🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Cristina Kirchner não tomou vacina contra Covid-19 sem máscara; foto é de 2013

Por Ana Rita Cunha

30 de dezembro de 2020, 17h00

Uma foto da vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, sendo vacinada contra a gripe em 2013, quando era presidente, tem sido compartilhada nas redes como se fosse atual e mostrasse a imunização contra a Covid-19 (veja aqui). Aos Fatos não encontrou qualquer registro de que Kirchner tenha recebido a vacina contra o novo coronavírus, que começou a ser aplicada na Argentina na última terça-feira (29). De acordo com o plano de vacinação do país, por conta da idade, ela está no terceiro grupo prioritário para a imunização.

As publicações que compartilham a foto descontextualizada criticam o fato de Cristina estar sem máscara de proteção, assim como a enfermeira, que também não usa luvas. Como o registro é muito anterior à pandemia, não havia nenhuma recomendação sobre o uso de máscara na ocasião. Autoridades internacionais de saúde, como a OMS (Organização Mundial da Saúde), e órgãos locais da Argentina e do Brasil também não exigem o uso de luvas para a vacinação.

A peça de desinformação conta com ao menos 3,4 mil compartilhamentos no Facebook nesta quarta-feira (30) e foi marcada com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona). A imagem com a legenda enganosa também circulou no WhatsApp, onde foi sugerida por leitores como checagem (inscreva-se aqui).


A vice-presidente argentina é a primeira mulher a ser vacinada sem agulha, sem luvas e sem seringa, também sem máscara, nem a enfermeira nem ela.

É falso que a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, tenha tomado a vacina contra a Covid-19 sem máscara. A foto que circula nas redes sociais com a alegação enganosa é de 2013, quando ela era presidente do país e promovia a campanha de vacinação contra a gripe. O registro foi postado por Kirchner no Twitter em 21 de março de 2013 e publicado em veículos de imprensa argentinos na época.

Aos Fatos não encontrou registro na imprensa argentina de que a vice-presidente tenha tomado a vacina contra o novo coronavírus. O país iniciou a campanha de vacinação contra a Covid-19 na última terça-feira (29). Segundo os protocolos do plano argentino de vacinação, Kirchner, que tem 67 anos, se enquadraria no terceiro grupo prioritário para a imunização, o de adultos entre 60 e 69 anos.

Nas publicações enganosas, a foto vem acompanhada de uma legenda que critica o fato da vice-presidente estar sem máscara e a enfermeira, sem luvas. Como a imagem é de março de 2013, muito anterior à pandemia, não havia recomendação expressa sobre o uso de máscara.

Com relação às luvas, elas não são de uso obrigatório para aplicar vacinas, segundo a OMS. A organização apenas recomenda o uso em procedimentos com seringas que envolvam risco de contatos com fluidos corporais, como a coleta de sangue, em casos em que há risco de sangramento ao aplicar a vacina ou se as pessoas envolvidas tiverem alguma lesão aberta que cause risco de contaminação.

Segundo a OMS, o correto é que a pessoa que vai aplicar a vacina higienize bem as mãos entre cada aplicação. Caso seja necessário o uso de luvas, como nos casos citados acima, elas devem ser descartadas após cada procedimento, não podendo ser higienizadas ou reutilizadas.

Os ministérios da Saúde do Brasil e da Argentina fazem as mesmas recomendações da OMS. A APIC (associação norte-americana de infectologia e epidemiologia) alerta que luvas não substituem a necessidade de higiene constante das mãos e que seu uso incorreto aumenta o risco de infecções.

Referências:

1. La Voz
2. Ministério de Salud Argentina 1 e 2
3. OMS
4. Ministério da Saúde do Brasil
5. APIC


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.