É falso que Paulo Freire não foi professor e só tinha diploma de bacharel em direito

Por Luiz Fernando Menezes

24 de setembro de 2021, 12h11

Não é verdade que o pedagogo Paulo Freire (1921-1997) nunca foi professor e que tinha só diploma de bacharel em direito, como alegam postagens (veja aqui). O educador começou a carreira em 1944 dando aulas de português em um colégio de Recife (PE) e lecionou até os anos 1990. Ele se tornou doutor em filosofia e história da educação em 1959 e, ao longo de sua trajetória, acumulou 41 títulos de doutor honoris causa em universidades pelo mundo.

Este conteúdo enganoso acumulava ao menos 14 mil compartilhamentos em publicações no Facebook nesta sexta-feira (24).


Posts nas redes sociais falseiam e distorcem informações ao alegarem que Paulo Freire (1921-1997), patrono da educação brasileira, nunca foi professor e que só tinha diploma de bacharel em direito. O educador iniciou a sua carreira dando aulas de português no Colégio Oswaldo Cruz, de Recife (PE), em 1944, e só deixou o magistério em 1990, quando saiu da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) para comandar a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo na gestão de Luiza Erundina (então no PT, hoje no PSOL).

Nesse período, ele foi diretor do Departamento de Educação do Sesi (Setor de Educação e Cultura do Serviço Social da Indústria), onde teve sua primeira experiência com a alfabetização de adultos, e professor da Universidade de Recife – hoje UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) –, da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica), da Unicamp e da Universidade de Harvard.

Apesar de ter sido graduado de fato como bacharel de direito, Freire se tornou doutor em filosofia e história da educação pela UFPE, em 1959, e também recebeu 41 títulos de doutor honoris causa em universidades renomadas, como Cambridge e Oxford, no Reino Unido.

Sem terra. Outra alegação da postagem, de que a única experiência de Freire em alfabetização foi com adultos do MST, está factualmente incorreta. O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra nasceu de conflitos fundiários nas décadas de 1970 e 1980 no Sul do Brasil e só foi institucionalizado em 1984. O pedagogo lecionava na Unicamp nessa época e não há registros de que tenha dado aulas nos acampamentos.

É verídico, porém, que Paulo Freire não trabalhou diretamente com crianças em idade de alfabetização. Segundo a sua viúva, Nita Freire, além das universidades, ele deu aulas somente para jovens no ensino secundário, equivalente ao ensino médio atual.

As informações enganosas sobre Freire têm origem em um tweet de Paula Marisa, youtuber bolsonarista e candidata derrotada a vereadora de Canoas (RS) em 2020. Procurada por Aos Fatos na segunda-feira (20), ela não respondeu até a publicação desta checagem.

Referências:

1. USP (Fontes 1 e 2)
2. FGV (Fontes 1 e 2)


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos do Facebook. Veja aqui como funciona a parceria.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.