Foto de Marcha das Mulheres de 2017 circula como se fosse de protesto pró-Trump

Por Luiz Fernando Menezes

17 de novembro de 2020, 17h02


Uma imagem de uma multidão que vem sendo compartilhada nas redes não mostra uma manifestação feita por apoiadores do presidente americano Donald Trump no último sábado (14). A foto, na verdade, é um registro da Women’s March (Marcha das Mulheres), manifestação pelos direitos das mulheres realizada em janeiro de 2017, logo após Trump assumir a Presidência.

A foto com o falso contexto (veja aqui) aparece em publicações no Facebook que acumulavam mais de 1.100 compartilhamentos até a tarde desta terça-feira (17). Todas foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (veja como funciona).


FALSO

Uma foto que mostra uma multidão nas ruas de Washington tem sido compartilhada nas redes sociais como se fosse o registro da manifestação de apoiadores do presidente Donald Trump ocorrida no último sábado (14). A imagem, que vem acompanhada da legenda “Marcha Pare o Roubo Eleitoral”, no entanto, foi registrada em 2017 e mostra um protesto pelos direitos das mulheres.

Em busca reversa, o Aos Fatos verificou que a mesma foto aparece em publicação de janeiro daquele ano no site de uma das organizadoras da Marcha das Mulheres. Um registro semelhante em vídeo foi publicado no perfil oficial da marcha no Twitter seis meses depois, para relembrar o evento.

Segundo a imprensa local, os manifestantes, na época, também criticavam o presidente Trump, que havia acabado de assumir a Presidência dos EUA. O evento, que ocorreu simultaneamente em diversas cidades do país, reuniu mais de 1 milhão de pessoas, segundo o The New York Times. Em Washington, estimou-se que a adesão passou dos 500 mil.

É fato, no entanto, que apoiadores de Trump saíram às ruas no dia 14 para contestar os resultados das eleições presidenciais e protestar contra uma suposta fraude eleitoral. Fotos da manifestação podem ser vistas nas coberturas da NBC e da NPR, por exemplo. O público, no entanto, não chegou perto do reunido pela Marcha das Mulheres de 2017: as autoridades locais estimaram que cerca de 10 mil pessoas estiveram no protesto.

A AFP Checamos também publicou uma checagem sobre a peça de desinformação.

Referências:

1. Vanessa Wruble.com
2. Twitter (@womensmarch)
3. New York Times
4. NBC
5. NPR (Fontes 1 e 2)

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.