É falso que Dilma gastou 6.000 euros em jantar de gala na França

Por Priscila Pacheco

22 de setembro de 2021, 16h48

Não é verdade que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) gastou 6.000 euros em um jantar de gala na França, como alegam postagens nas redes sociais (veja aqui). O título da reportagem do site Terra de 2012 destacado nessas publicações se refere, na realidade, ao preço médio na época dos pratos de porcelana Puiforcat usados em um evento oferecido pelo governo francês à petista.

Esta informação falsa tem sido usada em contraposição ao fato do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e de sua equipe terem comido pizza na rua em Nova York, no domingo (19). No Facebook, as postagens reuniam ao menos 3.500 compartilhamentos.


Publicações nas redes sociais enganam ao tirar de contexto um enunciado publicado pelo site Terra em 2012 para alegar que Dilma Rousseff (PT) gastou 6.000 euros durante um jantar na França quando era presidente do Brasil. O título da notícia diz “Paris: sem Lula, jantar de gala para Dilma serviu prato de 6 mil euros”, mas se refere ao preço dos pratos de porcelana usados no evento oferecido pelo governo francês à petista.

Em um trecho da reportagem, de 12 de dezembro de 2012, a repórter Lúcia Müzell descreve os pratos “fabricados à mão pela marca Puiforcat, que estampavam a inscrição Palácio do Eliseu no verso”, e afirma que cada um poderia custar até 6.000 euros. Não há registros de que a ex-presidente tenha adquirido esses utensílios.

Além disso, Dilma Rousseff não teve que desembolsar nada pelo jantar de gala, já que era convidada de Hollande, como reforçou o site francês RFI. O evento reuniu, além da comitiva brasileira, políticos e empresários franceses. Mesas com nomes das capitais brasileiras e trilha sonora interpretada pela Orquestra de Cordas da Guarda Republicana com composições de brasileiros, como Tom Jobim, fizeram parte da homenagem. Na ocasião, o ex-presidente francês citou as relações comerciais entre Brasil e França.

Referências:
1. Terra
2. RFI
3. Biblioteca da Presidência


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos do Facebook. Veja aqui como funciona a parceria.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.