Vídeo que mostra pai desesperado em hospital é de 2019 e sem relação com vacinas

Por Marco Faustino

26 de janeiro de 2022, 16h18

Um vídeo de 2019 que mostra o desespero de um homem após saber que mulher e filha morreram em uma maternidade no Amazonas circula nas redes como se registrasse reação de um pai à morte do filho em razão da vacina contra Covid-19 na Paraíba (veja aqui). Além de registros atestarem que a gravação é antiga, os governos dos dois estados negaram a existência de óbitos causados pelos imunizantes em crianças e adolescentes.

Publicações com a falsa atribuição do vídeo somavam ao menos centenas de compartilhamentos no Facebook nesta quarta-feira (26).


Selo falso

Pai se desespera na Paraíba vendo a morte de seu filho pela vacina

Post enganoso diz que criança morreu após vacina

Não é verdade que o vídeo que circula nas postagens checadas seja recente e que mostre o desespero de um pai na Paraíba após a morte do filho em consequência da vacina contra Covid-19. A gravação foi feita em 16 de fevereiro de 2019 na maternidade Balbina Mestrinho, em Manaus (AM). O homem tinha recebido a notícia das mortes da mulher e da filha durante o parto, segundo a Secretaria estadual de Saúde amazonense.

Aos Fatos identificou, por meio de busca reversa, que o vídeo foi publicado em 2019 originalmente pelo portal manauara Em Tempo. As imagens mostram o momento em que o homem fica sabendo das mortes, se desespera e tenta quebrar uma máquina de lanches. Na época, a imprensa noticiou que familiares acusaram a maternidade de negligência devido à demora no atendimento médico.

Além do vídeo ser antigo e sem relação com vacinas, as secretarias estaduais de Saúde de Amazonas e Paraíba informaram na terça-feira (25) que não registraram efeitos adversos graves ou mortes em crianças ou adolescentes em razão da vacina contra Covid-19.

Esta peça de desinformação também já foi checada por AFP Checamos, Comprova e Lupa.

Referências:

1. Em Tempo
2. Amazonas Atual


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.