É falso que vídeo mostra destruição de celulares confiscados pelo Talibã no Afeganistão

Por Marco Faustino

28 de janeiro de 2022, 17h22

Não é verdade que um vídeo em que policiais destroem celulares e outros equipamentos eletrônicos mostre o resultado de um confisco de aparelhos ordenado pelo Talibã no Afeganistão, como alegam nas redes (veja aqui). A gravação foi feita em Karachi, no Paquistão, em dezembro, e os produtos eram falsificados ou haviam sido contrabandeados.

Publicações com o conteúdo enganoso somavam ao menos 8.200 compartilhamentos no Facebook nesta sexta-feira (28).


Selo falso

Os telefones celulares agora são proibidos no Afeganistão. Todos enviaram voluntariamente seus telefones ao governo afegão. Qualquer pessoa encontrada com telefone celular enfrentará pena de morte, diz a nova lei

Policiais destroem celulares no Paquistão

Um vídeo em que policiais destroem celulares circula nas redes sociais como se fosse no Afeganistão, após a sanção de uma nova lei que pune com pena de morte quem tiver celular, o que é falso. O registro foi feito no Paquistão em dezembro de 2021 e mostra a inutilização de aparelhos eletrônicos falsificados ou contrabandeados.

Por meio de busca reversa, é possível encontrar as imagens publicadas nas redes sociais (confira aqui e aqui) e por veículos locais (confira aqui, aqui, aqui e aqui). A ação ocorreu em 29 dezembro de 2021 para destruir produtos falsificados, contrabandeados e vencidos que foram apreendidos, além de drogas. Mais de 39 mil celulares foram destruídos.

Aos Fatos verificou, em um frame do vídeo (confira abaixo), que os homens usavam uniformes com a bandeira do Paquistão e o emblema usado pela força aduaneira no país.

Bandeira do Paquistão no uniforme de um policial
Evidências. Bandeira do Paquistão e o emblema da força aduaneira do país no uniforme aparecem no vídeo

As postagens dizem que uma lei proibiu o uso de telefones celulares no Afeganistão, e que cidadãos enfrentariam a pena de morte caso possuíssem um aparelho. Porém, em consulta ao site do Ministério da Justiça do Afeganistão e em mecanismos de busca, Aos Fatos não localizou qualquer informação de que tal lei tenha sido promulgada.

Há relatos, entretanto, de ameaças feitas por membros do Talibã — que tomou o poder no Afeganistão em agosto de 2021 — contra mulheres que usam celulares, além de proibições extraoficiais aos aparelhos em algumas províncias (confira aqui e aqui). O Ministério da Informação e Cultura do país, entretanto, negou em setembro a existência de restrições ao uso de celulares.

Após a ascensão do Talibã ao poder, Aos Fatos verificou ser falso que o grupo extremista tenha condenado à morte 229 missionários cristãos, e que uma foto de mulheres com o véu islâmico não foi registrada no Afeganistão, e sim no Reino Unido.

Esta peça de desinformação também circulou na Índia, na Líbia e na Nigéria, tendo sido verificada por India Today, Factly, An-Nahar e AFP.

Referências:

1. YouTube (Fontes 1, 2, 3, 4, 5,
2. Facebook (Fontes 1, 2, 3,
3. Vice
4. The News International
5. Ministério da Justiça do Afeganistão
6. Folha de S.Paulo
7. Gandhara
8. ADN
9. Tolo News
10. Aos Fatos (Fontes 1 e 2)


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.