É falsa declaração com críticas a evangélicos atribuída a Marieta Severo

Por Priscila Pacheco

6 de outubro de 2021, 16h04

A atriz Marieta Severo não disse que "as bancadas evangélicas, muito retrógradas, têm crescido no Brasil", que "cada um tem o direito de exercer sua religiosidade e sua crença, mas que fiquem nos templos" ou "eu não quero ser legislada por evangélicos". Com esses trechos, uma citação destacada em posts nas redes sociais (veja aqui) falseia e distorce respostas dadas pela artista em uma entrevista ao jornal O Globo em 2015.

Este conteúdo enganoso acumulava ao menos 25.200 compartilhamentos em publicações no Facebook nesta quarta-feira (6).


A declaração que as postagens checadas atribuem à atriz Marieta Severo é uma mistura de falas inventadas com trechos distorcidos e fora de contexto de respostas dadas por ela em entrevista ao jornal O Globo em 19 de maio de 2015.

À publicação, a artista fez críticas ao que classificou de "conservadorismo religioso com representação política", mas não citou a expressão "bancada evangélica", chamou esse grupo de parlamentares de retrógrado ou disse que se sentia desafiada.

Marieta Severo também não afirmou que o segmento religioso "é um retrocesso para uma geração como a minha, que lutou muito pela liberdade e pela democracia". Ao responder que era contra a redução da maioridade penal, a atriz disse:

"Sou contra muita coisa que está em evidência e que, para a minha geração, é chocante. Há um retrocesso que nunca imaginei. Sou da década de 1960, do feminismo, da liberdade sexual, das igualdades todas. Quando você tem essas conquistas, a tendência é achar que elas estão conquistadas dali para a frente. Quando volta esse moralismo, e esse mundo religioso começa a ditar as regras, é muito assustador."

Também há distorção no trecho "cada um tem o direito de exercer sua religiosidade e sua crença, mas que fiquem nos templos. Eu não quero ser legislada por evangélicos. Nem por religião nenhuma". Na realidade, ao responder se considerava que houve retrocesso nas conquistas das mulheres, ela afirmou:

"Há espaços da mulher que foram conquistados e são sólidos. Mas há outros em que a gente não consegue ir adiante, como o aborto, que é um direito. E por quê? Por causa desse conservadorismo religioso com representação política. Não tenho nada contra religião. Sou a favor de todas, mas não exerço nenhuma. Só não quero uma religião legislando a minha vida."

Ao Aos Fatos, a assessoria de Marieta Severo também desmentiu a veracidade do post.

Esta peça de desinformação circula nas redes sociais desde 2015, tendo surgido logo após a entrevista da atriz ao jornal carioca.

Referências:

1. O Globo


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos do Facebook. Veja aqui como funciona a parceria.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.