🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Vídeo não mostra vacinação com injeção falsa, mas seringa com agulha retrátil

Por Luiz Fernando Menezes

22 de dezembro de 2020, 12h20

É falsa a afirmação feita em posts nas redes sociais (veja aqui) de que um vídeo flagrou o momento em que a agulha de uma vacina contra a Covid-19 aplicada desaparece e que isso provaria que a imunização foi forjada. Na realidade, as imagens mostram uma vacinação em Londres com uma seringa de agulha retrátil, que entra no compartimento após a injeção do medicamento.

O vídeo acompanhado da falsa alegação vem sendo compartilhado principalmente no Facebook, onde acumulava mais de 4.500 compartilhamentos até a tarde desta terça-feira (22). As publicações foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


Um vídeo que mostra a agulha de uma seringa desaparecendo após a aplicação de uma vacina vem circulando nas redes sociais como se fosse prova de que a imunização contra a Covid-19 estaria sendo forjada. As imagens, registradas em Londres, de fato mostram o momento em que a agulha da seringa parece sumir, mas isso não é prova de uma encenação.

O vídeo foi originalmente veiculado pela BBC News no dia 16 de dezembro. Após o conteúdo passar a circular acompanhado de um falso contexto, a própria emissora emitiu uma nota explicando que o desaparecimento da agulha não evidencia nenhuma farsa da imunização. Na verdade, as injeções utilizam a tecnologia da agulha retrátil, que faz com que ela entre no compartimento após a aplicação. Veja abaixo um vídeo sobre o funcionamento dessa tecnologia:

Essa tecnologia não é nova. Em 2015, a OMS (Organização Mundial de Saúde) publicou uma nota sugerindo que esse tipo de seringa tivesse seu uso ampliado, uma vez que ela aumenta a segurança dos profissionais de saúde e impede a reutilização da agulha.

Publicações que sugerem que as campanhas de vacinação contra a Covid-19 em outros países estariam sendo forjadas circulam nas redes sociais principalmente após o Reino Unido ter aprovado o imunizante da Pfizer e da BioNTech em 8 de dezembro. Na semana passada, por exemplo, o Aos Fatos desmentiu publicações que diziam que um idoso teria tomado uma dose por cima da camiseta e que o prefeito de Londres, Sadiq Khan, teria fingido receber uma injeção que ainda estaria tampada.

A mesma peça de desinformação circulou nas redes espanholas, e foi desmentida pela equipe da Maldita. No Brasil, uma checagem semelhante foi publicada pelo Boatos.org.

Referências:

1. BBC
2. OMS
3. BBC Brasil
4. Aos Fatos (Fontes 1 e 2)


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.