Vídeo mostra protesto de mulheres no Chile em 2019, não comemoração por vitória de Boric

Por Marco Faustino

22 de dezembro de 2021, 13h05

Um vídeo que mostra mulheres em cima de um monumento com roupas com uma espécie de rabo de cavalo tem sido compartilhado nas redes sociais como se fosse de uma comemoração recente pela vitória de Gabriel Boric à Presidência do Chile (veja aqui). No entanto, o registro é de 2019 e mostra um protesto do coletivo artístico Yeguada Latinoamericana contra o estado de emergência decretado pelo governo do presidente Sebastián Piñera, em razão de uma onda de manifestações em outubro daquele ano.

O conteúdo enganoso acumulava ao menos mil compartilhamentos no Facebook nesta quarta-feira (22).


Selo falso

O Lula chileno (esquerda) ganhou no Chile. Isso é só uma comemoração da vitória da esquerda agora a pouco em Santiago. Imagine o que virá depois, que Deus proteja o chileno de bem.

Postagens nas redes têm compartilhado um vídeo que mostra mulheres vestidas com roupas com um rabo de cavalo como se fosse de uma manifestação em comemoração à vitória de Gabriel Boric à Presidência do Chile. Porém, as imagens são de outubro de 2019 e mostram um protesto do coletivo artístico Yeguada Latinoamericana contra o governo de Sebastián Piñera.

Aos Fatos encontrou o mesmo vídeo publicado por veículos de imprensa e nas redes sociais (confira aqui e aqui), em outubro de 2019. As cenas mostram uma performance intitulada “Estado de Rebeldía II” (confira aqui e aqui), realizada entre os dias 20 e 22 de outubro daquele ano, nas imediações da praça Baquedano, região central de Santiago, capital do país. Aos Fatos não localizou ações recentes do coletivo após a vitória de Boric no último domingo (19).

O ato ocorreu em meio a uma onda de manifestações no Chile em 2019, que foi deflagrada por uma mobilização estudantil contra o aumento das passagens de metrô em Santiago. Os protestos se espalharam por outras cidades chilenas e abarcaram outras pautas, como mudanças no sistema de pensões e uma nova Constituição.

As manifestações se tornaram violentas em algumas ocasiões, o que motivou o governo de Sebastián Piñera a decretar estado de emergência e toque de recolher em Santiago, além de estado de exceção em algumas regiões do país. O coletivo artístico protestava justamente contra essas medidas do governo, que considerava autoritárias.

O grupo foi fundado em 2017 pela artista Cheril Linett. Segundo ela, o uso de um rabo de cavalo pelas mulheres é para dar uma ideia de ser uma espécie trans. “Não uma mulher, não um homem, mas uma fera mitológica que desobedece à norma, que desobedece ao que é imposto pelas instituições de poder, que se encarregaram de ditar a vida das pessoas, tentando subjugá-las e puni-las em caso de desacato”, disse Linett, em entrevista ao site La Izquierda Diario.

Novo presidente. Ex-líder estudantil e a pessoa mais jovem a se candidatar à Presidência, Gabriel Boric, 35 anos, venceu a eleição no Chile pela Frente Ampla, uma coligação de partidos de esquerda. Ele teve quase 56% dos votos, 10 pontos percentuais a mais que o adversário, o ultradireitista José Antônio Kast.

Referências:

1. Nexo Jornal
2. Instagram (Fontes 1 e 2)
3. Twitter
4. YouTube
5. Facebook
6. Registro Contracultural
7. Revista Rosa
8. Trip Advisor
8. G1 (Fontes 1, 2, 3 e 4)
9. BioBio Chile
10. BBC
11. O Globo
12. La Izquierda Diario


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.