Posts reciclam boato ao alegar que Talibã condenou à morte 229 missionários cristãos

Por Marco Faustino

23 de agosto de 2021, 13h47

Postagens nas redes reciclam um boato antigo ao alegar que 229 missionários cristãos foram condenados à morte no Afeganistão após o Talibã retomar o poder (veja aqui). Esta informação falsa surgiu na internet em 2009 ao distorcer fatos sobre um sequestro de 23 missionários da Coreia do Sul pelo grupo extremista islâmico em 2007. Em 2017, ela voltou a circular com menção a 229 capturados. Aos Fatos não localizou registros de que cristãos tenham sido condenados ou raptados no país recentemente.

Os pedidos de checagem deste conteúdo foram enviados por leitores ao Aos Fatos pelo WhatsApp (Fale com a Fátima). Devido à natureza da plataforma, não é possível estimar o alcance do conteúdo. Postagens enganosas também somavam ao menos 3.841 compartilhamentos no Facebook nesta segunda-feira (23) e foram sinalizadas como FALSO na ferramenta de verificação da plataforma (veja como funciona).


Hoje, infelizmente, confirmaram a triste e terrível notícia que 229 missionários cristãos foram condenados à morte amanhã à tarde pelos islâmicos afegãos. Por favor, transmitam esta mensagem o mais rápido possível para que muitas pessoas possam orar. A mensagem foi enviada por JUDITH CARMONA, o missionário de Chihuahua que está na África. O grupo radical islâmico também acaba de tomar Quaragosh, a maior cidade cristã do Iraque

Não há registros de que, após retomar o poder no Afeganistão, o Talibã tenha sentenciado à morte 229 missionários cristãos que atuavam no país, como alegam os posts checados. Este texto, na realidade, surgiu na internet em 2009 a partir da distorção de fatos sobre um sequestro de 23 sul-coreanos pelo grupo extremista em 2007. Cerca de uma década depois, em 2017, a peça de desinformação voltou a circular com menção a 229 capturados. É esta a versão que voltou à tona nas redes sociais como se fosse recente.

O primeiro registro deste boato é do início de 2009 em uma corrente de email que pedia orações para as famílias de missionários que seriam executados no Afeganistão. Como verificou na época o site de checagens americano Snopes, o texto era baseado em informações distorcidas sobre o sequestro de 23 missionários sul-coreanos pelo Talibã em 2007. O episódio resultou na morte de duas pessoas e na liberação das outras 21 mediante pagamento de um resgate de US$ 20 milhões.

Em 2017, o mesmo texto voltou a ganhar as redes sociais, mas aumentando o número de missionários de 22 para 229. Além disso, as informações passaram a ser atribuídas a Judith Carmona, que seria um missionário mexicano na África e cuja identidade não foi confirmada. Em 2019, o conteúdo enganoso foi checado novamente, desta vez pela AFP.

Aos Fatos não encontrou qualquer informação recente sobre a condenação à morte de 229 missionários cristãos pelo Talibã. Tampouco há evidências de que Qaraqosh, no Iraque, foi tomada recentemente por grupos radicais. Após a expulsão do Estado Islâmico, em 2016, a cidade, com população de cristãos assírios, passa por processo de reconstrução e Aos Fatos não encontrou registros recentes de invasões.

A peça de desinformação também foi checada em outros países pelo Africa Check, La Republica, RTVE, PolitiFact, e NewsMeter.

Referências:

1. Snopes
2. The Guardian
3. Estadão
4. ACI Prensa
5. AFP
6. France 24

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.