Lula não disse em entrevista que pretende acabar com ‘trabalho por aplicativo’

Por Marco Faustino

25 de maio de 2022, 18h18

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não disse à rádio Passos FM, em fevereiro, que pretende acabar com o ‘trabalho por aplicativo’, como afirmam nas redes sociais (veja aqui). As postagens compartilham um texto que comenta uma crítica do petista à falta de direitos dos trabalhadores dessa modalidade, mas não diz que ele pretende extingui-la. A assessoria de Lula rechaçou a veracidade da afirmação.

Publicações com o contexto enganoso somavam 1.700 compartilhamentos no Facebook nesta quarta-feira (25).


Selo falso

Lula ataca ‘trabalho por aplicativo’ e promete acabar com modalidade

Posts distorcem falas de Lula para alegar que ele prometeu acabar com empregos por aplicativos, o que é falso.


É falso que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse, em entrevista à rádio Passos FM em 22 de fevereiro de 2022, que pretende acabar com o “trabalho por aplicativo”. A assessoria do petista negou que ele tenha prometido isso e afirmou que o seu objetivo é “ampliar direitos da categoria”. As postagens compartilhadas nas redes sociais divulgam um link de um texto que comenta uma crítica do ex-presidente à modalidade.

Confira a fala de Lula na íntegra:

“A gente vai criar emprego desses intermitentes que o trabalhador não tenha direito? A gente vai ficar fazendo o trabalhador trabalhar nesses aplicativos sem nenhum direito? É preciso dar garantia da seguridade social para as pessoas, é preciso que as pessoas tenham um descanso, é preciso que as pessoas tenham férias, é preciso que as pessoas ganhem um salário minimamente digno para comer.”

Depois, Lula elogiou um aplicativo de transporte privado urbano criado pela prefeitura de Araraquara (SP), que permite que o trabalhador fique com mais de 90% do valor da corrida e o restante seja direcionado à manutenção do software. A seguir, ele reitera as críticas à falta de direitos dos trabalhadores de aplicativos. Confira na íntegra:

“O empreendedor tem que ter direito, o empreendedor tem que ter capacidade de viver bem e cuidar da sua família. Nós não podemos achar que um trabalho quase que escravo é um trabalho moderno, que é uma coisa avançada. Não. Isso é um retrocesso na vida do povo trabalhador desse país. Se o cidadão quiser trabalhar no aplicativo é um direito dele, mas o dono do aplicativo tem que pagar um salário digno e tem que dar seguridade social para essa pessoa.”

Durante ato em celebração ao Dia do Trabalho (1º de maio), Lula defendeu a necessidade de regulamentar direitos básicos de trabalhadores que atuam nesse segmento. Cerca de duas semanas depois, ele afirmou no Twitter: “Nosso povo vai voltar a trabalhar, voltar a ter carteira de trabalho assinada”.

Origem. A alegação enganosa tem origem no título e na legenda de uma imagem publicados no Blog do Linhares em 12 de maio de 2022. No texto, no entanto, é mencionado que Lula “deu a entender que, caso seja eleito, irá acabar com os chamados empregos de aplicativos”. Procurado por Aos Fatos, o Blog do Linhares não respondeu até a publicação desta checagem.

Referências:

1. YouTube PT
2. Lula (Fontes 1 e 2)
3. Twitter Lula


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.


Esta reportagem foi publicada de acordo com a metodologia anterior do Aos Fatos.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.