Poster do agregador

27.nov.2019

“Dei carta branca aos ministros. ”

A declaração é FALSA, porque ao menos em dois momentos o presidente barrou nomeações feitas por seus ministros. A primeira ocorreu em fevereiro de 2019, quando Boslonaro pressionou o ministro Sergio Moro para que ele revogasse a nomeação de Ilona Szabó para a suplência do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária. Segundo a Folha de S.Paulo, apoiadores do presidente nas redes sociais criticaram a escolha, e Bolsonaro pressionou Moro a voltar atrás. O outro caso ocorreu no MEC em março, quando o presidente impôs a demissão do então diretor de Programas da Secretaria-Executiva do MEC (Ministério da Educação), Ricardo Wagner Roquetti. A ordem foi motivada por pressão de uma ala do governo que acusou o diretor de ser responsável pela crise causada pelo pedido do MEC para que crianças fossem filmadas em escolas cantando o hino nacional e repetindo o slogan de campanha de Bolsonaro.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2019: 27.nov. Em 2021: 04.fev, 25.fev.

Tema: Equipe de governo. Origem: Discurso

Em 1.318 dias como presidente, Bolsonaro deu 5.988 declarações falsas ou distorcidas

Esta base agrega todas as declarações de Bolsonaro feitas a partir do dia de sua posse como presidente. As checagens são feitas pela equipe do Aos Fatos semanalmente.

Atualizado em 11 de Agosto, 2022


Explore as afirmações

Filtros

Por tema

Por origem

Ordenar por

08.ago.2022

“Agora, levando-se em conta o mundo todo, o Brasil é um país que menos sofreu com a pandemia.”

Dados contrariam a afirmação do presidente de que o Brasil teria sido uma das nações que menos sofreu impactos econômicos com a pandemia. Entre 2019 e 2021, o país caiu da 9ª para a 13ª posição no ranking das 15 maiores economias do mundo elaborado pela Austin Rating, agência de classificação de risco. No levantamento, divulgado pela Austin em março deste ano, o PIB brasileiro em 2021 estava em 21º lugar entre os 34 países mais ricos. Além disso, o real teve o pior desempenho em 2020 entre as 30 moedas mais negociadas do mundo comparadas ao dólar, segundo levantamento da FGV (Fundação Getúlio Vargas). Segundo pesquisa da Economatica, a moeda foi a 12ª que mais se desvalorizou no ano de 2021. A Austin Ratings também colocou o Brasil como um dos países com maior taxa de desemprego no terceiro trimestre de 2021, em quarto lugar ante 44 países. Os primeiros dados de 2022, entretanto, indicam recuperação: em maio, a Austin Rating colocou o real como a quarta moeda mais valorizada entre 120 analisadas. Em 2 de junho, a consultoria divulgou que o Brasil subiu para a 10ª colocação entre as 15 maiores economias do mundo, considerando o PIB do primeiro trimestre de 2022. A taxa de desocupação também sofreu recuo, acima da média do G20.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 13 VEZES. Em 2021: 10.nov, 23.nov, 25.nov, 26.nov, 07.dez. Em 2022: 12.mar, 04.abr, 05.abr, 07.abr, 13.abr, 08.ago.

Tema: Economia. Origem: Entrevista

08.ago.2022

“O Tarcísio tem um orçamento de aproximadamente R$ 7 bilhões por ano.”

Bolsonaro se refere ao orçamento do Ministério da Infraestrutura, que foi comandado por Tarcísio de Freitas até o dia 31 de março de 2022. Desde 2019, segundo o Siop (Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento), a pasta sempre teve aprovação de gastos acima de R$ 7 bilhões, mas nem sempre esse orçamento foi efetivamente gasto por conta de contingenciamentos orçamentários. Segundo o Siop, plataforma do Ministério da Economia, a dotação atual do Orçamento Fiscal deste ano é de R$ 14,8 bilhões, dos quais já foram empenhados R$ 8,4 bilhões. Em 2021, a dotação orçamentária inicial da pasta foi de R$ 13,1 bilhões, dos quais foram empenhados R$ 10 bilhões e pagos R$ 6,3 bilhões.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 13 VEZES. Em 2022: 06.jan, 27.jan, 01.fev, 02.fev, 09.fev, 09.mar, 31.mar, 12.abr, 29.abr, 12.mai, 19.jun, 08.ago.

Tema: Economia. Origem: Entrevista

08.ago.2022

“Vamos falar de dois anos da Dilma, 2014 e 2015. Menos 3 milhões de empregos. Eu com pandemia, mais 3 milhões de empregos, 2020 e 2021. ”

É falso que o Brasil tenha perdido 3 milhões de empregos formais entre 2014 e 2015 e criado 3 milhões entre 2020 e 2021, como aponta o presidente. De acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), o saldo de carteiras assinadas em 2014 e 2015 foi, respectivamente, de +420 mil e -1,54 milhão. Isso significa que, ao longo dos dois anos, foram perdidos 1,1 milhão de empregos formais. O total de empregos criados durante os anos de 2020 e 2021 também não corresponde ao número citado pelo presidente: foram abertas 2.730.597 vagas de trabalho em 2021 e fechadas 191.500 vagas em 2020, um saldo de 2,5 milhões de empregos, e não 3 milhões.

FONTE ORIGEM

Tema: Economia. Origem: Entrevista

08.ago.2022

“Você sabia que a Funai no passado, quando, na iminência de eu assumir, por ocasião da transição, eu descobri que a Funai tinha um contrato de R$ 50 milhões pra ensinar índio a mexer com bitcoin”

A declaração é falsa, pois não houve a destinação de R$ 50 milhões para indígenas “mexerem com bitcoin” na transição entre os governos Jair Bolsonaro e Michel Temer (MDB). O presidente se refere a um convênio de R$ 45 milhões entre o governo federal e a UFF (Universidade Federal Fluminense) para um “Projeto de Fortalecimento Institucional", que previa a execução de 16 serviços, entre eles a criação de uma plataforma de criptomoedas indígenas - não bitcoin, que é uma das criptomoedas existentes. Não há o detalhamento de quanto desses R$ 45 milhões seria destinado a cada produto. De acordo com o relatório que acompanha o documento, o objetivo do projeto de criptomoedas era "recriar" as já tradicionais moedas sociais por meio da tecnologia blockchain, como base das transações da feira indígena Moitará. Segundo o documento, “a criptomoeda seria usada com o objetivo de encorajar os indígenas de uma determinada comunidade a gastar localmente, apoiando, assim, os ecossistemas locais". Também estavam previstos no contrato o mapeamento de problemas funcionais na Funai e a criação de um centro de monitoramento de áreas indígenas.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 14 VEZES. Em 2019: 27.jul. Em 2020: 19.dez. Em 2021: 04.ago, 07.out, 06.dez, 08.dez, 09.dez, 15.dez. Em 2022: 31.jan, 09.fev, 10.fev, 09.mar, 16.mai, 08.ago.

Tema: Indígenas e quilombolas. Origem: Entrevista

08.ago.2022

“Você vê, só na Petrobras, o endividamento da mesma foi de R$ 900 bilhões [durante governos petistas].”

De acordo com as demonstrações financeiras publicadas pela Petrobras, a dívida bruta da companhia em 31 de dezembro de 2015 era de R$ 492,849 bilhões — corrigida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a cifra ficaria atualmente em R$ 681,4 bilhões. Em 2003, os resultados divulgados pela Petrobras à Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) indicavam um endividamento total de R$ 63,791 bilhões (R$ 176 bilhões, corrigidos) — uma diferença, portanto, de R$ 429,058 bilhões em valores nominais e de R$ 505,4 bilhões se considerada a correção pela inflação. Todos esses valores estão muito distantes dos R$ 900 bilhões citados por Bolsonaro.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 55 VEZES. Em 2022: 31.jan, 01.fev, 02.fev, 03.fev, 04.fev, 08.fev, 09.fev, 16.fev, 18.fev, 21.fev, 23.fev, 24.fev, 25.fev, 07.mar, 10.mar, 16.mar, 21.mar, 24.mar, 31.mar, 04.abr, 06.abr, 11.abr, 12.abr, 14.abr, 16.abr, 25.abr, 29.abr, 15.mai, 16.mai, 17.mai, 19.mai, 25.mai, 30.mai, 02.jun, 09.jun, 17.jun, 19.jun, 27.jun, 01.jul, 05.jul, 07.jul, 24.jul, 25.jul, 27.jul, 30.jul, 01.ago, 08.ago.

Tema: Economia. Origem: Entrevista

08.ago.2022

“Ninguém pegou botou um fuzil na cara do presidente da época, né? Ninguém fez isso aí. Ele simplesmente abandonou o Brasil e o Congresso declarou vago.”

Para afirmar que não houve golpe militar em 1964, Bolsonaro argumenta que a cadeira presidencial foi declarada vaga sem o uso da força, porque o então presidente João Goulart teria abandonado o país. A declaração, no entanto, é falsa, porque Goulart estava no Rio Grande do Sul — em território nacional, portanto — quando o presidente do Senado, Auro de Moura Andrade, declarou a vacância da Presidência, em 2 de abril. Inclusive, na mesma sessão, foi lido pelo primeiro-secretário, senador Adalberto Sena, um ofício do então ministro-chefe da Casa Civil, Darcy Ribeiro, declarando que Goulart se encontrava no Brasil. A fala também ignora as movimentações militares, como, por exemplo, o avanço de tropas de Minas Gerais em direção ao Rio de Janeiro e a prisão do governador fluminense Badger da Silveira, aliado de João Goulart, na deflagração do golpe de 1964. O presidente destituído acabou por se exilar no Uruguai. No Brasil, deputados da oposição foram cassados e o primeiro dos Atos Institucionais foi decretado, com a determinação de eleições indiretas para presidente. Os militares, que tomaram o poder, só deixaram a Presidência da República décadas mais tarde.

FONTE ORIGEM

Tema: Ditadura. Origem: Entrevista

08.ago.2022

“Fui o primeiro presidente a pegar a lei de teto [de gastos].”

A declaração é falsa. A PEC 55/2016 entrou em vigor em 2017, durante o governo Michel Temer (MDB), que exerceu o cargo durante dois anos com a lei que estabelecia o teto de gastos já em vigência. A medida determina que o Orçamento do governo federal não pode ser maior do que o do ano anterior, sendo reajustado apenas pela inflação.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2022: 08.ago, 09.ago.

Tema: Economia. Origem: Entrevista

08.ago.2022

“[Em] Nova York, maior número de contaminados foi os que ficaram em casa.”

A declaração FALSA, usada por Bolsonaro para questionar medidas de isolamento social, é baseada na interpretação errada de uma apresentação do governador de Nova York, Andrew Cuomo, no dia 6 de maio de 2020. Na ocasião, Cuomo afirmou que 84% de um grupo de 1.289 recém-internados em hospitais do estado declararam que, antes de adoecerem, estavam evitando sair de casa cotidianamente. Contudo, o número não indica onde essas infecções aconteceram. Além disso, o governador novaiorquino não usou os dados para negar a eficácia do isolamento social no estado, mas para reforçar a orientação de que mesmo quem está de quarentena deve tomar precauções. "[Essa pesquisa] reforça aquilo que a gente vinha falando, que muito depende de como você se protege. Tudo está fechado. O governo fez tudo o que podia. A sociedade fez tudo o que podia. Agora é com você. Você está usando máscara? Você está aplicando álcool em gel? Se você tem pessoas mais novas que te visitam e que talvez sejam menos cuidadosas com o distanciamento social, vocês estão ficando longe de pessoas mais velhas?", disse Cuomo.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 9 VEZES. Em 2020: 19.mai, 22.mai, 02.jun, 16.jul, 13.ago, 26.nov. Em 2021: 22.mar. Em 2022: 08.ago.

Tema: Coronavírus. Origem: Entrevista

08.ago.2022

“Eu me reuni com os embaixadores para mostrar o 'inquérito de 2018, que não têm qualquer classificação sigilosa.”

Bolsonaro critica a imprensa por ter noticiado que ele teria se reunido com embaixadores no dia 18 de julho para desacreditar as urnas eletrônicas quando, na verdade, ele foi apenas divulgar o inquérito de 2018 que apura um ataque hacker ao sistema do TSE. Conforme mostrado por Aos Fatos, isso é falso porque, durante o evento, o presidente de fato atacou a votação brasileira sem relacionar com a investigação. Bolsonaro, por exemplo, desinformou ao dizer que as eleições brasileiras não seriam auditáveis, que uma empresa terceirizada contaria os votos e que o TSE teria dito que os resultados de 2018 poderiam ter sido alterados. Além disso, o presidente voltou a repetir acusações de fraudes eleitorais já desmentidas, como a de que a urna estaria autocompletando votos em Fernando Haddad (PT). Também é falsa a informação de que o inquérito não tinha classificação sigilosa. Em relatório divulgado em fevereiro de 2022, a Corregedoria afirma que, mesmo que não houvesse ordem judicial que classificasse a investigação como segredo de justiça, o inquérito “apresentava o sigilo relativo próprio dos procedimentos de investigação criminal”. Ao STF, a Polícia Federal também disse que Bolsonaro teve atuação “direta, voluntária e consciente” ao divulgar, ao lado do deputado Filipe Barros (PL-PR), o inquérito policial. O relatório, no entanto, não indiciou Bolsonaro por crime de vazamento de dados sigilosos devido ao foro por prerrogativa de função.

FONTE ORIGEM

Tema: Eleições, Imprensa. Origem: Entrevista

08.ago.2022

“Agora o que que a esquerda queria naquele momento do PLC 122? Era o padre que…chegam dois homens. “Eu quero casar”. Ele fala “não”. Três anos de cadeia. Ó, não tem cabimento.”

A declaração é FALSA. Não há, em nenhum trecho do texto do PLC 122/2006, que tinha o objetivo de criminalizar a homofobia, determinação de punição a padres ou pastores que se negassem a realizar um casamento que não fosse entre um homem e uma mulher, como afirma Bolsonaro. O texto previa condenações a ações baseadas no preconceito contra a orientação sexual, como recusa ou proibição de ingresso em qualquer estabelecimento, ou o impedimento da expressão e manifestação de afetividade em locais abertos ao público. O projeto foi arquivado em 2014 e, desde então, não voltou a tramitar.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2022: 08.mar, 08.ago.

Tema: Congresso, Ideologia. Origem: Entrevista

04.ago.2022

“Deixo claro que o meu governo já quase que dobrou o número de CACs desde 2019 pra cá. ”

A alegação de Bolsonaro subestima o número de pessoas registradas como CACs (Caçadores, Atiradores e Colecionadores) no Brasil durante o seu governo. O total mais que triplicou entre 2018 e 2022: de acordo com dados do Anuário de Segurança Pública, eram 117.467 registros no último ano de gestão de Michel Temer (MDB). Três anos depois, em junho de 2022, são 673.818 pessoas registradas como CACs.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2022: 11.jul, 28.jul, 04.ago.

Tema: Segurança. Origem: Live

04.ago.2022

“Mas o roubo de celular, que é estimulado por uma pessoa, que disse há pouco tempo que quem rouba celular quer apenas tomar uma cervejinha no final da tarde.”

Bolsonaro distorce o conteúdo de uma declaração dada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em um discurso em São Bernardo do Campo (SP) em 9 de novembro de 2019. Na ocasião, ao repudiar a violência policial contra menores, Lula disse: "Eu não posso mais ver jovem de 14, 15 anos assaltando e sendo violentado, assassinado pela polícia, às vezes sendo inocente, às vezes porque roubou um celular". Diferentemente do que sugere Bolsonaro, portanto, Lula não tratou o roubo como um "direito" do bandido.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 10 VEZES. Em 2019: 12.dez. Em 2021: 15.out, 27.out. Em 2022: 13.jul, 21.jul, 24.jul, 01.ago, 04.ago.

Tema: Ideologia, Segurança. Origem: Live

03.ago.2022

“Até quando certos direitos foram suprimidos por alguns prefeitos e governadores, direitos esses que nem eu, caso tivesse o apoio do Parlamento e aprovasse um decreto de estado de sítio, teria esse poder.”

Ao criticar uma vez mais as medidas adotadas por governadores e prefeitos durante a pandemia de Covid-19, o presidente afirma que as determinações de isolamento social e fechamento do comércio seriam restritivas demais até no caso de um decreto de estado de sítio, previsto na Constituição para situações de guerra ou de grave repercussão nacional. A declaração, no entanto, é falsa, porque essas determinações estão previstas em uma lei federal de combate à Covid-19 assinada pelo próprio presidente. O artigo 3º da lei nº 13.979/2020 prevê que governadores e prefeitos possam adotar medidas de isolamento e quarentena com o objetivo de frear a pandemia em seus territórios. Essas ações, segundo decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), não precisam de aprovação da União, mas devem ter fundamentação técnica e garantir a locomoção de produtos e serviços essenciais. Isso, portanto, é completamente diferente do estado de sítio citado por Bolsonaro, que é decretado pelo presidente da República, mas precisa de maioria absoluta do Congresso Nacional para entrar em vigor. A medida suspende temporariamente a atuação dos outros dois poderes e permite que o presidente determine a obrigação de permanência em determinado local, a detenção em edifício não destinado a acusados ou condenados por crimes comuns e a suspensão da liberdade de reunião.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 19 VEZES. Em 2021: 04.mar, 11.mar, 18.mar, 19.mar, 22.mar, 30.mar, 31.mar, 01.abr, 07.abr, 14.abr, 28.abr, 29.jul. Em 2022: 03.ago.

Tema: Coronavírus. Origem: Discurso

03.ago.2022

“Aqueles que dizem que vão colocar padres e pastores nos seus devidos lugares.”

Bolsonaro faz menção ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e reproduz o conteúdo de uma peça de desinformação que circula nas redes e já foi desmentida pelo Aos Fatos. A publicação edita um trecho da fala do ex-presidente durante um evento em Natal, em 25 de agosto de 2021, para afirmar que o petista pretende censurar padres e pastores. Na gravação original, no entanto, Lula afirma que, caso reeleito, vai conversar com as Forças Armadas para limitar a participação de militares da ativa no governo federal e que essa conversa ocorrerá do mesmo modo que ocorre com outros eleitores, como “padres, pastores e ateus”. O trecho completo da fala é o seguinte: “E tem gente que pergunta: mas Lula, você vai conversar com as Forças Armadas? Eu estou conversando com as Forças Armadas agora, com essa resposta que eu estou dando para você. Eu estou conversando com quem é das Forças Armadas, eu estou conversando com quem é do Ministério Público, eu estou conversando com quem é da Polícia Federal, eu estou conversando com quem é pastor, com quem é padre, com quem é ateu. Eu vou conversar com todo mundo enquanto povo brasileiro, enquanto eleitores. Se eu ganhar as eleições, aí eu vou conversar com os militares como chefe das Forças Armadas, como chefe supremo, para dizer qual é o papel deles: não é se intrometer na política, porque isso não está certo. Nem hoje, nem ontem, nem antes de ontem. Eles têm que entender que eles têm um papel importante na defesa da soberania brasileira e na defesa do bem estar do povo brasileiro. O que eles não podem é dar sustentação a um genocida que já é responsável por quase 600 mil mortes nesse país".

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2022: 11.jul, 13.jul, 03.ago.

Tema: Ideologia. Origem: Discurso

03.ago.2022

“Aqueles que falam em ideologia de gênero com uma tremenda naturalidade. Nós não podemos admitir que crianças com cinco, seis anos de idade sejam sexualizadas em sala de aula. ”

Bolsonaro frequentemente associa as políticas educacionais adotadas do PT com a "ideologia de gênero", termo usado desde o final dos anos 1990 para criticar discussões relacionadas a gênero e sexualidade. Segundo setores conservadores, essa suposta ideologia faria parte de um plano para minar os conceitos de heterossexualidade e família cristã. No Brasil, a teoria ganhou notoriedade à época do projeto Escola sem Homofobia, que tinha por objetivo promover a aceitação e a diversidade sexual entre adolescentes do ensino médio. Intensamente combatido por setores religiosos e conservadores, o projeto não foi adiante, mas a narrativa enganosa de que as gestões petistas incentivaram a sexualização precoce em crianças se perpetuaram, em especial no discurso do agora presidente Jair Bolsonaro. A teoria da "ideologia de gênero", no entanto, não existe, e não há quaisquer políticas públicas relacionadas a ela no Brasil.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 32 VEZES. Em 2019: 01.jan. Em 2021: 21.out, 10.nov, 22.nov, 14.dez. Em 2022: 14.jan, 12.fev, 07.mar, 10.mar, 16.mar, 05.mai, 19.mai, 25.mai, 27.mai, 30.mai, 06.jun, 07.jun, 08.jun, 09.jun, 13.jun, 14.jun, 17.jun, 18.jun, 22.jun, 26.jun, 02.jul, 14.jul, 20.jul, 03.ago.

Tema: Ideologia. Origem: Discurso

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.