Posts enganam ao dizer que homem invadiu escola particular no DF

Compartilhe

Não é verdade que um homem foi preso após invadir e tentar cometer um atentado em uma escola particular no Distrito Federal nesta terça-feira (18). Tanto o colégio quanto a SSP-DF (Secretaria de Segurança Pública) desmentiram a alegação que circula em posts nas redes. Na realidade, a polícia deteve um homem armado que ameaçou o pai de um dos estudantes na porta da escola e que, no mesmo dia, havia intimidado um aluno de outra instituição de ensino.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulavam centenas de compartilhamentos no Facebook nesta quarta-feira (19), além de circularem também no Telegram e no WhatsApp, plataforma na qual não é possível estimar o alcance (fale com a Fátima).


Selo não é bem assim

Homem fantasiado de feiticeira invade escola adventista no Gama e é preso pela polícia militar. Segundo informações, ele estava com facão e teria tentado invadir outra escola

Posts enganam ao afirmar que colégio no Distrito Federal foi invadido por homem que tentou cometer atentado

Posts nas redes enganam ao afirmar que um homem fantasiado invadiu o Colégio Adventista do Gama, no Distrito Federal, na manhã de terça (18) para cometer um atentado. Segundo o colégio e a SSP, não houve qualquer tentativa de entrada na escola. O homem foi preso por ameaçar o pai de um dos estudantes na porta do colégio; algumas horas antes, ele teria tentado intimidar um aluno de outra instituição de ensino próxima. Não houve agressão e ninguém ficou ferido.

“A PM-DF [Polícia Militar do Distrito Federal] esclarece que o homem não entrou nas escolas, como divulgado em redes sociais. De acordo com o policiamento de área, os incidentes ocorreram nos arredores das instituições. Não houve registro de agressão em nenhuma das ocorrências”, diz um trecho da nota da SSP, que classificou os eventos como casos isolados e sem relação com ataques contra escolas.

Por telefone, a secretaria informou que o homem foi detido pela primeira vez nos arredores de um colégio público no Gama por ameaçar um aluno. Conduzido à delegacia, ele assinou um termo circunstanciado e foi liberado. Logo em seguida, no entanto, se deslocou até as imediações do Colégio Adventista e se envolveu na ocorrência que aparece no vídeo compartilhado pelas peças de desinformação.

Compartilhe

Leia também

Por um uso ético da IA no jornalismo

Por um uso ético da IA no jornalismo

falsoBolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

Bolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

falsoFilho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

Filho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas