimento bastante similar é adotado por fraudadores que propagam o “resgate da prosperidade”, que promete o pagamento de um auxílio a cerca de 30 milhões de brasileiros. Em frente a uma lotérica, um homem mostra diversas notas de R$ 100, que diz ter conseguido resgatar após se cadastrar em um site do governo. Ao clicar no link indicado, no entanto, o usuário é direcionado a um portal não oficial que solicita dados pessoais e o pagamento de uma tarifa de R$ 50.

Também é cobrada uma “taxa popular” para o recebimento de aparelhos de ar-condicionado do programa “Brasil Climatizado”, supostamente criado pelo governo por conta da onda de calor, e de kits para a ceia de Natal na iniciativa “Ceia para Todos”. Os chatbots do golpe dessa vez roubam a identidade visual de empresas privadas que supostamente teriam feito parcerias com o Executivo e tentam dar credibilidade aos anúncios usando trechos editados de reportagens jornalísticas.

Print mostra chatbot golpista que usa logo do governo federal para roubar dados e dinheiro de usuários
Roubo de identidade. Golpistas usam logo do governo federal em chatbot para furtar dados e dinheiro de usuários (Reprodução)

Há, por fim, as fraudes que se baseiam em programas reais, mas já interrompidos. Golpistas têm compartilhado links para o “Auxílio Cesta Básica 2023”, supostamente liberado pelo governo no último mês do ano para auxiliar famílias de baixa renda. Depois de roubar informações pessoais como nome, email e CPF, os fraudadores enviam o usuário a uma página oficial do governo do Ceará de um programa que foi lançado durante a pandemia de Covid-19, mas que não está mais em vigor.

Leia mais
Explicamos Por que é tão fácil cair em golpes na internet
Investigamos Facebook permite e lucra com golpes que somam dezenas de milhões de visualizações

COMO NÃO CAIR EM GOLPES?

Com a disseminação massiva de fraudes financeiras e de roubo de dados, parece cada vez mais difícil distinguir o que é ou não verdade na internet. Aos Fatos lista abaixo algumas recomendações para ajudar a evitar conteúdos maliciosos:

  • Desconfie de tudo o que parece ser muito vantajoso e não clique ou compartilhe nenhum link de procedência desconhecida;
  • Caso entre em contato com um post que anuncie a distribuição de um auxílio ou de alguma facilidade pelo governo, procure o site oficial do Executivo para confirmar se a informação procede ou não;
  • A mesma dica vale se a publicação envolver um anúncio relacionado a uma empresa privada, como o caso do golpe de distribuição de celulares das lojas Havan: sempre consulte antes as redes sociais e o site oficial da companhia;
  • Nunca forneça dados como CPF, nome completo, email e endereço a páginas que não sejam oficiais e também não faça transferências bancárias antes de conferir a reputação de uma empresa.

Caso seja enganado por um anúncio, o consumidor deve reunir todas as provas que conseguir sobre o golpe e encaminhar para órgãos de defesa do consumidor, como o Procon e o portal consumidor.gov.br, que pertence ao governo federal.

Se o problema não for resolvido, o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) orienta que é possível também entrar com ação judicial. O processo pode ser apresentado a um Juizado Especial Cível, também conhecido como “juizado de pequenas causas”, que trata de casos de menor complexidade, e, para causas de até 20 salários mínimos, pode ser acionado sem necessidade de um advogado.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.