É falso que banhistas expulsaram fiscais de praia do Rio durante pandemia

Por Priscila Pacheco

9 de abril de 2021, 17h24

Não é atual, mas de 2012, um vídeo que mostra um conflito entre banhistas e guardas municipais na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. Além desta informação enganosa, postagens nas redes sociais (veja aqui) alegam ainda que a confusão foi consequência da fiscalização de medidas de restrição adotadas para conter a Covid-19 na cidade, o que também é falso. O estopim foi um jogo de altinho, modalidade esportiva comumente praticada à beira-mar.

Esportes coletivos nas areias do Rio estão vetados atualmente, mas tanto a Guarda Municipal quanto a Seop (Secretaria Municipal de Ordem Pública) disseram não ter registrado conflitos com banhistas por causa dessa restrição.

Publicações com a falsa atribuição do vídeo acumulavam ao menos 72.667 compartilhamentos no Facebook nesta sexta-feira (9) e foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta da rede social (veja como funciona).


URGENTE. Rio de Janeiro nessa manhã com diversos conflitos. Expulsão da praia de fiscais da prefeitura marca o início da desobediência civil

Um vídeo que mostra um conflito entre banhistas e guardas municipais na praia de Ipanema, no Rio, têm sido usado em postagens nas redes sociais com a falsa alegação de que a confusão seria resultado da fiscalização de medidas restritivas contra a Covid-19 na cidade - o que é falso. A gravação é de 2012 e o motivo da briga foi um jogo de altinho.

As imagens foram gravadas em 9 de outubro daquele ano, pouco após os guardas reprimirem um grupo que praticava a modalidade em que os participantes não podem deixar a bola tocar o chão. A fiscalização ocorreu em função do horário. Na época, o altinho era proibido à beira-mar entre 8h e 16h. Hoje, essa restrição se estende até às 17h.

Atualmente, em razão das restrições para conter a pandemia, qualquer tipo de esporte coletivo está proibido nas praias da cidade, de acordo com a Guarda Municipal e a Seop (Secretaria Municipal de Ordem Pública).

Os dois órgãos afirmaram ainda que não registraram nenhuma confusão dessa proporção ao fiscalizar o cumprimento das restrições, e, segundo a Guarda Municipal, as prisões efetuadas por desacato, desobediência e agressão aos seus agentes não envolveram conflitos.

As medidas restritivas determinadas pela Prefeitura do Rio de Janeiro valem até esta sexta-feira (9) e serão flexibilizadas nos próximos dias. As praias seguem liberadas apenas para a prática de esportes individuais, mas o prefeito Eduardo Paes (DEM) disse cogitar uma liberação para exercícios coletivos entre 6h e 10h da manhã.

Esta peça de desinformação também foi checada por Estadão Verifica.

Referências

1. Rede Globo
2. G1 (Fontes 1 e 2)
3. UOL
4. Estadão Verifica
5. Prefeitura do Rio de Janeiro


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.