Ferramenta do TikTok gera tendência de vídeos com áudios manipulados contra políticos

Compartilhe

Criada para auxiliar usuários a reproduzirem tendências virais, como memes e coreografias, a ferramenta de inserção de áudios do TikTok tem sido usada para criar conteúdos desinformativos e atacar políticos nas redes. O Aos Fatos identificou que 4.794 vídeos de situações diversas usam um mesmo áudio em que pessoas gritam palavras de ordem contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O objetivo é dar a entender que o petista tem sido hostilizado em eventos recentes, o que é falso.

  • A reportagem analisou uma amostra dos 100 vídeos mais virais entre os 4.794 posts que usavam o áudio inserido; desses, 33 eram desinformativos;
  • Esses posts somam mais de 15,4 milhões de visualizações;
  • Entre os 10 posts mais virais da amostra, 7 são desinformativos e somam, juntos, cerca de 13,1 milhões de visualizações;
  • Desde janeiro do ano passado, o Aos Fatos desmentiu mais de 20 montagens que usavam áudios inseridos para desinformar.
Leia mais
Nas Redes Lula não foi hostilizado em evento do Minha Casa, Minha Vida no Nordeste

Os vídeos desinformativos mais virais da amostra analisada inseriram o áudio com vaias e gritos de “Lula, ladrão” sobre imagens que mostram aparições públicas do presidente. Exemplo disso são dois posts — já desmentidos pelo Aos Fatos — que afirmam que o petista teria sido hostilizado em eventos do programa Minha Casa, Minha Vida no Nordeste e no Sul. Juntos, os 14 vídeos que adotam essa estratégia somam 9,3 milhões de visualizações.

A ferramenta de inserção de áudio também foi usada para inflar a participação do público em atos de apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Em dez vídeos da amostra analisada pelo Aos Fatos, o áudio com palavras de ordem contra Lula foi sobreposto à gravação original das manifestações para amplificar o coro da oposição. Juntos, esses conteúdos enganosos somam 4,9 milhões de visualizações.

Conjunto de prints que mostram manifestações contrárias ao Lula (PT) e favoráveis ao Jair Bolsonaro (PL) que tiveram áudio sobreposto ao som original do protesto.
Apoio inflado. Usuários inserem áudio com ataques contra Lula para amplificar coro da oposição em atos pró-Bolsonaro (Reprodução)

Mesmo usando ferramentas de busca reversa, a reportagem não conseguiu identificar de qual vídeo foi originalmente extraído o áudio usado pelos posts enganosos. Além de o perfil apontado como o responsável por publicar o conteúdo pela primeira vez possuir restrições de acesso, é possível que elementos como a tonalidade do áudio tenham sido alterados por funcionalidades disponíveis em aplicativos de edição de som e do próprio TikTok.

Contatado, o TikTok informou que “os conteúdos mencionados foram removidos por se tratarem de mídia manipulada enganosa”. “O algoritmo não prioriza determinado conteúdo. Ele os entrega de acordo com os interesses das pessoas”, disse a empresa (leia a íntegra).

Produção em série

Três das quatro peças de desinformação mais populares que usam o áudio inserido contra Lula foram criadas por um mesmo perfil, que tem em sua descrição palavras de apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro. Juntos, os três vídeos — que sugerem que o petista teria sido vaiado em eventos dentro e fora do Brasil — somam cerca de 7,8 milhões de visualizações.

Print de perfil que hospeda dezenas de vídeos com áudios manipulados para atacar Lula
Padrão de desinformação. Perfil no TikTok hospeda dezenas de vídeos que usam áudios manipulados para atacar Lula (Reprodução)

A conta também se apropriou de outro áudio com ofensas a Lula para produzir publicações enganosas. O Aos Fatos identificou cinco montagens que usam inserções com palavras de ordem sobre gravações de eventos oficiais ou aparições públicas do petista. Esses posts somam cerca de 710 mil visualizações.

Contatado pelo Aos Fatos, o TikTok não respondeu os questionamentos sobre o perfil. Na tarde da última quinta-feira (27), no entanto, a reportagem constatou que a conta foi removida pela plataforma.

Leia mais
BIPE Vídeos com mentiras sobre a transposição do São Francisco viram trend de TikTok

Potencial para desinformação

Ainda que a prática de tirar gravações de contexto não seja novidade, características próprias do TikTok, como a ferramenta de edição, têm facilitado a vida de usuários que compartilham desinformação:

  • Desde janeiro de 2022, o Aos Fatos desmentiu 24 publicações enganosas que usavam áudios inseridos; dessas, 21 circularam originalmente em plataformas de vídeos curtos;
  • O TikTok também não fornece dados públicos sobre seus conteúdos ou sistema de recomendação;
  • Mesmo informações simples, como data e hora da publicação, não aparecem automaticamente para os usuários. Para descobrir, é preciso realizar uma série de passos dentro do aplicativo;
  • Como mostrou o Media Manipulation Handbook, outros elementos também aumentam o potencial desinformativo da rede social, como a possibilidade de uso de efeitos de som, iluminação e alteração de imagem que podem alterar o contexto de uma publicação.

Print da página áudio original mostra o total de 4.794 posts que usaram o áudio com vaias e gritos de Lula, ladrão. Na parte inferior da tela, botão incentiva usuários a utilizarem o áudio desinformativo.
‘Use esse áudio.’ Em página que lista vídeos com mesmo áudio que hostiliza Lula, ferramenta do TikTok permite que usuários reproduzam em novos posts (Reprodução)


Este texto foi atualizado às 16h42 de 28 de julho de 2023 para incluir o posicionamento do TikTok.

Referências

  1. Aos Fatos (1, 2, 3, 4 e 5)
  2. The Media Manipulation Handbook

Compartilhe

Leia também

Como impedir que a Meta use seus dados para alimentar modelos de IA

Como impedir que a Meta use seus dados para alimentar modelos de IA

Formato PDF dificulta a análise de grandes volumes de dados e ainda pode esconder ameaças

Formato PDF dificulta a análise de grandes volumes de dados e ainda pode esconder ameaças

Como criminosos camuflam conteúdos maliciosos para enganar o Google

Como criminosos camuflam conteúdos maliciosos para enganar o Google