🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

É falso que policial morreu horas depois de ser baleado durante assalto em Criciúma

Por Priscila Pacheco

3 de dezembro de 2020, 16h25

Não é verdade que o policial militar Jeferson Luiz Esmeraldino morreu pouco depois de ser baleado na operação contra o assalto a banco em Criciúma (SC) que ocorreu no dia 30 de novembro, conforme dizem publicações que circulam nas redes sociais (veja aqui). Na quarta-feira (2), a PMSC (Polícia Militar de Santa Catarina) informou que o agente seguia internado na UTI. Até a tarde desta quinta, a polícia não havia divulgado novas informações sobre o caso.

A morte do PM foi divulgada pelo portal Metrópoles na terça-feira (1), mas o veículo de comunicação reconheceu o erro e fez a correção. A informação, no entanto, continuou a circular nas redes sociais em publicações pessoais. Até a tarde desta quinta-feira (3), postagens semelhantes acumulavam mais de 2.500 compartilhamentos no Facebook, onde foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento (saiba como funciona).


FALSO

Morre Policial Militar baleado durante assalto em Criciúma; “Sofreu muito antes de partir”

Publicações que têm circulado nas redes sociais destacam que Jeferson Luiz Esmeraldino, policial militar baleado enquanto atuava em operação contra assalto a banco em Criciúma (SC) no dia 30 de novembro, morreu pouco depois do crime. Entretanto, a PMSC (Polícia Militar de Santa Catarina) publicou em seu perfil do Twitter na última quarta-feira (2) que Esmeraldino está internado na UTI e necessita de doação de sangue.

Aos Fatos entrou em contato com a PMSC na tarde desta quinta-feira (3) para pedir atualizações sobre o estado de Esmeraldino. Segundo a assessoria, não há nenhuma novidade sobre a saúde do soldado e, na tarde de ontem, o policial “estava reagindo bem”.

As postagens usam como fonte da informação enganosa o portal Metrópoles, que, na terça-feira (1), divulgou que Esmeraldino havia morrido. O jornal corrigiu o erro no mesmo dia: “Anteriormente, divulgamos a notícia da morte do PM, que foi dada na Assembleia Legislativa. A sessão ordinária chegou a ser suspensa por um minuto, com silêncio absoluto, em homenagem póstuma ao soldado da Polícia Militar. Pedimos desculpas, porém, pelo erro”.

A informação, no entanto, continua circulando nas redes sociais como se fosse verídica, seja em sites que replicaram a notícia do Metrópoles e não corrigiram a informação, seja em publicações de perfis pessoais nas redes.

Assalto em Criciúma. O assalto teve início às 23h50 de segunda-feira (30) e envolveu ao menos 30 pessoas que invadiram uma agência do Banco do Brasil no centro da cidade. Moradores foram feitos reféns e um policial e um vigilante ficaram feridos. Até a manhã desta quinta-feira (3), sete suspeitos de terem participado da ação haviam sido presos.

Essa não é a primeira peça de desinformação sobre o crime desmentida pelo Aos Fatos. No mesmo dia em que o assalto foi realizado, fotos de outras ações passaram a circular nas redes sociais para retratar o ocorrido.

A Agência Lupa também desmentiu a peça de desinformação.

Colaborou Luiz Fernando Menezes.

Referências:

1. Twitter (@pmscoficial)
2. Metropoles
3. Folha de S.Paulo
4. NSC Total
5. Aos Fatos

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.