Panfleto contra a reforma da Previdência apresenta informações incorretas

Compartilhe

Nesta quarta-feira (15), uma imagem atribuindo a países como Estados Unidos, Inglaterra e Argentina idades mínimas equivocadas para se aposentar circulou pelas redes sociais com alta taxa de compartilhamento. Em meio à primeira mobilização nacional contra a reforma da Previdência proposta pelo governo Michel Temer, o panfleto comparava idades mínimas e tempo de contribuição para ter acesso à aposentadoria, sem especificar a que classe de trabalhadores se referia.

Aos Fatos checou os dados informados na imagem e verificou se tratar de um panfleto sobre aposentadoria de policiais. No ano passado, ao enviar o projeto ao Legislativo, o Palácio do Planalto autorizou a retirada da categoria dos policiais militares e bombeiros do projeto que reforma a seguridade social.

A informação, do jeito que vem sendo compartilhada, entretanto, é FALSA — em qualquer dos países citados, a idade mínima de contribuição é a que consta do panfleto. Veja, abaixo, o que checamos.


FALSO

Da imagem original, Aos Fatos só teve acesso a um pedaço — justamente o que circula desde a manhã desta quarta no Twitter. Ali, sem especificar se diz respeito a uma categoria específica de trabalhadores, os autores, também sem designação, argumentam que a reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer é mais rigorosa do que em outros países.

Está escrito, por exemplo, que não há idade mínima para aposentadoria nos EUA. Também diz que, na França, a idade mínima para ter acesso ao direito é de 52 anos. Na Itália, de 53 anos.

Um documento do Núcleo de Estudos e Pesquisas da Consultoria Legislativa do Senado, entretanto, põe as informações por terra. Segundo o estudo, a idade mínima para se aposentar de um trabalhador regular é de 66 anos nos EUA, 65 para homens e 62 para mulheres no Reino Unido, 65 para homens e 60 para mulheres no Chile, 65 na França, 66 na Itália e 65 para homens e 60 para mulheres na Argentina. Nenhum desses números bate com os dados apresentados no panfleto viral.

Conforme o estudo, além do Brasil, apenas 12 países do mundo não têm idade mínima para se aposentar: Arábia Saudita, Argélia, Bahrein, Egito, Equador, Hungria, Iêmen, Irã, Iraque, Luxemburgo, Sérvia e Síria.

Policiais. As informações que constam do panfleto coincidem com dados reportados em texto institucional veiculado por vários sindicatos pelo Brasil, como no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Mato Grosso do Sul. Aos Fatos consultou as bases de órgãos que regulam a seguridade de policiais em países como Reino Unido e Estados Unidos e verificou novos equívocos.

No Reino Unido, Aos Fatos verificou o primeiro equívoco, conforme informações do governo. Lá, a idade mínima de aposentadoria de policiais varia entre 55 e 60 anos — ao menos cinco anos além do que foi informado na imagem viral.

Nos EUA, a tarefa de verificar idades mínimas é mais difícil: cabe aos governos estaduais determinar como funciona a previdência dos policiais. No entanto, em geral, há, sim, idade mínima para aposentadoria. Em 2012, estados como o Havaí, Illinois, Nevada, New Jersey, Pennsyvania e Maryland instituíram idades mínimas, que vão de 52,5 a 60 anos de idade, a depender do tempo de serviço prestado. A informação consta de um estudo feito pela National Conference of State Legislatures.

Selo. Sem fonte, sem atribuição e sem informações aprofundadas, o panfleto que circulou pelas redes já pode ser dado como FALSO, já que há afirmações incorretas a respeito da idade mínima de aposentadoria dos trabalhadores em geral nos países citados. Porém, há também equívocos quando a informação é atribuída à categoria dos policiais militares. Em bases de dados dos países consultados, os números não batem.


A reportagem foi atualizada às 10h30 de 16 de março de 2017 para corrigir a informação que dava a entender que todas as categorias de policiais foram retiradas do projeto da reforma da Previdência. Foram, na verdade, apenas os policiais militares e os bombeiros.

Compartilhe

Leia também

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’

falsoServiço Secreto não desautorizou disparo em autor de atentado contra Trump

Serviço Secreto não desautorizou disparo em autor de atentado contra Trump

não é bem assimReforma tributária não taxou em 25% todas as operações de compra e venda de imóveis

Reforma tributária não taxou em 25% todas as operações de compra e venda de imóveis