Poster do agregador

Em 1.277 dias como presidente, Bolsonaro deu 5.665 declarações falsas ou distorcidas

Esta base agrega todas as declarações de Bolsonaro feitas a partir do dia de sua posse como presidente. As checagens são feitas pela equipe do Aos Fatos semanalmente.

Atualizado em 01 de Julho, 2022


Número de afirmações sobre




As três afirmações mais repetidas

REPETIDA 210 VEZES

Em 2019: 15.dez, 23.dez, 24.dez, 26.dez. Em 2020: 10.jan, 06.fev, 20.fev, 03.mar, 09.mar, 16.mar, 20.mar, 22.abr, 28.abr, 05.mai, 22.mai, 28.mai, 26.jul, 30.jul, 02.ago, 13.ago, 07.out, 08.out, 11.out, 15.out, 22.out, 29.out, 09.nov, 25.nov, 29.nov, 08.dez, 10.dez, 15.dez, 19.dez, 24.dez, 31.dez. Em 2021: 07.jan, 11.jan, 12.jan, 15.jan, 18.jan, 08.fev, 11.fev, 20.fev, 04.mar, 07.abr, 27.abr, 05.mai, 08.mai, 11.mai, 13.mai, 10.jun, 15.jun, 18.jun, 21.jun, 24.jun, 25.jun, 07.jul, 12.jul, 13.jul, 18.jul, 19.jul, 21.jul, 22.jul, 26.jul, 27.jul, 29.jul, 31.jul, 02.ago, 04.ago, 05.ago, 06.ago, 17.ago, 19.ago, 23.ago, 24.ago, 25.ago, 28.ago, 30.ago, 31.ago, 09.set, 10.set, 15.set, 17.set, 21.set, 23.set, 24.set, 30.set, 09.out, 13.out, 14.out, 18.out, 20.out, 21.out, 24.out, 25.out, 27.out, 07.nov, 09.nov, 10.nov, 19.nov, 22.nov, 23.nov, 25.nov, 26.nov, 02.dez, 07.dez, 09.dez, 10.dez, 15.dez, 19.dez, 27.dez, 30.dez, 31.dez. Em 2022: 06.jan, 12.jan, 20.jan, 31.jan, 02.fev, 07.fev, 09.fev, 10.fev, 11.fev, 12.fev, 16.fev, 18.fev, 21.fev, 23.fev, 24.fev, 25.fev, 28.fev, 04.mar, 07.mar, 16.mar, 21.mar, 22.mar, 23.mar, 27.mar, 04.abr, 08.abr, 11.abr, 12.abr, 15.abr, 05.mai, 12.mai, 30.mai, 02.jun, 08.jun, 15.jun, 18.jun, 24.jun.

“E no mais, também é obrigação um governo que não roube, um governo que não seja corrupto. Estamos deixando pra trás este momento triste da nossa história.”

O presidente sugere que não há corrupção em sua gestão, o que é falso, porque integrantes e ex-integrantes de seu governo são alvos de investigações e denúncias de casos de corrupção e outros delitos ligados à administração pública. Em junho de 2022, a Polícia Federal prendeu preventivamente o ex-ministro Milton Ribeiro, por suposto envolvimento em um esquema de liberação de verbas do MEC (Ministério da Educação). Ribeiro é investigado por prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência. Em 23 de junho, o magistrado Ney Bello, do TRF1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região), concedeu habeas corpus e Ribeiro foi libertado. Além disso, o relatório da CPI da Covid-19 no Senado pediu o indiciamento de Bolsonaro e seis ministros e ex-ministros por prevaricação, emprego irregular de verbas públicas, falsificação de documento particular, charlatanismo, crime contra a humanidade, crime de responsabilidade e epidemia com resultado de morte — pedido que não seguido pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, que possui a competência exclusiva de apresentar denúncias à Justiça contra o presidente da República e seus auxiliares de primeiro escalão. Aras foi escolhido para o cargo por Bolsonaro e teve o nome chancelado pelo próprio Senado. Outros agentes do governo também foram indiciados por envolvimento em um suposto esquema para a compra da vacina indiana Covaxin. Por fim, atuais e antigos integrantes do governo são investigados pela Polícia Federal ou pelo Ministério Público por suspeitas de corrupção, como o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP); Ricardo Salles (PL), ex-titular do Meio Ambiente; o deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PL), que comandou a pasta do Turismo; e Fabio Wajngarten, que chefiou a Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social).

REPETIDA 131 VEZES

Em 2020: 09.abr, 11.abr, 16.abr, 18.abr, 29.abr, 30.abr, 02.mai, 07.mai, 14.mai, 19.mai, 20.mai, 21.mai, 22.mai, 26.mai, 28.mai, 02.jun, 03.jun, 04.jun, 08.jun, 09.jun, 11.jun, 15.jun, 18.jun, 19.jun, 25.jun, 07.jul, 09.jul, 16.jul, 18.jul, 06.ago, 13.ago, 24.ago, 25.ago, 03.set, 16.set, 22.set, 24.set, 09.out, 19.out, 09.nov, 10.dez, 19.dez, 24.dez, 31.dez. Em 2021: 07.jan, 14.jan, 15.jan, 21.jan, 04.fev, 02.mar, 03.mar, 04.mar, 10.mar, 21.jul, 22.jul, 28.jul, 29.jul, 02.ago, 04.ago, 05.set, 15.set, 27.set, 09.out, 14.out, 31.out, 23.nov, 25.nov, 26.nov, 02.dez, 07.dez, 08.dez, 11.dez, 19.dez. Em 2022: 12.jan, 14.jan, 31.jan, 02.fev, 08.fev, 09.fev, 11.fev, 25.fev, 17.mar, 21.mar, 12.abr, 28.abr, 13.mai, 16.mai, 19.mai.

“Lamentavelmente, a condução da pandemia foi tirada da minha mesa presidencial.”

Bolsonaro repete o argumento de que o STF (Supremo Tribunal Federal) teria limitado a sua atuação durante a pandemia de Covid-19, o que é FALSO, porque a corte não eximiu a Presidência da República de atuar contra a disseminação da doença. O STF decidiu, na verdade, que prefeitos e governadores têm legitimidade para tomar medidas locais de restrição de circulação e que não cabe ao Poder Executivo Federal derrubar essas iniciativas. Segundo os ministros, o governo federal pode, sim, adotar medidas para conter a pandemia em casos de abrangência nacional, como fez ao determinar o fechamento de fronteiras terrestres. Ainda de acordo com o STF, seria função da Presidência, por exemplo, coordenar as diretrizes de isolamento a serem seguidas em todo o país. Os estados, por sua vez, não teriam legitimidade para fechar rodovias, prejudicando o abastecimento nacional. Em um dos julgamentos, o ministro Edson Fachin destacou que a ausência de legislação por parte do governo federal também obriga que os estados atuem localmente: "A União exerce a sua prerrogativa sempre, desde que veicule uma norma que organize essa cooperação federativa. No silêncio da legislação federal, estados e municípios têm presunção de atuação. Na ausência de manifestação legislativa, não se pode tolher o exercício da competência dos demais entes federativos".

REPETIDA 108 VEZES

Em 2020: 10.set, 16.set, 22.set, 08.out, 11.out, 14.out, 19.out, 27.out, 11.nov, 16.nov, 17.nov, 27.nov, 15.dez, 24.dez. Em 2021: 14.jan, 15.jan, 27.jan, 28.jan, 03.fev, 04.fev, 05.fev, 08.fev, 11.fev, 12.fev, 19.fev, 20.fev, 22.fev, 23.fev, 26.fev, 03.mar, 04.mar, 10.mar, 18.mar, 22.mar, 23.mar, 25.mar, 31.mar, 01.abr, 05.abr, 07.abr, 15.abr, 23.abr, 26.abr, 20.mai, 23.mai, 01.jun, 02.jun, 10.jun, 12.jun, 18.jun, 25.jun, 26.jun, 28.jun, 19.jul, 20.jul, 21.jul, 29.jul, 30.jul, 31.jul, 06.ago, 12.ago, 17.ago, 23.ago, 25.ago, 26.ago, 28.ago, 30.ago, 02.set, 10.set, 21.set, 29.set, 30.set, 07.out, 14.out, 21.out, 26.out, 27.out, 07.nov, 11.nov, 25.nov, 02.dez, 07.dez, 09.dez, 17.dez, 27.dez. Em 2022: 02.fev, 28.fev, 07.mar, 12.mar, 08.abr, 11.abr, 12.abr, 16.abr, 28.abr, 05.mai, 12.mai, 13.mai, 17.mai.

“Disse que deveríamos combater o vírus, mas também combater o desemprego.”

De fato, desde o início, o presidente tem destacado que a pandemia traria dois problemas ao Brasil, um de saúde pública e um econômico, e que os dois deveriam ser tratados simultaneamente. Em levantamento feito nas redes, Aos Fatos encontrou declarações do tipo ao menos desde o dia 15 de março de 2020, data de uma entrevista à CNN Brasil. O presidente, porém, não tratou as duas questões com o mesmo peso, já que, desde o início da crise, tem minimizado os efeitos da Covid-19. Em diversas entrevistas e declarações públicas, Bolsonaro relacionou a doença a uma “gripezinha” e chegou a dizer, em discurso realizado no dia 18 de setembro de 2020, que o isolamento social seria “conversinha mole” e que as medidas de restrição de circulação seriam para “os fracos”. Durante a pandemia, o presidente também desrespeitou recomendações sanitárias ao causar aglomerações e circular sem equipamento de proteção e se posicionou contra as vacinas, única forma conhecida de atenuar os riscos da doença. A declaração, portanto, foi classificada como FALSA.

Explore as afirmações

Filtros

Por tema

Por origem

Ordenar por

17.jun.2022

“Nós temos um país com mais de 90% de cristãos.”

O presidente é impreciso em sua alegação, porque a proporção de cristãos no Brasil não é superior a 90% em nenhuma das pesquisas publicadas sobre o assunto. Segundo o último Censo do IBGE, realizado em 2010, 86,8% da população era católica ou evangélica, 5% tinha outras religiões e 8% se declararam sem religião. Pesquisa divulgada pelo Datafolha em janeiro de 2020 trouxe dados similares, com 50% autodeclarados católicos, 31% evangélicos e 7% de outras religiões.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2022: 08.fev, 17.jun.

Tema: Outros. Origem: Entrevista

15.jun.2022

“Leda, você não ouviu falar nenhum ato de corrupção no nosso governo. ”

A declaração do presidente é falsa, porque integrantes e ex-integrantes do seu governo são alvos de investigações e denúncias de casos de corrupção e outros delitos ligados à administração pública. Em março de 2022, a PF (Polícia Federal) abriu dois inquéritos para apurar suspeitas de crimes como corrupção, tráfico de influência e prevaricação no Ministério da Educação, sob o comando de Milton Ribeiro. A investigação foi pedida pela PGR (Procuradoria-Geral da República) após a imprensa noticiar uma possível influência de pastores na distribuição de recursos da pasta para prefeitos. Além disso, o relatório da CPI da Covid-19 pediu o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro e de seis ministros e ex-ministros por prevaricação, emprego irregular de verbas públicas, falsificação de documento particular, charlatanismo, crime contra a humanidade, crime de responsabilidade e epidemia com resultado de morte. Outros agentes do governo também foram indiciados por envolvimento em um suposto esquema para a compra da vacina indiana Covaxin. Por fim, atuais e antigos integrantes do governo são investigados pela PF (Polícia Federal) ou pelo Ministério Público por suspeitas de corrupção, como o ministro Ciro Nogueira (Casa Civil), Ricardo Salles, ex-titular do Meio Ambiente, Marcelo Álvaro Antônio, que comandou a pasta do Turismo, e Fabio Wajngarten, que chefiou a Secretaria de Comunicação Social.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 210 VEZES. Em 2019: 15.dez, 23.dez, 24.dez, 26.dez. Em 2020: 10.jan, 06.fev, 20.fev, 03.mar, 09.mar, 16.mar, 20.mar, 22.abr, 28.abr, 05.mai, 22.mai, 28.mai, 26.jul, 30.jul, 02.ago, 13.ago, 07.out, 08.out, 11.out, 15.out, 22.out, 29.out, 09.nov, 25.nov, 29.nov, 08.dez, 10.dez, 15.dez, 19.dez, 24.dez, 31.dez. Em 2021: 07.jan, 11.jan, 12.jan, 15.jan, 18.jan, 08.fev, 11.fev, 20.fev, 04.mar, 07.abr, 27.abr, 05.mai, 08.mai, 11.mai, 13.mai, 10.jun, 15.jun, 18.jun, 21.jun, 24.jun, 25.jun, 07.jul, 12.jul, 13.jul, 18.jul, 19.jul, 21.jul, 22.jul, 26.jul, 27.jul, 29.jul, 31.jul, 02.ago, 04.ago, 05.ago, 06.ago, 17.ago, 19.ago, 23.ago, 24.ago, 25.ago, 28.ago, 30.ago, 31.ago, 09.set, 10.set, 15.set, 17.set, 21.set, 23.set, 24.set, 30.set, 09.out, 13.out, 14.out, 18.out, 20.out, 21.out, 24.out, 25.out, 27.out, 07.nov, 09.nov, 10.nov, 19.nov, 22.nov, 23.nov, 25.nov, 26.nov, 02.dez, 07.dez, 09.dez, 10.dez, 15.dez, 19.dez, 27.dez, 30.dez, 31.dez. Em 2022: 06.jan, 12.jan, 20.jan, 31.jan, 02.fev, 07.fev, 09.fev, 10.fev, 11.fev, 12.fev, 16.fev, 18.fev, 21.fev, 23.fev, 24.fev, 25.fev, 28.fev, 04.mar, 07.mar, 16.mar, 21.mar, 22.mar, 23.mar, 27.mar, 04.abr, 08.abr, 11.abr, 12.abr, 15.abr, 05.mai, 12.mai, 30.mai, 02.jun, 08.jun, 15.jun, 18.jun, 24.jun.

Tema: Corrupção. Origem: Entrevista

15.jun.2022

“O auxílio emergencial, Leda, nos primeiros meses, a despesa mensal era de R$ 50 bilhões.”

O presidente exagera ao mencionar os gastos mensais do governo federal com as parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial, pagas entre abril e setembro de 2020. De acordo com dados do Tesouro Transparente, o auxílio gerou uma despesa média mensal nesse período de R$ 39,3 bilhões.

FONTE ORIGEM

Tema: Coronavírus, Economia. Origem: Entrevista

15.jun.2022

“O gasto com o auxílio emergencial em 2020 foi equivalente a 15 anos de Bolsa Família.”

É falso que o governo federal tenha gastado o equivalente a 15 anos do Bolsa Família com o pagamento do auxílio emergencial no primeiro ano de pandemia. De acordo com dados do Ministério da Cidadania, foram despendidos com o Bolsa Família entre 2005 e 2019 R$ 434,1 bilhões, em valores corrigidos pela inflação. Já dados do Tesouro Transparente indicam que o governo Bolsonaro pagou R$ 293,1 bilhões de auxílio emergencial em 2020.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 7 VEZES. Em 2022: 16.mai, 06.jun, 15.jun, 26.jun, 27.jun, 28.jun, 30.jun.

Tema: Coronavírus, Economia. Origem: Entrevista

15.jun.2022

“Na pandemia tinha uma proposta, né, da Câmara dos Deputados, o presidente era o Rodrigo Maia, e isso foi março, abril de 2020, era cortar 25% dos vencimentos ou proventos de todos os servidores.”

Bolsonaro distorce o conteúdo de uma proposta apresentada em março de 2020 pelo deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) que previa uma redução escalonada nos salários dos servidores para mitigar o impacto nos cofres públicos das medidas adotadas durante a pandemia de Covid-19. Para os que ganhavam até R$ 5 mil, não haveria redução; para os que recebiam até R$ 10 mil, haveria corte de 10%; já para os que ganhavam mais de R$ 10 mil, a diminuição ficaria na casa dos 20% aos 50%. A redução teria duração inicial de três meses, podendo ser prorrogada por mais três. Em maio de 2020, Executivo e Legislativo optaram pelo congelamento dos salários do funcionalismo público até dezembro de 2021.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 16 VEZES. Em 2020: 16.abr, 07.mai, 21.mai, 22.mai. Em 2022: 08.jan, 31.jan, 08.fev, 16.abr, 19.mai, 30.mai, 15.jun, 19.jun, 23.jun, 26.jun.

Tema: Congresso, Coronavírus. Origem: Entrevista

15.jun.2022

“Mas via acordo de leniência e via devolução de dinheiro por parte de pessoas que foram flagradas roubando, né? Em delação premiada, o devolvido no ano passado foi de R$ 6 bilhões. ”

Bolsonaro faz menção aos valores devolvidos à Petrobras em acordos de colaboração, leniência, repatriações e renúncias. A soma devolvida em 2021, no entanto, foi de cerca de R$ 1,2 bilhão, e não de R$ 6 bilhões, como afirma o presidente. O montante de R$ 6,17 bilhões corresponde à totalidade dos recursos devolvidos à estatal desde o início da Operação Lava Jato.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2022: 12.jan, 17.mar, 15.jun.

Tema: Corrupção. Origem: Entrevista

15.jun.2022

“Nós fizemos a extensão do aeroporto de Foz do Iguaçu, agora pousam aviões de fora do Brasil, grandes, pousam em Foz de Iguaçu. Não vão mais pra Argentina.”

Ao comentar sobre as obras custeadas com recursos da Itaipu Binacional, Bolsonaro afirma mais uma vez que a extensão da pista do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, inaugurada em abril de 2021 com recursos da estatal, teria permitido que o aeroporto passasse a receber voos internacionais. Isso, no entanto, é impreciso. Em nota ao Aos Fatos, a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) confirmou que voos vindos de outros países, como Argentina, Bolívia, Chile e Peru, já eram operados antes da inauguração. O que não havia era a possibilidade de voos internacionais de longo curso, vindos da América Central, da América do Norte e de países europeus, por exemplo, chegarem à cidade porque requerem aeronaves de grande porte. "Com isso, companhias aéreas com rotas de longo alcance para América do Sul, tendo como destino final Foz do Iguaçu, tinham, necessariamente, que pousar em países vizinhos. Em Puerto Iguazú, na Argentina, eram comuns voos vindos de Madri (Espanha), por exemplo, por conta do tamanho da pista. As cidades ficam aproximadamente 15 quilômetros distantes uma da outra", diz um trecho da nota.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 25 VEZES. Em 2021: 22.jul, 27.jul, 28.jul, 29.jul, 05.ago, 12.ago, 17.ago, 25.ago, 27.out, 07.nov, 25.nov, 07.dez, 09.dez. Em 2022: 27.jan, 31.jan, 22.fev, 07.mar, 16.mar, 21.mar, 12.abr, 02.jun, 15.jun, 19.jun.

Tema: Infraestrutura. Origem: Entrevista

15.jun.2022

“[Dom Phillips e Bruno Pereira deveriam estar] Devidamente autorizado pela Funai, pelo que parece não estavam.”

Bolsonaro replica a alegação falsa do presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), Marcelo Xavier, de que o jornalista Dom Phillips e o indigenista Bruno Pereira estariam transitando em área restrita sem a devida autorização do órgão no momento em que desapareceram. Isso, no entanto, é falso. A permissão só seria necessária se estivessem circulando em terra indígena demarcada, o que não aconteceu. Conforme relatou a Univaja (União das Organizações Indígenas do Vale do Javari), Dom e Bruno viajaram para o lago do Jaburu no dia 3 de junho. No dia 5, os dois iriam retornar para o município de Atalaia do Norte (AM), com uma parada na comunidade São Rafael. Eles foram vistos no local por volta das 6h e depois retomaram a viagem em direção à cidade, onde deveriam ter chegado por volta das 8h. Em nota ao Aos Fatos, o ISA afirmou que Dom e Bruno “desapareceram no rio Itaquaí, próximos às comunidades de São Gabriel e Cachoeira. Portanto, fora da Terra Indígena do Vale do Javari e muito próximo da cidade de Atalaia do Norte”.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

Tema: Outros. Origem: Entrevista

15.jun.2022

“Cobravam R$ 160 por mês de 4.000 pobres que empurravam o carrinho dentro da feira.”

Bolsonaro se refere a uma ação adotada pelo presidente da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), coronel Mello Araújo, em novembro de 2020, mas exagera os valores pagos por carregadores para que seus carrinhos permanecessem no galpão. Antes da medida, era cobrada uma taxa de R$ 60 mensais; posteriormente, a permanência passou a ser gratuita.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 5 VEZES. Em 2021: 11.fev. Em 2022: 07.fev, 25.abr, 15.jun, 19.jun.

Tema: Economia. Origem: Entrevista

15.jun.2022

“Em 2018, o Datafolha falou que eu perdia pra qualquer um, se fosse para o segundo turno.”

Pesquisa divulgada pelo Datafolha em 28 de setembro de 2018 de fato mostrava que o então deputado Jair Bolsonaro perderia em todos os cenários de segundo turno nas eleições presidenciais. Bolsonaro, no entanto, é impreciso ao omitir que a pesquisa eleitoral registra as intenções do eleitor em um determinado momento e que os institutos fizeram outros levantamentos nas semanas posteriores que indicavam a vitória do atual presidente nas eleições. O Datafolha, por exemplo, mostrou que as intenções de voto em Bolsonaro cresciam e que ele seria o provável primeiro colocado no primeiro turno. Em pesquisa publicada na véspera da primeira votação, o instituto apontou que Bolsonaro tinha 40% das intenções de votos válidos, contra 25% de Haddad. O resultado nas urnas foi próximo a esse: Bolsonaro teve 46% dos votos, e Haddad, 29%.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 15 VEZES. Em 2019: 02.set, 11.out, 09.dez, 10.dez. Em 2020: 16.jan. Em 2021: 30.jan, 10.jun, 25.jun, 12.jul, 17.ago, 23.set, 25.nov. Em 2022: 31.jan, 15.jun.

Tema: Eleições. Origem: Entrevista

13.jun.2022

“Nós tentamos, nos primeiros dois anos nossos, uma lei de regularização fundiária, mas o presidente da Câmara, o nosso querido Rodrigo Maia, era uma pessoa que era muito ligada à esquerda e não conseguimos. O que que a gente poderia conseguir, caso aprovasse isso? Qualquer foco de calor, em qualquer lugar do Brasil, você ia ter quem era o dono daquele pedaço de terra, o CPF daquela pessoa. Então, você poderia saber se aquele incêndio foi criminoso ou não e tomar as providências.”

Bolsonaro sugere que o projeto de lei 2.633/2020, que trata da regularização fundiária, permitiria a órgãos de fiscalização determinar a origem de focos de incêndio e responsabilizar os culpados, o que não é amparado por documentos oficiais. O texto, na verdade, amplia o tamanho das propriedades que podem ser regularizadas sem vistoria prévia e prevê que essas terras passem a ser vistoriadas caso a propriedade seja alvo de termo de embargo ou de infração ambiental, lavrado pelo órgão ambiental federal. Apesar de o projeto definir parâmetros de respeito ao meio ambiente para a regularização de terras, não é possível afirmar que a legislação ajudaria a identificar autores de crimes ambientais. Para ambientalistas e o Ministério Público, o texto faz justamente o contrário: legitima a grilagem e facilita a regularização de terras desmatadas. A proposta foi apresentada em maio de 2020 para substituir a Medida Provisória 910, que tratava do mesmo tema, e caducou por não ter sido votada pelo Congresso.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 22 VEZES. Em 2020: 03.set, 22.set, 19.nov, 10.dez, 17.dez, 24.dez. Em 2021: 15.jan, 21.jan, 08.fev, 22.abr, 23.abr, 01.nov, 19.nov. Em 2022: 31.jan, 23.fev, 11.abr, 12.abr, 16.abr, 13.jun, 22.jun.

Tema: Congresso. Origem: Entrevista

13.jun.2022

“Em 2018, se você fosse olhar pesquisa, eu não passaria pro segundo turno e, se passasse, perderia pra qualquer um no segundo turno. ”

Pesquisa divulgada pelo Datafolha em 28 de setembro de 2018 de fato mostrava que o então deputado Jair Bolsonaro perderia em todos os cenários de segundo turno nas eleições presidenciais. De forma similar, o Ibope apontava em 24 de setembro para a derrota de Bolsonaro em eventual segundo turno contra Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT) ou Geraldo Alckmin (PSDB) e o empate com Marina Silva (Rede). Bolsonaro, no entanto, é impreciso ao omitir que a pesquisa eleitoral registra as intenções do eleitor em um determinado momento e que os institutos fizeram outros levantamentos nas semanas posteriores que indicavam a vitória do atual presidente nas eleições. O Datafolha, por exemplo, mostrou que as intenções de voto em Bolsonaro cresciam e que ele seria o provável primeiro colocado no primeiro turno. Em pesquisa publicada na véspera da primeira votação, o instituto apontou que Bolsonaro tinha 40% das intenções de votos válidos, contra 25% de Haddad. O resultado nas urnas foi próximo a esse: Bolsonaro teve 46% dos votos, e Haddad, 29%. Já na véspera do segundo turno, o Ibope publicou que Bolsonaro venceria as eleições com 53,4% dos votos válidos, contra 46,6% de Haddad, o que de fato aconteceu.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 5 VEZES. Em 2022: 12.fev, 07.mar, 16.abr, 25.mai, 13.jun.

Tema: Eleições. Origem: Entrevista

13.jun.2022

“Você faz a transação com o Pix, hoje em dia, você não paga taxa de nada. ”

É imprecisa a afirmação de Bolsonaro de que usuários do Pix não pagam taxas. No caso de pessoas físicas, MEIs ou EIs, o envio de Pix não é tarifado, mas é possível que haja cobranças no recebimento no caso de operações de compra e venda e prestação de serviços. Enquadram-se nesses casos pessoas que receberam mais de 30 Pix por mês, receberam valores por QR Code dinâmico ou receberam Pix de outras empresas. Uma operação também é considerada comercial quando a conta bancária a que se destina o valor foi cadastrada como exclusivamente comercial. Já no caso de pessoas jurídicas, tanto o envio como o recebimento de Pix podem ser tarifados. A cobrança das tarifas pode ser livremente definida pelas instituições financeiras.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 12 VEZES. Em 2022: 16.fev, 23.fev, 24.fev, 07.mar, 10.mar, 04.abr, 11.abr, 28.abr, 29.abr, 10.jun, 13.jun, 28.jun.

Tema: Economia. Origem: Entrevista

13.jun.2022

“Você que é uma pessoa pobre, humilde, você quer que seu filho de cinco, seis, sete anos de idade aprenda na escola a fazer sexo com essa idade? Que chama ideologia de gênero, quer que teu filho que chama Severino, que tem seis anos de idade, diga se se for chamado de de Maria é tudo bem, é legal?”

Bolsonaro frequentemente associa as políticas educacionais adotadas durante governos do PT com a "ideologia de gênero", termo usado desde o final dos anos 1990 para criticar discussões relacionadas a gênero e sexualidade. Segundo setores conservadores, essa suposta ideologia faria parte de um plano para minar os conceitos de heterossexualidade e família cristã. No Brasil, a teoria ganhou notoriedade à época do projeto Escola sem Homofobia, que tinha por objetivo promover a aceitação e a diversidade sexual entre adolescentes do ensino médio. Intensamente combatido por setores religiosos e conservadores, o projeto não foi adiante, mas a narrativa enganosa de que as gestões petistas incentivaram a sexualização precoce em crianças se perpetuaram, em especial no discurso do agora presidente Jair Bolsonaro. A teoria da "ideologia de gênero", no entanto, não existe, e não há quaisquer políticas públicas relacionadas a ela no Brasil. Também não houve qualquer política nos governos do PT para ensinar crianças do sexo masculino a não serem “meninos”, tampouco que ensine crianças de cinco a sete anos a terem relações sexuais.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 19 VEZES. Em 2019: 01.jan. Em 2021: 21.out, 10.nov, 22.nov, 14.dez. Em 2022: 14.jan, 07.mar, 10.mar, 16.mar, 05.mai, 19.mai, 25.mai, 27.mai, 30.mai, 07.jun, 08.jun, 13.jun, 17.jun.

Tema: Ideologia. Origem: Entrevista

13.jun.2022

“Quando todo mundo fala que a totalização, o defeito é a sala cofre. É uma sala secreta que ninguém entra lá. São vinte e poucos servidores, ninguém entra lá.”

Bolsonaro sugere que o processo de totalização dos votos das eleições seja feito em uma sala secreta, o que é falso. A contabilização é acompanhada por partidos políticos, pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e por outras entidades fiscalizadoras, que podem apontar eventuais problemas ou inconsistências no processo. Como explica o tribunal, a totalização dos votos é feita automaticamente por um programa da Justiça Eleitoral, que checa e soma os dados criptografados enviados pelos TREs (Tribunais Regionais Eleitorais). Além disso, os interessados em fiscalizar a votação podem se inscrever para acompanhar o desenvolvimento dos sistemas, participar do teste público de segurança, acompanhar a preparação das urnas e o teste de integridade da votação. Outra maneira de auditar a totalização é verificar os boletins de urna impressos e compará-los com o resultado virtual da apuração. Em 2022, esses boletins ficarão disponíveis online em tempo real.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 10 VEZES. Em 2021: 22.jul, 02.ago, 09.ago, 11.ago, 12.ago, 23.ago. Em 2022: 16.abr, 07.jun, 13.jun.

Tema: Eleições. Origem: Entrevista

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.