Nunes Marques não é relator de pedido de impeachment de Moraes; posts distorcem fatos

Compartilhe

O título de uma notícia de abril circula em posts nas redes sociais fora de contexto para fazer crer que o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Nunes Marques é relator do pedido de impeachment do colega Alexandre de Moraes protocolado pelo presidente Jair Bolsonaro na semana passada (veja aqui). Na verdade, o magistrado relatou, e negou, uma ação para obrigar o Senado a dar andamento a uma outra denúncia contra o ministro.

A postagem enganosa conta com ao menos 1.100 compartilhamentos no Facebook nesta quarta-feira (25) e foi sinalizada como desinformação na ferramenta de verificação da plataforma (saiba como funciona).


O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Nunes Marques não foi sorteado relator do pedido de impeachment protocolado pelo presidente Jair Bolsonaro no Senado na semana passada contra o também ministro da corte Alexandre de Moraes. Postagens nas redes sociais que fazem essa associação trazem apenas o enunciado de uma notícia de abril, sem o devido contexto. Na época, o magistrado relatou, e negou, uma ação que visava obrigar a casa legislativa a analisar uma outra denúncia que havia sido protocolada.

Não cabe a ministros do STF relatar pedidos de impeachment dos seus colegas: isso é uma prerrogativa dos senadores, conforme o artigo 52 da Constituição Federal. Em abril, o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) pediu, em um mandado de segurança, que o STF obrigasse o Senado a analisar um pedido de impeachment de Alexandre de Moraes protocolado por ele em março em reação à prisão do deputado Daniel Silveira (PTB-RJ). Nunes Marques foi sorteado relator desta ação.

O mandado de segurança foi rejeitado pelo ministro poucos dias depois. Na decisão, publicada em 15 de abril, Marques disse que não cabia ao Judiciário “emitir pronunciamentos para acelerar ou retardar o procedimento” e que apenas o Poder Legislativo poderia dirigir o processo de afastamento do ministro do STF.

O pedido protocolado por Bolsonaro acusa o ministro Alexandre de Moraes de crime de responsabilidade e destaca interferência na liberdade de expressão. Assim como o pedido de Kajuru, ele não tem prazo para análise do Senado. O presidente da Casa, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que pediu à Advocacia do Senado um parecer sobre a petição de Bolsonaro .

Compartilhe

Leia também

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

falsoIdosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

Idosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

falsoLula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores

Lula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores