Não é verdade que TV alemã exibiu falso cadáver como se fosse vítima da ômicron

Por Marco Faustino

11 de fevereiro de 2022, 16h41

Publicações nas redes sociais (veja aqui) difundem trecho de uma reportagem da TV austríaca ao alegar que a cena mostraria falsos cadáveres de vítimas da variante ômicron na Alemanha, mas isso não é verdade. As imagens exibem uma performance de manifestantes na Áustria para simbolizar os mortos em razão das mudanças climáticas.

Postagens com o conteúdo enganoso acumulavam ao menos 3.000 compartilhamentos no Facebook nesta sexta-feira (11).


Selo falso

Teatro. Um dos mortos fake se levanta enquanto o repórter anunciava que muita gente está morrendo na Alemanha por Ômicron. Terrorismo midiatico. A gente vê por aqui

Reportagem mostra protesto pelo clima na Áustria

Não procede que uma reportagem da TV alemã tenha revelado sem querer uma farsa em que pessoas vivas foram vestidas em sacos para cadáver para simular mortos pela variante ômicron do novo coronavírus. O vídeo mostra, na realidade, uma performance de ambientalistas na Áustria que simboliza os mortos em razão de mudanças climáticas.

Por meio de busca reversa, Aos Fatos verificou que as cenas originais foram publicadas pela emissora austríaca OEA24 em 4 de fevereiro, no YouTube.

O ato foi promovido pelo Fridays For Future, movimento que reúne estudantes em favor de medidas para enfrentamento da crise climática. Quarenta e nove ativistas se fingiram de mortos para representar o que seria o número de mortos por dia pela falta de políticas do governo austríaco contra as mudanças no clima, segundo o movimento.

Esta peça de desinformação também circulou no Peru e na Espanha, onde foi checada pelo Verificador LR e Maldita.es, respectivamente, e pela Lupa no Brasil.

Referências:

1. YouTube
2. Instagram


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.