É falso que SP e RS cobram 44% de ICMS sobre a gasolina

Compartilhe

Não é verdade que a alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre a gasolina seja de 44% em São Paulo e no Rio Grande do Sul e que, sem o tributo, o combustível custaria R$ 3,44 nos dois estados, como alegam postagens (veja aqui e aqui). As alíquotas são de 25% e 30%, respectivamente. Se o imposto fosse zerado, um litro que hoje custa R$ 6 valeria R$ 4,50 nos postos paulistas e R$ 4,20 nos gaúchos.

Postagens com o conteúdo enganoso reuniam ao menos 90.808 compartilhamentos no Facebook até a tarde desta sexta-feira (30) e foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da plataforma ‌(‌saiba‌ ‌como‌ ‌funciona‌).


Postagens nas redes enganam ao compartilhar uma imagem que afirma que o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) na gasolina em São Paulo é de 44%, e que, sem esse imposto, o litro que hoje vale R$ 6 sairia por R$ 3,44. A alíquota sobre o combustível é de 25% no estado, segundo a Fecombustíveis (Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e Lubrificantes).

Este percentual não é aplicado diretamente no preço pago nas bombas, mas sobre o PMPF (Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final), uma média dos valores cobrados pelo produto em postos dos estados. Considerando o valor médio de R$ 6, o litro da gasolina sem o imposto estadual seria de R$ 4,50 para motoristas paulistas.

O governo federal recolhe atualmente três tributos sobre a gasolina: Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico), Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) e PIS (Programa de Integração Social). Eles representam R$ 0,6869 (11,7%) do preço da gasolina ao consumidor, segundo a Fecombustíveis. Portanto, sem qualquer tributação de estados e União, o valor seria de R$ 3,82 em SP, não R$ 3,44.

O percentual de 44% citado nas postagem checada é referente à soma de tributos estaduais e federais, em novembro de 2019, conforme divulgado pelo site AutoPapo, do UOL. A postagem publicada pela ONG Farol da Liberdade cita a reportagem antiga como se os dados fossem atuais. Hoje, no entanto, o peso dos impostos estaduais e federais representa, em média, 39% do preço da gasolina comum, segundo a Petrobras.

Em nota, o site AutoPapo diz lamentar que as informações publicadas na reportagem estejam sendo usadas de maneira descontextualizada. Procurada, a ONG Farol da Liberdade não respondeu.


A imagem que traz os valores incorretos de impostos sobre o preço da gasolina em São Paulo também circula nas redes sociais em uma versão gaúcha, que alega que o governador Eduardo Leite (PSDB) recolheria 44% de ICMS sobre o combustível. Isso não é verdade, pois a alíquota no Rio Grande do Sul é de 30%, segundo a Fecombustíveis.

Considerando R$ 6 de PMPF, o litro da gasolina sem o imposto estadual custaria R$ 4,20 no estado, não R$ 3,44. Retirando ainda os três tributos federais (11,7% do valor final ou R$ 0,6869), o preço do combustível baixaria para R$ 3,52.

Em checagem anterior, Aos Fatos verificou que não houve aumento do ICMS sobre a gasolina no Rio Grande do Sul. Na época, publicações enganavam ao difundir que a alíquota no estado seria de 46%

Compartilhe

Leia também

falsoVídeo é editado para fazer crer que família Bolsonaro apoia pré-candidatura de Pablo Marçal

Vídeo é editado para fazer crer que família Bolsonaro apoia pré-candidatura de Pablo Marçal

falsoPosts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Posts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Pré-candidato, Marçal oferece prêmio a seguidores e especialistas veem infração eleitoral

Pré-candidato, Marçal oferece prêmio a seguidores e especialistas veem infração eleitoral