🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Posts usam vídeo editado ao alegar que vacinação em Israel foi encenada

Por Priscila Pacheco

4 de janeiro de 2021, 15h39

Não é verdade que Benny Ben-Mubhar, chefe do Conselho Regional de Mevoot Hermon, em Israel, fingiu ter tomado a vacina contra Covid-19. As postagens que sugerem isso trazem apenas uma parte do vídeo da vacinação dele (veja aqui). Ao ser imunizado, Ben-Mubhar foi filmado e pediu que a população se vacinasse. Logo em seguida, uma das pessoas na sala comentou que o nome da unidade de saúde não foi citado. Ele, então, repete o discurso enquanto a enfermeira simula a imunização que havia acabado de fazer.

A parte do vídeo que mostra somente a simulação tem sido compartilhada no Facebook e no Twitter em diversos países. No Brasil, a desinformação conta com ao menos 31.000 compartilhamentos no Facebook nesta segunda-feira (4) e foi marcada com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


Cadê a agulha? Me engana que eu gosto 😂. Se nem eles têm coragem de tomar a vacina chinesa imagina eu 😂😂😂

Postagens que têm circulado nas redes sociais enganam ao usar um vídeo editado para insinuar que Benny Ben-Mubhar, chefe do Conselho Regional de Mevoot Hermon, no distrito norte de Israel, apenas fingiu ter tomado a vacina contra Covid-19.

Na verdade, o vídeo completo mostra que Ben-Mubhar é filmado enquanto recebe a vacina e incentiva que a população vá se imunizar contra a doença. Após a imunização, uma das pessoas presentes na sala comentou que ele havia se esquecido de citar o nome da unidade de saúde. O chefe do Conselho, então, repete o discurso enquanto a enfermeira o toca com a seringa sem agulha, apenas para registrar novamente a cena.

Ao analisar as imagens e o diálogo em hebraico a pedido do Aos Fatos, a Embaixada de Israel no Brasil disse que “ele [Benny Ben-Mubhar] já tinha sido vacinado. Tanto que a menina fala: 'mas você não falou o nome do hospital, vamos repetir'''.

Em uma página do Facebook, Ben-Mubhar também postou o vídeo na íntegra e confirmou que havia tomado a vacina.

Campanha em Israel. A vacinação contra Covid-19 em Israel teve início em 20 de dezembro e, até o dia 1º de janeiro de 2021, cerca de 10% da população já havia sido imunizada. O país lidera o ranking de doses aplicadas para cada 100 habitantes entre as nações que já começaram as campanhas. Segundo dados do Our World in Data, Israel havia administrado 14,14 doses a cada 100 pessoas até 3 de janeiro.

O primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, foi imunizado em 19 de dezembro, antes do calendário oficial, e tem feito campanha para incentivar a população a receber a vacina. De acordo com o Ministério da Saúde israelense, estão sendo vacinados nesta primeira fase profissionais da saúde e cidadãos a partir de 60 anos. A chamada fase B inclui pessoas com comorbidades, professores, assistentes sociais, presidiários e guardas. Segundo a Embaixada, o plano é vacinar toda a população até o dia 27 de março.

Algumas postagens que destacam parte do vídeo também enganam ao citar “vacina chinesa”, pois Israel iniciou a imunização usando a vacina da Pfizer-BioNTech, que são empresas dos Estados Unidos e da Alemanha. Outra vacina que deve ser liberada em breve em Israel é a produzida pela farmacêutica Moderna, também dos EUA.

Fora do Brasil, esta peça de desinformação foi checada pelo israelense Makor Rishon e pelo croata Faktograf.

Referências:

1. MVHR
2. Facebook de Benny Ben-Mubhar
3. The New York Times
4. Our World in Data
5. Twitter de Benjamin Netanyahu
6. Ministério da Saúde de Israel
7. Haaretz
8. Makor Rishon
9. Faktograf


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.