Vídeo de cúpula do governo no Planalto em 8 de janeiro foi gravado após ataques golpistas

Compartilhe

Não é verdade que o ministro da Defesa e Segurança Pública, Flávio Dino (PSB), tenha sido flagrado coordenando ações que culminaram nos atos golpistas do dia 8 de janeiro, em Brasília, como fazem crer publicações que circulam nas redes. Peças desinformativas tiram de contexto trecho da transmissão da CNN Brasil sobre a chegada da cúpula do governo ao Palácio do Planalto, na noite dos ataques.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulavam mais de 8.000 curtidas no Instagram e ao menos 1.200 compartilhamentos no Facebook até a tarde desta quarta-feira (2) e circulam também no Telegram e WhatsApp, plataformas nas quais não é possível estimar o alcance (fale com a Fátima).


Selo falso

A casa do Dino caiu. Dino foi mentor do golpe! Compartilhe.

Print de publicação no Kwai mostra trecho de transmissão da CNN Brasil, com imagem da visita da cúpula do governo aos prédios após a evacuação da área no dia dos ataques e mente ao afirmar que imagens seriam de organização para atos golpistas. 

Um trecho de uma transmissão da CNN Brasil foi editado e tirado de contexto para dar a entender que o ministro da Defesa e Segurança Pública, Flávio Dino, teria sido flagrado por câmeras de monitoramento do Planalto orientando os atos golpistas que aconteceram no dia 8 de janeiro, em Brasília — o que é mentira. Segundo as publicações falsas, sob orientações de Dino, outros membros do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estariam envolvidos nos atos de vandalismo nas sedes dos Três Poderes.

Na verdade, o vídeo original se trata de uma análise da jornalista Daniela Lima, que trabalhava na CNN Brasil, sobre a visita da cúpula do governo aos prédios após a evacuação da área, que foi completamente ocupada e depredada por pessoas contrárias à eleição do presidente Lula.

As imagens usadas nas peças mentirosas, que mostram Dino gesticulando e se movimentando em um dos corredores do Palácio do Planalto, foram disponibilizadas pelo GSI (Gabinete de Segurança Institucional) após determinação de quebra de sigilo pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

O então ministro do GSI, Gonçalves Dias, pediu demissão do cargo no dia 19 de abril, mesma data em que a CNN Brasil divulgou trechos da invasão que o mostravam supostamente auxiliando e direcionando golpistas.

Apesar de todas as ações, coletivas e individuais, dos golpistas terem sido amplamente divulgadas por eles mesmos, a oposição ao governo, que comemorou o início do vandalismo, tentou culpar supostos infiltrados pela depredação.

Fake na CPMI. Com a retomada dos trabalhos da CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito), instalada a pedido da oposição para investigar os atos golpistas do dia 8 de janeiro, peças desinformativas voltaram a circular. Uma delas foi dita pelo senador Magno Malta (PL-ES) durante a reunião desta terça-feira (1º), com alegação de que um membro do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) seria o homem que quebrou o relógio raro de dom João 6º, o que Aos Fatosdesmentiu.

Outras alegações versam sobre a extremista Ana Priscila Azevedo, que Aos Fatos revelou ter intenções golpistas ao menos desde 2018. Outros políticos afirmam que Azevedo seria infiltrada da esquerda, ainda que haja diversas evidências de que a mulher não tem relação com movimentos de esquerda ou com membros do atual governo.

Referências

  1. YouTube (1 e 2)
  2. G1 (1, 2 e 3)
  3. CNN Brasil
  4. Aos Fatos (1, 2, 3, 4 e 5)

Compartilhe

Leia também

falsoÉ montagem foto que mostra Kamala Harris ao lado de Jeffrey Epstein

É montagem foto que mostra Kamala Harris ao lado de Jeffrey Epstein

Brechas de plataformas permitem exploração de crianças, denunciam moderadores

Brechas de plataformas permitem exploração de crianças, denunciam moderadores

falsoÉ falso que Kamala Harris seja inelegível por ser filha de imigrantes

É falso que Kamala Harris seja inelegível por ser filha de imigrantes