🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Posts compartilham imagens de dinheiro apreendido em Sergipe como se fossem do Maranhão

Por Marco Faustino

5 de março de 2021, 17h54

Não foram registradas na cidade de Imperatriz (MA) imagens de malas com dinheiro supostamente apreendidas durante uma operação da PF (Polícia Federal) para investigar fraudes em licitações, como alegam postagens nas redes sociais (veja aqui). De fato, as fotografias e o vídeo que circulam nas redes sociais retratam uma operação da PF no mesmo dia, mas no estado de Sergipe, numa ação que teve como alvo um site de apostas esportivas. Questionada pelo Aos Fatos, a PF do Maranhão desmentiu as alegações.

Posts contendo as imagens tiradas de contexto reuniam ao menos 2.500 compartilhamentos no Facebook nesta sexta-feira (5) e foram marcados com o selo DISTORCIDO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


Casa da secretaria de saúde do Maranhão

Postagens nas redes sociais enganam ao compartilhar imagens da operação Distração, conduzida pela PF (Polícia Federal) em quatro cidades de Sergipe na quarta-feira (3), como se fossem da operação Recôndito, realizada em Imperatriz, no Maranhão, no mesmo dia. As peças de desinformação usam as imagens fora de contexto para afirmar que malas repletas de dinheiro teriam sido encontradas na casa da secretária de Saúde do município maranhense.

A operação Recôndito, feita em Imperatriz, tinha como objetivo apurar supostas fraudes em procedimentos licitatórios e sobrepreço em contratos públicos firmados pela Secretaria Municipal de Saúde da cidade em 2020, com o uso de recursos públicos federais destinados ao combate à Covid-19. Por telefone, ao Aos Fatos, o órgão federal esclareceu que não houve apreensão de qualquer quantia em espécie durante as diligências.

Em nota sobre a investigação, a prefeitura de Imperatriz diz que, “dentro do caráter emergencial imposto pela pandemia, procurou-se fazer tudo, absolutamente tudo, pelos parâmetros legais, mas é possível que um ou outro fornecedor possa ter falhado, deliberadamente ou não, no fornecimento de documento”.

Sergipe. Já a operação Distração, em Sergipe, tinha como objetivo apurar uma suposta exploração de jogos de azar, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa envolvendo um site de apostas e seus proprietários. A investigação teve início em 2019 e conta com a participação da Receita Federal. Foram apreendidas malas de dinheiro em espécie e carros na ação realizada nas cidades sergipanas de Aracaju, Itabaiana, São Cristóvão e Lagarto.

Essa peça de desinformação também foi checada pela Agência Lupa e pelo Boatos.org.

Referências:

1. Governo Federal (Fontes 1 e 2)
2. Prefeitura de Imperatriz
3. UOL
4. Agência Lupa
5. Boatos.org

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.