🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

É falso que Manuela D’Ávila disse que não acredita em Deus e que feriados cristãos a prejudicam

Por Luiz Fernando Menezes

11 de novembro de 2020, 15h39

Não é verdade que a candidata à Prefeitura de Porto Alegre pelo PCdoB, Manuela D’Ávila, tenha dito que feriados cristãos “prejudicam quem não acredita em Deus, como eu” (veja aqui). Em busca nas redes e em registros na imprensa, o Aos Fatos não encontrou nenhuma declaração semelhante dada pela ex-deputada. Em entrevista à IstoÉ em 2018, ao responder a uma pergunta sobre o ensino religioso em escolas públicas, a candidata se apresentou como cristã.

A imagem com a falsa declaração acumula mais de 3.000 compartilhamentos no Facebook nesta quarta-feira (11), onde foi marcada com o selo FALSO na ferramenta de verificação (veja como funciona).


FALSO

Uma falsa declaração em que Manuela D’Ávila, candidata à Prefeitura de Porto Alegre, teria dito ser contra feriados cristãos por não acreditar em Deus vem circulando na internet desde a semana passada. O Aos Fatos, no entanto, não encontrou nenhum registro de frase semelhante dita pela ex-deputada em pesquisa na imprensa e nas redes sociais de D’Ávila (Facebook, Twitter e Instagram).

As publicações parecem ser uma nova versão de uma peça de desinformação que circulou nas redes sociais durante a campanha de 2018, quando D’Ávila foi candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT). À época, um vídeo editado passou a ser compartilhado para sugerir que ela teria dito: “Um dia do nosso calendário útil. Acaba que isso prejudica e faz com que brasileiros que não são cristãos, como eu, sejam penalizados. Não é certo". Na ocasião, a peça de desinformação foi desmentida pelo Fato ou Fake e pelo Boatos.org.

Na fala original, D’Ávila criticava a falta de laicidade no Brasil ao ser questionada, em sabatina feita pela revista Istoé, sobre ensino religioso nas escolas públicas: “Pega um estudante brasileiro de religião afro, ele não tem liberação de nenhum dos seus rituais. Os católicos ou cristãos, como eu, todos os domingos são liberados. Os metodistas, que têm um tempo específico, um determinado turno de um dia do nosso calendário útil. Acaba que isso prejudica e faz com que brasileiros que não são cristãos como eu sejam penalizados. Não é certo".

Diferentemente do que a peça de desinformação afirma, portanto, D’Ávila, não disse que não acredita em Deus nem mencionou feriados. Como pode ser visto na fala acima e em diversas outras ocasiões (aqui, aqui e aqui), a candidata se declara cristã.

Aos Fatos entrou em contato com a assessoria da candidata no começo da tarde desta quarta-feira (11) para que ela pudesse comentar a desinformação, mas, até a publicação desta checagem, não houve resposta.

Referências:

1. Facebook (Manuela D'Ávila 1 e 2)
2. Twitter (@ManuelaDavila 1 e 2)
3. Instagram (@manueladavila)
4. IstoÉ

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.