É falso que Lula não deixou flores em visita ao Museu do Holocausto em Israel

Por Luiz Fernando Menezes

31 de janeiro de 2022, 17h18

Não é verdade que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deixou de depositar flores no Museu do Holocausto quando visitou Israel, como afirma um homem que aparece em um vídeo compartilhado nas redes sociais (veja aqui). O petista levou uma coroa de flores e acendeu uma chama no local em março de 2010, quando era presidente da República. O gesto foi registrado pela imprensa brasileira e pela TV pública NBR.

Publicações com o conteúdo enganoso somavam ao menos 43 mil compartilhamentos no Facebook nesta segunda-feira (31).


Selo falso

Homem diz que Lula não levou flores ao Museu do Holocausto

Postagens que circulam nas redes sociais enganam ao afirmar que o ex-presidente Lula é considerado “persona non grata” em Israel por não ter depositado flores no Museu do Holocausto, em Jerusalém. Vídeos publicados pela imprensa e pelo próprio petista mostram que Lula visitou o local em 16 de março de 2010, deixou uma coroa de flores e acendeu uma chama em homenagem às vítimas do genocídio.

A assessoria do ex-presidente classificou a publicação como mentirosa e enviou um link do portal G1 sobre a visita do petista ao Museu do Holocausto, que também mostra a coroa de flores entregue em homenagem às vítimas. Aos Fatos também não encontrou nenhum indício de que Lula tenha se tornado “persona non grata” — termo diplomático para quem não tem o visto aceito em um país — em Israel.

É verdadeira, entretanto, a afirmação feita pelo homem no vídeo de que Lula deixou flores no túmulo do líder palestino Yasser Arafat, em Ramallah, na Palestina, dias depois da visita a Jerusalém. Segundo o governo, a visita demonstrava a disposição do Brasil de conversar com ambas as partes do conflito entre palestinos e israelenses.

Um dia antes da visita de Lula ao museu, o ministro das Relações Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, boicotou o discurso do então presidente brasileiro ao parlamento israelense. O ato foi um protesto pelo fato de Lula não ter visitado o túmulo de Theodor Herzl, fundador do movimento sionista. De acordo com a assessoria do ex-presidente, Lula não foi ao local porque não era a praxe das viagens oficiais de chefes de Estado.

Origem. O vídeo que vem sendo compartilhado nas redes sociais foi publicado originalmente em 2018 pelo canal Questione-se e o homem que aparece no vídeo é o guia turístico Zvi Harpaz. Na época, o Boatos.org desmentiu a publicação, que voltou a circular no Facebook na última semana. Em email enviado ao Aos Fatos, o canal afirmou que o guia se confundiu e disse ter se corrigido em vídeos posteriores.

Aos Fatos também entrou em contato com Harpaz, mas não obteve retorno.

Referências:

1. R7
2. Facebook (Lula)
3. G1 (1 e 2)
4. Youtube (Planalto)
5. BBC Brasil
6. EBC


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.