Vídeo não mostra comboio do Exército brasileiro na fronteira com a Venezuela

Por Luiz Fernando Menezes

1 de dezembro de 2023, 15h21

Não foi registrado na fronteira entre Brasil e Venezuela o vídeo que mostra uma fila de veículos militares brasileiros circulando por uma área urbana. Além de o Exército ter negado, em nota ao Aos Fatos, que a gravação tenha sido feita na fronteira, indícios presentes nas imagens atestam que o vídeo foi registrado em Cristalina (GO).

O vídeo com o falso contexto tem sido compartilhado principalmente no TikTok, onde acumula mais de 700 mil visualizações até a tarde desta sexta-feira (1º). As peças de desinformação circulam também no WhatsApp, plataforma na qual não é possível estimar o alcance dos conteúdos (fale com a Fátima).


Selo falso

Divisa Brasil/Venezuela HOJE.

Vídeo que mostra veículos militares e tanques de guerra circula no TikTok com legenda que diz que gravação foi feita na fronteira com a Venezuela

Um vídeo gravado em Cristalina (GO) tem sido compartilhado nas redes como se mostrasse a movimentação do Exército brasileiro na fronteira entre Brasil e Venezuela. As peças sugerem que os militares brasileiros estariam se preparando para entrar em confronto com o país vizinho, que ameaçou invadir a Guiana.

Aos Fatos não identificou a publicação original, mas, por meio de busca reversa, encontrou uma versão mais extensa da gravação. Indícios presentes nas imagens atestam que a filmagem foi feita no interior de Goiás, a mais de 4.000 km de distância da fronteira entre Brasil e Venezuela:

  • Os postes e placas que aparecem no vídeo são idênticos aos localizados na rua Inácio Jorge dos Santos (veja abaixo), que contorna o setor militar de Cristalina;
  • Os carros que aparecem no vídeo têm placas registradas em Cristalina;
  • E na versão maior do vídeo é possível ver a Borracharia Felipe, localizada nas proximidades do batalhão.

Comparação entre frame de vídeo e imagem do Google Maps da cidade de Cristalina (GO) com destaques para os postes e placas
Indícios. Postes e placas que aparecem na gravação (à esq.) são os mesmos que estão localizados nas proximidades do setor militar de Cristalina (Reprodução/Google Maps)

Questionado, o Exército confirmou, em nota, que o vídeo não foi feito na fronteira com a Venezuela. O Aos Fatos também perguntou qual é o contexto real da gravação, mas não recebeu resposta.

Leia mais
Nas Redes Vídeo mostra confronto na Colômbia, não venezuelanos atravessando Brasil para invadir Guiana

É fato, no entanto, que o Brasil reforçou o efetivo militar em Pacaraima: segundo informações divulgadas pela imprensa, o Exército enviou mais 60 militares para manter vigilância na fronteira após Nicolás Maduro ameaçar invadir a Guiana para tomar uma parte de seu território. O ditador convocou para o próximo domingo (3) um referendo popular para decidir se o país deve tentar anexar Essequibo, território que corresponde a cerca de 74% da área do país vizinho.

Referências:

1. Google Maps
2. X (@NicolasMaduro)
3. G1

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.