Poster do agregador

24.jun.2022

“O governo federal comprou todas as doses aplicadas no Brasil.”

A declaração de Bolsonaro é falsa, porque governadores de seis estados também adquiriram vacinas para acelerar suas respectivas campanhas de imunização contra a Covid-19. Além disso, o governo federal recebeu cerca de 3 milhões de doses como doação dos Estados Unidos, o que não configura operação de compra. Em julho de 2021, o governo de São Paulo anunciou a compra de 4 milhões de doses extras da CoronaVac para antecipar o calendário de imunização contra no estado. Poucos meses depois, em setembro, cinco estados firmaram um acordo com o Instituto Butantan para a compra de doses adicionais: Ceará, Mato Grosso, Pará, Piauí e Espírito Santo. Com exceção de Mato Grosso, que não prosseguiu com a aquisição, todos os outros estados receberam as doses encomendadas.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 15 VEZES. Em 2021: 11.dez. Em 2022: 17.jan, 31.jan, 02.fev, 03.fev, 08.fev, 09.fev, 16.fev, 24.fev, 16.mar, 21.mar, 25.abr, 24.jun, 14.jul, 20.jul.

Tema: Coronavírus. Origem: Discurso

Em 1.311 dias como presidente, Bolsonaro deu 5.909 declarações falsas ou distorcidas

Esta base agrega todas as declarações de Bolsonaro feitas a partir do dia de sua posse como presidente. As checagens são feitas pela equipe do Aos Fatos semanalmente.

Atualizado em 04 de Agosto, 2022


Explore as afirmações

Filtros

Por tema

Por origem

Ordenar por

04.ago.2022

“Deixo claro que o meu governo já quase que dobrou o número de CACs desde 2019 pra cá. ”

A alegação de Bolsonaro subestima o número de pessoas registradas como CACs (Caçadores, Atiradores e Colecionadores) no Brasil durante o seu governo. O total mais que triplicou entre 2018 e 2022: de acordo com dados do Anuário de Segurança Pública, eram 117.467 registros no último ano de gestão de Michel Temer (MDB). Três anos depois, em junho de 2022, são 673.818 pessoas registradas como CACs.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2022: 11.jul, 28.jul, 04.ago.

Tema: Segurança. Origem: Live

04.ago.2022

“Mas o roubo de celular, que é estimulado por uma pessoa, que disse há pouco tempo que quem rouba celular quer apenas tomar uma cervejinha no final da tarde.”

Bolsonaro distorce o conteúdo de uma declaração dada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em um discurso em São Bernardo do Campo (SP) em 9 de novembro de 2019. Na ocasião, ao repudiar a violência policial contra menores, Lula disse: "Eu não posso mais ver jovem de 14, 15 anos assaltando e sendo violentado, assassinado pela polícia, às vezes sendo inocente, às vezes porque roubou um celular". Diferentemente do que sugere Bolsonaro, portanto, Lula não tratou o roubo como um "direito" do bandido.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 10 VEZES. Em 2019: 12.dez. Em 2021: 15.out, 27.out. Em 2022: 13.jul, 21.jul, 24.jul, 01.ago, 04.ago.

Tema: Ideologia, Segurança. Origem: Live

03.ago.2022

“Até quando certos direitos foram suprimidos por alguns prefeitos e governadores, direitos esses que nem eu, caso tivesse o apoio do Parlamento e aprovasse um decreto de estado de sítio, teria esse poder.”

Ao criticar uma vez mais as medidas adotadas por governadores e prefeitos durante a pandemia de Covid-19, o presidente afirma que as determinações de isolamento social e fechamento do comércio seriam restritivas demais até no caso de um decreto de estado de sítio, previsto na Constituição para situações de guerra ou de grave repercussão nacional. A declaração, no entanto, é falsa, porque essas determinações estão previstas em uma lei federal de combate à Covid-19 assinada pelo próprio presidente. O artigo 3º da lei nº 13.979/2020 prevê que governadores e prefeitos possam adotar medidas de isolamento e quarentena com o objetivo de frear a pandemia em seus territórios. Essas ações, segundo decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), não precisam de aprovação da União, mas devem ter fundamentação técnica e garantir a locomoção de produtos e serviços essenciais. Isso, portanto, é completamente diferente do estado de sítio citado por Bolsonaro, que é decretado pelo presidente da República, mas precisa de maioria absoluta do Congresso Nacional para entrar em vigor. A medida suspende temporariamente a atuação dos outros dois poderes e permite que o presidente determine a obrigação de permanência em determinado local, a detenção em edifício não destinado a acusados ou condenados por crimes comuns e a suspensão da liberdade de reunião.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 19 VEZES. Em 2021: 04.mar, 11.mar, 18.mar, 19.mar, 22.mar, 30.mar, 31.mar, 01.abr, 07.abr, 14.abr, 28.abr, 29.jul. Em 2022: 03.ago.

Tema: Coronavírus. Origem: Discurso

03.ago.2022

“Aqueles que dizem que vão colocar padres e pastores nos seus devidos lugares.”

Bolsonaro faz menção ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e reproduz o conteúdo de uma peça de desinformação que circula nas redes e já foi desmentida pelo Aos Fatos. A publicação edita um trecho da fala do ex-presidente durante um evento em Natal, em 25 de agosto de 2021, para afirmar que o petista pretende censurar padres e pastores. Na gravação original, no entanto, Lula afirma que, caso reeleito, vai conversar com as Forças Armadas para limitar a participação de militares da ativa no governo federal e que essa conversa ocorrerá do mesmo modo que ocorre com outros eleitores, como “padres, pastores e ateus”. O trecho completo da fala é o seguinte: “E tem gente que pergunta: mas Lula, você vai conversar com as Forças Armadas? Eu estou conversando com as Forças Armadas agora, com essa resposta que eu estou dando para você. Eu estou conversando com quem é das Forças Armadas, eu estou conversando com quem é do Ministério Público, eu estou conversando com quem é da Polícia Federal, eu estou conversando com quem é pastor, com quem é padre, com quem é ateu. Eu vou conversar com todo mundo enquanto povo brasileiro, enquanto eleitores. Se eu ganhar as eleições, aí eu vou conversar com os militares como chefe das Forças Armadas, como chefe supremo, para dizer qual é o papel deles: não é se intrometer na política, porque isso não está certo. Nem hoje, nem ontem, nem antes de ontem. Eles têm que entender que eles têm um papel importante na defesa da soberania brasileira e na defesa do bem estar do povo brasileiro. O que eles não podem é dar sustentação a um genocida que já é responsável por quase 600 mil mortes nesse país".

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2022: 11.jul, 13.jul, 03.ago.

Tema: Ideologia. Origem: Discurso

03.ago.2022

“Aqueles que falam em ideologia de gênero com uma tremenda naturalidade. Nós não podemos admitir que crianças com cinco, seis anos de idade sejam sexualizadas em sala de aula. ”

Bolsonaro frequentemente associa as políticas educacionais adotadas do PT com a "ideologia de gênero", termo usado desde o final dos anos 1990 para criticar discussões relacionadas a gênero e sexualidade. Segundo setores conservadores, essa suposta ideologia faria parte de um plano para minar os conceitos de heterossexualidade e família cristã. No Brasil, a teoria ganhou notoriedade à época do projeto Escola sem Homofobia, que tinha por objetivo promover a aceitação e a diversidade sexual entre adolescentes do ensino médio. Intensamente combatido por setores religiosos e conservadores, o projeto não foi adiante, mas a narrativa enganosa de que as gestões petistas incentivaram a sexualização precoce em crianças se perpetuaram, em especial no discurso do agora presidente Jair Bolsonaro. A teoria da "ideologia de gênero", no entanto, não existe, e não há quaisquer políticas públicas relacionadas a ela no Brasil.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 32 VEZES. Em 2019: 01.jan. Em 2021: 21.out, 10.nov, 22.nov, 14.dez. Em 2022: 14.jan, 12.fev, 07.mar, 10.mar, 16.mar, 05.mai, 19.mai, 25.mai, 27.mai, 30.mai, 06.jun, 07.jun, 08.jun, 09.jun, 13.jun, 14.jun, 17.jun, 18.jun, 22.jun, 26.jun, 02.jul, 14.jul, 20.jul, 03.ago.

Tema: Ideologia. Origem: Discurso

02.ago.2022

“Você pega 2014, 2015: perdeu-se no Brasil quase 3 milhões de carteiras assinadas.”

É falso que o Brasil tenha perdido 3 milhões de empregos formais entre 2014 e 2015, como aponta o presidente. De acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), o saldo de carteiras assinadas em 2014 e 2015 foi, respectivamente, de +420 mil e -1,54 milhão. Isso significa que, ao longo dos dois anos, foram perdidos 1,1 milhão de empregos formais, e não 3 milhões.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 11 VEZES. Em 2022: 02.jun, 19.jun, 23.jun, 26.jun, 05.jul, 12.jul, 20.jul, 25.jul, 28.jul, 01.ago, 02.ago.

Tema: Economia. Origem: Entrevista

02.ago.2022

“2020 e 2021, com pandemia, criou-se no Brasil quase 3 milhões de empregos.”

Segundo os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência, foram geradas 2.730.597 vagas de trabalho no mercado formal em 2021. Em 2020, no entanto, não houve saldo positivo: foram fechados 191.500 postos de trabalho. No total, foram criados 2,5 milhões de empregos, um número menor do que o citado por Bolsonaro.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 11 VEZES. Em 2022: 02.jun, 19.jun, 30.jun, 05.jul, 12.jul, 13.jul, 20.jul, 21.jul, 25.jul, 02.ago.

Tema: Economia. Origem: Entrevista

02.ago.2022

“Não foi no meu governo. A mina de nióbio de Catalão, Goiás foi vendida pra China.”

Ao mencionar a produção de nióbio brasileira, o presidente afirma que a mina de Catalão (GO) foi vendida, o que não é verdade. Segundo a Constituição brasileira, os recursos minerais do país pertencem à União e, portanto, não podem ser vendidos. Terrenos para exploração são cedidos a empresas por meio de autorização, licenciamento, concessão ou partilha, conforme explica a CPRM (Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais). Em 2016, a empresa chinesa CMOC adquiriu as operações de nióbio e fosfato da Anglo American, uma empresa com sede em Londres e que atuava no Brasil desde a década de 1960. Uma de suas atuações é em Catalão (GO).

FONTE ORIGEM

REPETIDA 7 VEZES. Em 2020: 01.out. Em 2021: 06.mai, 07.nov. Em 2022: 07.abr, 10.jun, 21.jul, 02.ago.

Tema: Economia. Origem: Entrevista

02.ago.2022

“Lamento a oficialização do uso da "linguagem neutra" pela Argentina.”

É falso que o governo argentino tenha oficializado a linguagem neutra no país, como afirma o presidente Jair Bolsonaro. Contatada pela Folha de S.Paulo, a embaixada da Argentina negou a alegação. A única iniciativa similar foi adotada pelo Ministério de Obras Públicas argentino, que determinou em resolução "o uso da linguagem e da comunicação não sexista e inclusiva como formas expressivas válidas nas produções, documentos, registros e atos administrativos de todos os âmbitos desse ministério". Em junho, inclusive, a prefeitura de Buenos Aires proibiu o uso da linguagem neutra nas escolas. O motivo, segundo o prefeito Horacio Rodríguez Larreta, seria simplificar o aprendizado das crianças e lidar com a queda na compreensão de leitura ocorrida por conta da pandemia. A decisão foi criticada por autoridades nacionais e sindicatos de professores.

FONTE ORIGEM

Tema: Ideologia. Origem: Twitter

02.ago.2022

“90% dos títulos da reforma agrária são dados a mulheres.”

A alegação de Bolsonaro, referente aos títulos de propriedade emitidos em seu governo, não pode ser sustentada pelos dados oficiais disponíveis. Ainda que a Instrução Normativa nº 38, de 13 de março de 2007, determine que o nome da mulher deve constar como primeiro titular da unidade familiar nos títulos de propriedade emitidos pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), o instituto afirmou ao Aos Fatos que a informação sobre o gênero dos beneficiados não está disponível de forma discriminada em sua base de dados. "O sistema não permite a filtragem específica. Portanto, o levantamento de tal dado demandaria busca e estratificação manual com custo e esforço desproporcional por parte do Instituto".

FONTE ORIGEM

REPETIDA 12 VEZES. Em 2022: 15.jul, 17.jul, 19.jul, 20.jul, 23.jul, 24.jul, 25.jul, 27.jul, 28.jul, 02.ago.

Tema: Direitos e Assistência Social. Origem: Entrevista

02.ago.2022

“Outra coisa, a criação do Pix nosso em 2020 (...)”

Bolsonaro afirma mais uma vez que o Pix foi uma criação de seu governo, o que não é verdade. Apesar de ter sido lançado em novembro de 2020, durante a sua gestão, o Pix começou a ser estudado pelo Banco Central em 2016 e teve suas principais diretrizes definidas em 2018, ainda durante o governo de Michel Temer (MDB). Em dezembro de 2016, o então presidente da instituição, Ilan Goldfajn, afirmou à imprensa que o BC se preparava para lançar uma ferramenta inspirada no Zelle, modelo de pagamentos instantâneos anunciado por uma fintech dos EUA. Ainda em 2016, servidores do banco produziram um relatório sobre os possíveis benefícios desse tipo de sistema, que passou a ser mais discutido ao longo de 2017. Por fim, em maio de 2018, foi instituído um grupo de trabalho chamado "Pagamentos Instantâneos", que estabeleceu as principais diretrizes para o que viria a ser o Pix. Posteriormente, já no início do governo Bolsonaro, foram realizados processos técnicos de desenvolvimento de sistema e criação da marca, segundo nota enviada pelo Banco Central ao UOL.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 10 VEZES. Em 2022: 05.mai, 17.mai, 30.mai, 28.jun, 01.jul, 05.jul, 13.jul, 15.jul, 28.jul, 02.ago.

Tema: Economia. Origem: Entrevista

02.ago.2022

“E nós não podemos desamparar esses mais humildes que perderam, sim, com a inflação, que veio daquela política 'fica em casa, a economia a gente vê depois'.”

Bolsonaro exagera ao desconsiderar fatores internos e dizer que a alta de preços ocorreu apenas por causa das restrições de circulação implementadas durante a pandemia de Covid-19. Economistas ouvidos por Aos Fatos citam, como fatores que contribuem para a escalada da inflação, a instabilidade política, perda de credibilidade do governo e problemas estruturais. Um panorama fiscal publicado em dezembro do ano passado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) citou que a percepção de risco fiscal elevada, agravada pelas contas públicas deficitárias, representava um fator negativo para o ritmo de crescimento da economia e contribui para a desvalorização do real. Em 2021, a moeda brasileira foi a 12ª que mais se desvalorizou, repetindo o desempenho negativo do ano anterior. Alex Agostini, economista-chefe da Austin Rating, lembra que diversos produtos consumidos no Brasil são sensíveis à variação cambial, como os combustíveis, mas também há participação dos preços de serviços e dos preços administrados pelo governo. Outros fatores citados são as limitações na infraestrutura logística e a baixa produtividade da indústria. É fato, porém, que as questões globais influenciam na alta de preços. De acordo com Feldman, o setor industrial foi afetado diretamente pela pandemia de Covid-19, o que gerou escassez de peças utilizadas em eletrônicos e automóveis e pressionou os preços, pela alta demanda.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 11 VEZES. Em 2022: 02.mai, 11.mai, 14.mai, 15.mai, 19.mai, 30.mai, 02.jun, 03.jul, 20.jul, 02.ago.

Tema: Economia. Origem: Entrevista

02.ago.2022

“Eu fui contra isso daí. Devíamos tratar a questão do vírus e manutenção de emprego da mesma forma.”

De fato, Bolsonaro tem destacado desde o início da pandemia, em março de 2020, que haveria dois problemas para o Brasil, um de saúde pública e um econômico, e que os dois deveriam ser tratados simultaneamente. Em levantamento feito nas redes e nas falas do presidente, o Aos Fatos identificou o início de declarações do tipo no dia 15 de março de 2020, data de uma entrevista à CNN Brasil. O presidente, porém, nunca tratou as duas questões com o mesmo peso, já que, desde o início do surto de Covid-19 no Brasil, tem minimizado os efeitos da doença e criticado suas principais formas de prevenção. Em diversas entrevistas e declarações públicas, Bolsonaro relacionou a doença a uma “gripezinha” e chegou a dizer em discurso que o isolamento social seria “conversinha mole” e que as medidas de restrição de circulação seriam para “os fracos”. O presidente também ataca reiteradamente as vacinas, que afirma serem experimentais e não terem comprovação científica. Por todos esses motivos, sua declaração é falsa.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 111 VEZES. Em 2020: 10.set, 16.set, 22.set, 08.out, 11.out, 14.out, 19.out, 27.out, 11.nov, 16.nov, 17.nov, 27.nov, 15.dez, 24.dez. Em 2021: 14.jan, 15.jan, 27.jan, 28.jan, 03.fev, 04.fev, 05.fev, 08.fev, 11.fev, 12.fev, 19.fev, 20.fev, 22.fev, 23.fev, 26.fev, 03.mar, 04.mar, 10.mar, 18.mar, 22.mar, 23.mar, 25.mar, 31.mar, 01.abr, 05.abr, 07.abr, 15.abr, 23.abr, 26.abr, 20.mai, 23.mai, 01.jun, 02.jun, 10.jun, 12.jun, 18.jun, 25.jun, 26.jun, 28.jun, 19.jul, 20.jul, 21.jul, 29.jul, 30.jul, 31.jul, 06.ago, 12.ago, 17.ago, 23.ago, 25.ago, 26.ago, 28.ago, 30.ago, 02.set, 10.set, 21.set, 29.set, 30.set, 07.out, 14.out, 21.out, 26.out, 27.out, 07.nov, 11.nov, 25.nov, 02.dez, 07.dez, 09.dez, 17.dez, 27.dez. Em 2022: 02.fev, 28.fev, 07.mar, 12.mar, 08.abr, 11.abr, 12.abr, 16.abr, 28.abr, 05.mai, 12.mai, 13.mai, 17.mai, 01.jul, 24.jul, 02.ago.

Tema: Coronavírus, Economia. Origem: Entrevista

02.ago.2022

“O salário dele [médico cubano], 80% era retido.”

É fato que o governo cubano recebia uma porcentagem do salário dos médicos integrantes do programa Mais Médicos, mas não é possível determinar o montante exato. Declarações públicas do ministro da Saúde do governo Dilma Rousseff, Arthur Chioro, e documentos apensados a processos judiciais de médicos cubanos indicam que era em torno de 70% do valor da bolsa recebida pelos profissionais. Não há, no entanto, informações oficiais públicas sobre qual era de fato a porcentagem. Aos Fatos, em checagem anterior, entrou em contato com o Ministério da Saúde e com a embaixada de Cuba, mas não recebeu respostas sobre os repasses feitos ao governo.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 9 VEZES. Em 2019: 27.mar, 24.set. Em 2021: 13.jul, 22.jul, 17.ago, 10.set. Em 2022: 18.abr, 22.jun, 02.ago.

Tema: Saúde. Origem: Entrevista

02.ago.2022

“Eu não deixei fechar as universidades militares. É a Academia Militar das Agulhas Negras, Academia da Força Aérea e Escola Naval.”

Ao comentar sobre a interrupção das aulas durante a pandemia de Covid-19, Bolsonaro cita academias militares como exemplos de instituições que não interromperam suas atividades. Isso, no entanto, é falso, porque as três academias informadas suspenderam suas aulas em 2020 devido a surtos da doença entre alunos ou por decisão judicial. No dia 8 de maio de 2020, a Academia Militar das Agulhas Negras suspendeu as aulas por um mês após a confirmação de 25 casos de Covid-19 entre cadetes e militares. Caso semelhante também ocorreu na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (chamada de Academia da Força Aérea), que instituiu férias de um mês após o registro de nove casos de infecção entre alunos. Já a Escola de Aprendizes-Marinheiros (chamada de Escola Naval) foi fechada por decisão judicial no dia 25 de maio do mesmo ano, após mandado de segurança impetrado por grupos sindicais.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 21 VEZES. Em 2020: 20.ago, 04.set. Em 2021: 01.jul, 26.jul, 07.out. Em 2022: 16.abr, 28.abr, 03.mai, 05.mai, 11.mai, 13.mai, 15.mai, 27.mai, 30.mai, 13.jun, 19.jun, 20.jun, 05.jul, 20.jul, 02.ago.

Tema: Coronavírus, Forças Armadas. Origem: Entrevista

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.