Governo da Bahia não vendeu 10% do território do estado para chineses

Por Marco Faustino

23 de setembro de 2021, 13h11

Não é verdade que o governo da Bahia vendeu 10% do território do estado para que chineses construam uma cidade nem que o STF (Supremo Tribunal Federal) autorizou o planejamento e o desmatamento da área, como afirmam nas redes (veja aqui). A gestão estadual e a corte negaram a veracidade da alegação, que distorce uma nota veiculada no jornal A Tarde sobre o interesse de empresários da China em propriedades privadas no sul da Bahia para um empreendimento imobiliário.

Publicações com o conteúdo enganoso reuniam ao menos 7.000 compartilhamentos no Facebook nesta quinta-feira (23).


O Governador Petista Rui Costa e o vice-governador da Bahia, João Leão, confirmaram os projetos. Eles venderam aos chineses uma área territorial equivalente a 10% do Estado da Bahia, e já conseguiram autorização junto ao STF para fazer o desmatamento e planejamento para construção da nova cidade. Os chineses vão construir, de forma discreta e minuciosa, uma nova cidade que se chamará China Tow Bahia

Publicações nas redes sociais enganam ao afirmar que o governo baiano vendeu 10% do território do estado para que chineses construam uma cidade chamada China Tow Bahia e que o STF (Supremo Tribunal Federal) autorizou o planejamento e o desmatamento da área. Tanto a gestão estadual quanto a corte negaram a veracidade da alegação.

A peça desinformativa distorce informações publicadas no jornal baiano A Tarde em 9 de maio de 2021 sobre o interesse de empresários chineses em propriedades privadas no sul da Bahia para um projeto apelidado de “cidade dos sonhos”, na Ponta dos Garcez. A região fica entre os municípios de Valença e Jaguaripe, que, somados, abrangem 2.000 km², cerca de 0,35% do território total da Bahia. O jornal também não cita o STF nem os nomes dos potenciais investidores.

A Seplan (Secretaria de Planejamento do Estado da Bahia) afirmou que, atualmente, existem apenas estudos técnicos em fase embrionária para a concepção de um projeto de "cidades inteligentes" na região que será impactada pela ponte Salvador-Ilha de Itaparica. A secretaria ressalta, porém, que o projeto não envolve a venda de terras do governo da Bahia para estrangeiros e tem como referência iniciativas já realizadas em outros países.

O STF informou ao Aos Fatos que não proferiu qualquer decisão que autorize planejamento ou desmatamento de áreas na Bahia.

Referências:

1. A Tarde
2. Bahia Contra o Fake
3. IBGE (1 e 2)


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa

de verificação de fatos do Facebook. Veja aqui como funciona a parceria.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.