Poster do agregador

15.dez.2019

“11 meses sem corrupção no governo.”

A declaração é FALSA, porque ao menos dois ministros e um dos filhos do presidente tiveram seus nomes envolvidos em denúncias de corrupção em 2019. Em outubro, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), foi denunciado pelo Ministério Público de Minas Gerais por envolvimento em um suposto esquema de candidaturas laranjas do PSL em 2018. Segundo a denúncia, Álvaro Antônio teria criado candidaturas para enviar verbas públicas de campanhas a empresas ligadas ao seu gabinete. Além de presidir o diretório estadual do PSL no estado à época das eleições de 2018, o atual ministro foi o deputado federal mais votado de Minas Gerais. Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, é investigado pelo Ministério Público de São Paulo por enriquecimento ilícito: entre 2012 e 2018, o seu patrimônio saltou de R$ 1,4 milhão para R$ 8,8 milhões. Durante esse período o ministro ocupou cargos no governo de Geraldo Alckmin (PSDB), primeiro como secretário particular, depois como secretário de Meio Ambiente. Em novembro, a Justiça determinou a quebra dos sigilos fiscal e bancário de Salles. Já o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), filho do presidente, é alvo de três investigações paralelas. A última delas, instaurada em novembro pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, apura um possível caso de improbidade administrativa na contratação de assessores fantasmas em seu gabinete quando era deputado estadual. Em outra frente, os procuradores investigam suposto esquema de rachadinha no gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Segundo o Ministério Público, parte dos salários de 13 funcionários era devolvida ao então deputado. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte também tem sido alvo de investigação. Em agosto, uma operação conjunta entre a CGU (Controladoria-Geral da União) e a Polícia Federal debelou um esquema de fraude em licitações e contratos do órgão em Minas Gerais. O caso envolve suspeitas de superfaturamento, propinas, serviços de baixa qualidade e obras que não foram concluídas. As empresas investigadas firmaram contratos entre 2014 e 2019 com o Dnit-MG num montante de R$ 457 milhões.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 215 VEZES. Em 2019: 15.dez, 23.dez, 24.dez, 26.dez. Em 2020: 10.jan, 06.fev, 20.fev, 03.mar, 09.mar, 16.mar, 20.mar, 22.abr, 28.abr, 05.mai, 22.mai, 28.mai, 26.jul, 30.jul, 02.ago, 13.ago, 07.out, 08.out, 11.out, 15.out, 22.out, 29.out, 09.nov, 25.nov, 29.nov, 08.dez, 10.dez, 15.dez, 19.dez, 24.dez, 31.dez. Em 2021: 07.jan, 11.jan, 12.jan, 15.jan, 18.jan, 08.fev, 11.fev, 20.fev, 04.mar, 07.abr, 27.abr, 05.mai, 08.mai, 11.mai, 13.mai, 10.jun, 15.jun, 18.jun, 21.jun, 24.jun, 25.jun, 07.jul, 12.jul, 13.jul, 18.jul, 19.jul, 21.jul, 22.jul, 26.jul, 27.jul, 29.jul, 31.jul, 02.ago, 04.ago, 05.ago, 06.ago, 17.ago, 19.ago, 23.ago, 24.ago, 25.ago, 28.ago, 30.ago, 31.ago, 09.set, 10.set, 15.set, 17.set, 21.set, 23.set, 24.set, 30.set, 09.out, 13.out, 14.out, 18.out, 20.out, 21.out, 24.out, 25.out, 27.out, 07.nov, 09.nov, 10.nov, 19.nov, 22.nov, 23.nov, 25.nov, 26.nov, 02.dez, 07.dez, 09.dez, 10.dez, 15.dez, 19.dez, 27.dez, 30.dez, 31.dez. Em 2022: 06.jan, 12.jan, 20.jan, 31.jan, 02.fev, 07.fev, 09.fev, 10.fev, 11.fev, 12.fev, 16.fev, 18.fev, 21.fev, 23.fev, 24.fev, 25.fev, 28.fev, 04.mar, 07.mar, 16.mar, 21.mar, 22.mar, 23.mar, 27.mar, 04.abr, 08.abr, 11.abr, 12.abr, 15.abr, 05.mai, 12.mai, 30.mai, 02.jun, 08.jun, 15.jun, 18.jun, 24.jun, 09.jul, 23.jul, 24.jul, 27.jul, 30.jul.

Tema: Corrupção. Origem: Entrevista

Em 1.318 dias como presidente, Bolsonaro deu 5.988 declarações falsas ou distorcidas

Esta base agrega todas as declarações de Bolsonaro feitas a partir do dia de sua posse como presidente. As checagens são feitas pela equipe do Aos Fatos semanalmente.

Atualizado em 11 de Agosto, 2022


Explore as afirmações

Filtros

Por tema

Por origem

Ordenar por

27.jul.2022

“O meu [cartão corporativo] particular eu nunca usei. Eu posso sacar 25 mil por mês para tomar tubaína e leite condensado.”

É falso que Bolsonaro possa usar como quiser um dos cartões corporativos a que tem acesso. Em nota enviada ao Aos Fatos, a Secretaria-Geral da Presidência da República informou que o presidente faz referência ao CPGF (Cartão de Pagamento do Governo Federal), que é usado para cobrir, entre outras despesas, gastos da Presidência. Ao contrário do que sugere Bolsonaro, no entanto, não é dispensável a prestação de contas. Segundo o órgão, o limite de movimentação de fundos por meio do cartão é definido pela lei nº 8666/1993: R$ 17.600 para compras e serviços e R$ 33.000 para obras e serviços de engenharia. A pasta disse ainda que é permitido fazer saques com o CPGF, mas que deve ser apresentada justificativa, conforme especificado na Macrofunção SIAFI 021121. “O saque é realizado em casos excepcionais, quando não é oportuna ou conveniente a execução do gasto por meio da função crédito do CPGF”. O manual da CGU (Controladoria-Geral da União) sobre o uso do CPGF também cita a obrigação de justificar o valor estabelecido para saque. Também não é correto afirmar que Bolsonaro nunca usou seu cartão corporativo. Entre janeiro de 2019 e junho de 2022, a Secretaria Especial de Administração da Presidência da República despendeu R$ 67 milhões, juntando os gastos do CPGF (Cartão de Pagamento do Governo Federal) e do CPCC (Cartões de Pagamento do Governo Federal - Compras Centralizadas). Como a Secretaria Especial de Administração é responsável por gerir despesas do gabinete da Presidência da República, do vice-presidente, da Casa Civil, da Secretaria de Governo e da Secretaria-Geral da Presidência, não é possível especificar quanto desse dinheiro foi gasto por Bolsonaro.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2022: 05.mai, 13.jul, 27.jul.

Tema: Outros. Origem: Outros

27.jul.2022

“O jovem que defende esse regime aí do PT que foi imposto na Venezuela, pergunta se ele gosta de cãezinhos e gatinhos. Na Venezuela não tem mais. Comeram tudo.”

Para criticar o regime venezuelano, o presidente costuma afirmar que, devido à crise econômica, os cidadãos já teriam comido todos os gatos e cachorros do país. A alegação, no entanto, é falsa, e deriva de uma frase que passou a circular nas redes em 2016. À época, sites brasileiros e internacionais repercutiram uma fala do então prefeito da cidade de Chacao, Ramón Muchacho, opositor ao regime de Nicolás Maduro, que afirmou que "há pessoas 'caçando' gatos e cachorros nas ruas, e pombas nas praças, para comê-los". O político, no entanto, não generalizou a situação nem afirmou que todos os animais haviam sido extirpados do país. Há, inclusive, ONGs na Venezuela que trabalham com o resgate de animais, que têm sido abandonados com grande frequência dada a escalada da crise econômica. Um exemplo é a South American Initiative, que detalha em sua página ações recentes de acolhimento a cachorros abandonados.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 23 VEZES. Em 2021: 15.jan, 18.jan, 21.jan, 12.jul, 21.jul, 22.jul, 26.jul, 31.jul, 05.ago, 09.ago, 12.ago, 27.out. Em 2022: 20.jan, 26.jan, 03.fev, 25.mar, 01.jun, 07.jun, 23.jun, 13.jul, 15.jul, 27.jul.

Tema: Ideologia. Origem: Outros

27.jul.2022

“(...) o Brasil é e seguirá sendo a nação que mais preserva. ”

É falso que o Brasil seja um dos países que mais preserva o ambiente. De acordo com dados do Banco Mundial, o país ocupa a 30ª posição no ranking das nações que mais protegem suas florestas. Análise publicada em 2022 pelo Global Forest Watch aponta que o país foi líder na perda de florestas primárias no mundo em 2021, com aumento de 25% na destruição desse tipo de vegetação em relação a 2019. Já no Environmental Performance Index de 2020, que avalia a sustentabilidade com base em uma série de fatores, o país apareceu na 55ª posição. O estudo é feito pelas universidades de Yale e Columbia em colaboração com o Fórum Econômico Mundial e usa 24 indicadores — entre eles a emissão de gases, a proteção da biodiversidade e a porcentagem de água potável — para fazer um ranking de 180 países.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 38 VEZES. Em 2019: 22.jan, 23.mar, 27.jun, 27.jul, 24.set, 11.dez. Em 2020: 05.jun, 17.jun, 25.jun, 03.set, 05.set, 17.set, 18.set, 24.set, 06.nov, 07.nov, 02.dez, 03.dez. Em 2021: 09.fev, 29.abr, 13.mai, 24.ago, 25.ago, 30.ago, 22.set, 23.set, 04.nov, 29.nov. Em 2022: 04.abr, 12.abr, 13.abr, 04.mai, 03.jun, 10.jun, 13.jun, 27.jul.

Tema: Meio ambiente. Origem: Twitter

27.jul.2022

“Eles não sabem, por exemplo, que preservamos mais de 80% da nossa vegetação nativa (...)”

É falso que o Brasil preserve mais de 80% de sua vegetação nativa. De acordo com dados do MapBiomas, 66,8% do território brasileiro está coberto por esse tipo de vegetação. É importante destacar, no entanto, que isso não significa que essas regiões estejam intocadas: aos menos 9,3% dessa vegetação nativa é secundária — ou seja, já foi desmatada por ação humana. Há, ainda, zonas que não sofreram com o desmatamento, mas foram degradadas pelo fogo ou a exploração madeireira.

FONTE ORIGEM

Tema: Meio ambiente. Origem: Twitter

27.jul.2022

“Mudamos isso aí escolhendo ministros sem o viés político, para poder melhor atender o nosso país.”

A declaração é falsa, porque desde o início do mandato de Bolsonaro o Planalto tem negociado ministérios por indicações políticas. Os acordos com a bancada ruralista fizeram, por exemplo, que Tereza Cristina (PP), presidente da Frente Parlamentar para a Agricultura, fosse nomeada para a pasta da Agricultura, e Ricardo Salles, para o Ministério do Meio Ambiente. A bancada evangélica emplacou Damares Alves, que é pastora, no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e conseguiu barrar a indicação do educador Mozart Neves Ramos para o Ministério da Educação. Em meados de 2020, para se aproximar dos partidos do chamado Centrão no Congresso, Bolsonaro nomeou Fábio Faria (PSD-RN) para o Ministério das Comunicações e, em 2021, escolheu Ciro Nogueira (PP-PI) para a Casa Civil e João Roma (PL-BA) para a Cidadania.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 26 VEZES. Em 2020: 29.jan, 24.abr, 26.ago, 03.set, 15.out, 09.nov, 11.nov, 29.nov, 19.dez. Em 2021: 27.abr, 02.set, 03.set, 10.set, 27.set, 13.out, 14.out, 10.nov, 09.dez, 19.dez. Em 2022: 08.jan, 11.abr, 29.abr, 19.mai, 30.jun, 20.jul, 27.jul.

Tema: Equipe de governo. Origem: Discurso

27.jul.2022

“Gastamos em 2020 R$ 700 bilhões para atender aqui os governadores, prefeitos, o nosso sistema de saúde.”

O presidente infla os valores gastos pelo governo federal em 2020, primeiro ano da pandemia de Covid-19 no Brasil. De acordo com dados do Tesouro Transparente, plataforma de monitoramento de gastos do governo federal, foi despendida até o mês de dezembro de 2020 uma soma de R$ 524 bilhões com a aquisição de insumos, o auxílio financeiro a estados e municípios, o auxílio emergencial e outros programas de transferência de renda, entre outros. O valor não chega ao citado por Bolsonaro nem se considerarmos os gastos previstos e não executados: esses totalizaram R$ 604,7 bilhões.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 21 VEZES. Em 2021: 15.jun, 05.set, 14.out, 15.out, 08.nov, 25.nov, 11.dez. Em 2022: 14.jan, 03.fev, 08.fev, 09.fev, 11.fev, 18.fev, 25.mar, 14.abr, 16.abr, 24.mai, 23.jun, 25.jul, 27.jul, 09.ago.

Tema: Coronavírus, Economia. Origem: Discurso

27.jul.2022

“Assim como na guerra do Pacífico chegava o soldado sem sangue e não tinha doador. E começaram a injetar água de coco na veia dele e deu certo.”

Não há evidências de que a aplicação de água de coco já tenha sido usada para substituir a transfusão de sangue. Um estudo publicado em 2000 cita relatos não comprovados de que a prática foi adotada na Segunda Guerra como medida emergencial para substituir o soro, uma solução de água e minerais usada principalmente para evitar a desidratação, mas não para perda de sangue. Mesmo nesses casos, a prática não é recomendada porque pode causar danos à saúde. Estudos realizados em meados de século 20 que testaram o uso intravenoso de água de coco registraram reações adversas em parte dos pacientes. Ao site de checagem americano Snopes, o médico George Yaghmour, da Universidade do Sul da Califórnia, disse que a concentração de minerais da substância pode, se injetada na veia, causar edema cerebral, hemólise, arritmia e outras complicações neurológicas, além de agravar a falência dos rins.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 46 VEZES. Em 2020: 08.abr, 09.abr, 22.mai, 23.mai, 09.jul, 06.ago, 24.ago, 29.ago, 16.set, 08.out, 28.out, 03.dez. Em 2021: 07.jan, 14.jan, 15.jan, 04.fev, 07.abr, 22.abr, 27.abr, 06.mai, 24.jun, 18.jul, 21.jul, 12.ago, 17.ago, 05.set, 10.set, 27.set, 05.out, 07.out, 14.out, 21.out, 27.out, 07.dez, 11.dez. Em 2022: 18.mar, 16.abr, 28.abr, 25.mai, 30.jun, 05.jul, 15.jul, 21.jul, 27.jul.

Tema: Saúde. Origem: Discurso

27.jul.2022

“Eu podia ter acabado com a CPI da Pandemia rapidamente, Marcos Rogério. Uma emenda do honestíssimo Omar Aziz, e do Renildo Calheiros, irmão do honestíssimo Renan Calheiros, cujo relator era o especialista aí em medicina intergalática, o Randolfe fala fino Rodrigues. Uma emenda deles permitindo que prefeitos e governadores comprassem vacina em qualquer lugar do mundo sem certificação da Anvisa e sem licitação. Quem pagava a conta era eu.”

Para atacar os membros da CPI da Covid-19 no Senado, Bolsonaro afirma que tanto o senador Omar Aziz (PSD-AM) quanto o deputado Renildo Calheiros (PCdoB-PE), irmão do senador Renan Calheiros (MDB-AL), teriam apresentado emendas à MP 1026/2021 que permitiam que estados e municípios importassem vacinas sem aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e sem licitação. O relator teria sido o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Isso, no entanto, é impreciso. Ainda que o senador Omar Aziz tenha, de fato, feito proposta similar na emenda 112, não há texto semelhante de autoria do deputado Renildo Calheiros. É importante destacar, ainda, que a emenda de Aziz foi rejeitada pelo relator do projeto na Câmara, o deputado Pedro Westphalen (PP-RS), em 23 de fevereiro, menos de um mês depois de sua data de apresentação, e que não chegou nem mesmo a ser analisada por Randolfe Rodrigues, relator do texto no Senado.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 25 VEZES. Em 2021: 26.jul, 27.jul, 28.jul, 29.jul, 31.jul, 05.ago, 06.ago, 09.ago, 12.ago, 30.set, 12.out, 14.out, 27.out, 02.dez, 11.dez. Em 2022: 16.fev, 16.abr, 16.mai, 18.jun, 05.jul, 21.jul, 27.jul.

Tema: Congresso, Coronavírus. Origem: Discurso

27.jul.2022

“Eu que tomei cloroquina. ”

Bolsonaro faz referência à hidroxicloroquina, que afirma ter usado quando teve Covid-19. No entanto, o presidente nunca apresentou receituário que comprove que de fato tomou o medicamento. O Aos Fatos chegou a requisitar o documento de prescrição por meio da Lei de Acesso à Informação, mas teve o pedido negado pela Secretaria de Comunicação, que alegou que "as informações individualizadas sobre o assunto dizem respeito à intimidade, vida privada, honra e imagem das pessoas".

FONTE ORIGEM

REPETIDA 93 VEZES. Em 2020: 28.out, 29.out, 11.nov, 12.nov, 16.nov, 26.nov, 29.nov, 02.dez, 14.dez, 15.dez, 19.dez, 31.dez. Em 2021: 07.jan, 15.jan, 04.fev, 11.fev, 23.fev, 04.mar, 08.mar, 10.mar, 11.mar, 18.mar, 19.mar, 25.mar, 07.abr, 15.abr, 16.abr, 22.abr, 23.abr, 28.abr, 05.mai, 06.mai, 13.mai, 14.mai, 20.mai, 27.mai, 03.jun, 09.jun, 11.jun, 18.jun, 21.jun, 24.jun, 19.jul, 22.jul, 27.jul, 29.jul, 31.jul, 02.ago, 05.ago, 17.ago, 23.ago, 27.ago, 28.ago, 30.ago, 05.set, 10.set, 16.set, 21.set, 23.set, 24.set, 27.set, 30.set, 05.out, 07.out, 21.out, 26.out, 27.out, 05.nov, 08.nov, 23.nov, 25.nov, 07.dez, 09.dez, 11.dez, 19.dez. Em 2022: 06.jan, 17.jan, 25.mai, 30.jun, 27.jul.

Tema: Coronavírus. Origem: Discurso

27.jul.2022

“Tudo continua, tudo evolui, exceto as urnas das seções eleitorais.”

A declaração de Bolsonaro é falsa, porque a Justiça Eleitoral fez uma série de atualizações de segurança nas urnas eletrônicas desde que o sistema de votação foi adotado no país, em 1996. Entre as mudanças mais importantes está a assinatura digital do sistema, implementada em 2002. O dispositivo assegura que todas as urnas eletrônicas funcionam apenas com os programas desenvolvidos e lacrados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). No ano seguinte, a adoção do RDV (Registro Digital do Voto) passou a permitir recontagem eletrônica dos votos sem a violação do sigilo do eleitor. Em 2005, o TSE passou a desenvolver inteiramente o software da urna e, em 2008, todos os equipamentos começaram a operar apenas com o sistema operacional Linux. Em 2009, as urnas ganharam um módulo de segurança para proteger melhor a transmissão dos dados de totalização dos votos. Atualmente, as urnas têm mais de 30 camadas de segurança. Entre elas estão os lacres físicos, os sistemas de controle de versões, as assinaturas digitais dos arquivos, as criptografias e o boletim de urna impresso.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 14 VEZES. Em 2021: 26.jul, 27.jul, 28.jul, 29.jul, 31.jul, 02.ago, 04.ago, 05.ago. Em 2022: 27.abr, 07.jul, 27.jul.

Tema: Eleições. Origem: Discurso

27.jul.2022

“Se estamos há três anos e meio sem denúncia de corrupção (...)”

A declaração de Bolsonaro é falsa, porque integrantes e ex-integrantes de seu governo são alvos de investigações e denúncias de casos de corrupção e outros delitos ligados à administração pública. Em junho de 2022, a Polícia Federal prendeu preventivamente o ex-ministro Milton Ribeiro por suposto envolvimento em um esquema de liberação de verbas do MEC (Ministério da Educação). Ribeiro é investigado por prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência. Em 23 de junho, foi concedido um habeas corpus e Ribeiro foi libertado. O relatório da CPI da Covid-19 no Senado também pediu o indiciamento de Bolsonaro e seis ministros e ex-ministros por crimes como prevaricação, emprego irregular de verbas públicas, falsificação de documento particular e charlatanismo — pedido que não foi seguido pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, que possui a competência exclusiva de apresentar denúncias contra o presidente e seu primeiro escalão. Outros agentes do governo também foram indiciados por envolvimento em um suposto esquema para a compra da vacina indiana Covaxin. Por fim, atuais e antigos integrantes do governo são investigados pela Polícia Federal ou pelo Ministério Público por suspeitas de corrupção, como o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP); Ricardo Salles (PL), ex-titular do Meio Ambiente; o deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PL), que comandou a pasta do Turismo; e Fabio Wajngarten, que chefiou a Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social).

FONTE ORIGEM

REPETIDA 215 VEZES. Em 2019: 15.dez, 23.dez, 24.dez, 26.dez. Em 2020: 10.jan, 06.fev, 20.fev, 03.mar, 09.mar, 16.mar, 20.mar, 22.abr, 28.abr, 05.mai, 22.mai, 28.mai, 26.jul, 30.jul, 02.ago, 13.ago, 07.out, 08.out, 11.out, 15.out, 22.out, 29.out, 09.nov, 25.nov, 29.nov, 08.dez, 10.dez, 15.dez, 19.dez, 24.dez, 31.dez. Em 2021: 07.jan, 11.jan, 12.jan, 15.jan, 18.jan, 08.fev, 11.fev, 20.fev, 04.mar, 07.abr, 27.abr, 05.mai, 08.mai, 11.mai, 13.mai, 10.jun, 15.jun, 18.jun, 21.jun, 24.jun, 25.jun, 07.jul, 12.jul, 13.jul, 18.jul, 19.jul, 21.jul, 22.jul, 26.jul, 27.jul, 29.jul, 31.jul, 02.ago, 04.ago, 05.ago, 06.ago, 17.ago, 19.ago, 23.ago, 24.ago, 25.ago, 28.ago, 30.ago, 31.ago, 09.set, 10.set, 15.set, 17.set, 21.set, 23.set, 24.set, 30.set, 09.out, 13.out, 14.out, 18.out, 20.out, 21.out, 24.out, 25.out, 27.out, 07.nov, 09.nov, 10.nov, 19.nov, 22.nov, 23.nov, 25.nov, 26.nov, 02.dez, 07.dez, 09.dez, 10.dez, 15.dez, 19.dez, 27.dez, 30.dez, 31.dez. Em 2022: 06.jan, 12.jan, 20.jan, 31.jan, 02.fev, 07.fev, 09.fev, 10.fev, 11.fev, 12.fev, 16.fev, 18.fev, 21.fev, 23.fev, 24.fev, 25.fev, 28.fev, 04.mar, 07.mar, 16.mar, 21.mar, 22.mar, 23.mar, 27.mar, 04.abr, 08.abr, 11.abr, 12.abr, 15.abr, 05.mai, 12.mai, 30.mai, 02.jun, 08.jun, 15.jun, 18.jun, 24.jun, 09.jul, 23.jul, 24.jul, 27.jul, 30.jul.

Tema: Corrupção. Origem: Discurso

27.jul.2022

“(...) [não houve denúncia de corrupção] A não ser da Covaxin, que eu não comprei. ”

Para se defender de acusações de corrupção na compra da vacina Covaxin, Bolsonaro frequentemente argumenta que o governo não poderia ser acusado de crime algum, já que não chegou a pagar pelo imunizante indiano. Esse raciocínio, no entanto, é incorreto. Ainda que não tenha, de fato, feito qualquer transação monetária com a empresa responsável pela venda da vacina no Brasil, a Precisa Medicamentos, o Ministério da Saúde assinou o contrato de compra em fevereiro de 2021 e empenhou R$ 1,6 bilhão para a aquisição de 20 milhões de doses. Quando um valor é empenhado pelo governo federal, ele fica reservado e não pode ser usado para outras despesas. A denúncia sobre a compra da Covaxin envolveu irregularidades contratuais, como pressões para aquisição do imunizante, previsões de antecipação de pagamento a empresas que não estavam no contrato e falsificação de documentos. Diante das denúncias, o Ministério da Saúde rescindiu o contrato e a CGU (Controladoria-Geral da União), o Ministério Público e o TCU (Tribunal de Contas da União) passaram a investigar possíveis irregularidades. Em 31 de janeiro de 2022, a Polícia Federal concluiu que Bolsonaro não cometeu prevaricação (crime em que um servidor, ao tomar conhecimento de possíveis irregularidades, não comunica suas suspeitas às autoridades). Meses mais tarde, em 23 de abril, a ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Rosa Weber arquivou o inquérito sobre a possível prática de prevaricação envolvendo o presidente. Esse caso, no entanto, não abrangeu as supostas irregularidades no contrato.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 63 VEZES. Em 2021: 01.jul, 05.jul, 07.jul, 08.jul, 09.jul, 12.jul, 13.jul, 15.jul, 18.jul, 19.jul, 20.jul, 21.jul, 22.jul, 23.jul, 26.jul, 27.jul, 28.jul, 29.jul, 31.jul, 02.ago, 04.ago, 05.ago, 12.ago, 19.ago, 27.ago, 30.ago, 02.set, 10.set, 09.out, 14.out, 25.out, 27.out, 23.nov. Em 2022: 16.fev, 21.mar, 04.abr, 07.abr, 11.abr, 16.abr, 28.abr, 30.jun, 21.jul, 24.jul, 27.jul.

Tema: Coronavírus, Corrupção. Origem: Discurso

27.jul.2022

“(...) que bem disse há pouco que 90% dos títulos da reforma agrária, né? São para as mulheres.”

A alegação de Bolsonaro referente aos títulos de propriedade emitidos em seu governo não pode ser sustentada pelos dados oficiais disponíveis. Ainda que a Instrução Normativa nº 38, de 13 de março de 2007, determine que o nome da mulher deve constar como primeiro titular da unidade familiar nos títulos de propriedade emitidos pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), o instituto afirmou ao Aos Fatos que a informação sobre o gênero dos beneficiados não está disponível de forma discriminada em sua base de dados. "O sistema não permite a filtragem específica. Portanto, o levantamento de tal dado demandaria busca e estratificação manual com custo e esforço desproporcional por parte do Instituto".

FONTE ORIGEM

REPETIDA 12 VEZES. Em 2022: 15.jul, 17.jul, 19.jul, 20.jul, 23.jul, 24.jul, 25.jul, 27.jul, 28.jul, 02.ago.

Tema: Direitos e Assistência Social. Origem: Discurso

26.jul.2022

“Pela 1a vez na história, um governo foi montado de forma independente e técnica (...)”

Bolsonaro elenca como um dos pontos positivos de sua gestão a escolha técnica de ministros. A declaração, no entanto, foi classificada como falsa, porque além de membros do governo terem sido escolhidos por critérios políticos, nem todos eram formados ou tinham experiência na área de atuação da pasta. Gilson Machado, ministro do Turismo até março deste ano, é veterinário e produtor rural e o seu vínculo com a área da pasta era o fato de ser proprietário de uma pousada em Alagoas. João Roma, que chefiou o Ministério da Cidadania também até março, é deputado federal e atuou na Câmara em projetos ligados à área econômica, como a Reforma Tributária e o Marco Legal das Startups. Ele foi alçado ao cargo de ministro após acordo político com seu então partido, o Republicanos, que apoiou a candidatura de Arthur Lira (PP-AL) à presidência da Câmara. Abraham Weintraub, que foi ministro da Educação, era economista e professor da Unifesp, com produção acadêmica voltada à Previdência. Já Eduardo Pazuello, terceiro ministro da Saúde, era general do Exército e atuava na área logística. Entre os ministros com formação na área em que atuam, há também aqueles que se cacifaram para o cargo por influência política. Tereza Cristina, engenheira agrônoma, se tornou ministra por ter sido líder da Frente Parlamentar para a Agricultura, que apoiou a Bolsonaro na campanha de 2018. Ricardo Salles, ex-ministro do Meio Ambiente, também foi indicado pelos ruralistas. Já a bancada evangélica emplacou Damares Alves, pastora, no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Para manter o apoio dos militares, Bolsonaro também indicou ministros vinculados à caserna, mas sem experiência na área, como Bento Albuquerque (Minas e Energia).

FONTE ORIGEM

REPETIDA 60 VEZES. Em 2019: 01.jan, 02.jan, 22.jan, 07.mar, 23.mar, 02.abr, 05.mai, 11.jun, 30.jun, 01.ago, 25.out, 30.out, 27.nov, 02.dez. Em 2020: 01.jan, 03.jan, 04.jan, 16.jan, 10.mar, 05.abr, 08.jul, 29.ago, 24.set, 08.out, 15.out, 16.out, 22.out, 06.nov, 29.nov, 15.dez. Em 2021: 07.abr, 26.abr, 14.mai, 12.jun, 01.jul, 20.jul, 21.jul, 29.jul, 31.jul, 14.ago, 02.set, 05.set, 14.out, 27.out. Em 2022: 06.jan, 14.jan, 11.fev, 16.mar, 18.mar, 13.abr, 25.abr, 26.abr, 12.mai, 25.jul, 26.jul, 30.jul.

Tema: Equipe de governo. Origem: Twitter

25.jul.2022

“Somente a Petrobras, em 2015, chegou ao endividamento de US$ 180 bilhões, com tanta coisa de errado que fizeram por lá, equivalendo na época a R$ 900 bilhões.”

De acordo com as demonstrações financeiras publicadas pela Petrobras, a dívida bruta da companhia em 31 de dezembro de 2015 era de R$ 492,849 bilhões — corrigida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a cifra ficaria atualmente em R$ 681,4 bilhões. Em 2003, os resultados divulgados pela Petrobras à Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) indicavam um endividamento total de R$ 63,791 bilhões (R$ 176 bilhões, corrigidos) — uma diferença, portanto, de R$ 429,058 bilhões em valores nominais e de R$ 505,4 bilhões se considerada a correção pela inflação. Todos esses valores estão muito distantes dos R$ 900 bilhões citados por Bolsonaro, por isso, a declaração é falsa.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 55 VEZES. Em 2022: 31.jan, 01.fev, 02.fev, 03.fev, 04.fev, 08.fev, 09.fev, 16.fev, 18.fev, 21.fev, 23.fev, 24.fev, 25.fev, 07.mar, 10.mar, 16.mar, 21.mar, 24.mar, 31.mar, 04.abr, 06.abr, 11.abr, 12.abr, 14.abr, 16.abr, 25.abr, 29.abr, 15.mai, 16.mai, 17.mai, 19.mai, 25.mai, 30.mai, 02.jun, 09.jun, 17.jun, 19.jun, 27.jun, 01.jul, 05.jul, 07.jul, 24.jul, 25.jul, 27.jul, 30.jul, 01.ago, 08.ago.

Tema: Economia. Origem: Discurso

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.