Vídeos mostram ação contra o garimpo ilegal, não invasão do exército venezuelano

Compartilhe

Vídeos de uma operação conjunta entre a PF (Polícia Federal) e a PNC (Polícia Nacional da Colômbia), na fronteira entre os países, têm sido usados fora de contexto para alegar que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) autorizou os exércitos da Colômbia e da Venezuela a entrarem em território brasileiro, o que é falso. Na verdade, as imagens retratam uma ação contra o garimpo ilegal na Amazônia, com a inutilização de balsas e construções usadas por criminosos.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulavam centenas de compartilhamentos e curtidas no Facebook e no Instagram, respectivamente, até a tarde desta sexta-feira (8). As peças de desinformação circulam também no WhatsApp, plataforma na qual não é possível estimar o alcance dos conteúdos (fale com a Fátima).


Selo falso

Lula autorizou que o exército colombiano entre no Brasil e destruir tudo. Exército venezuelano e colombiano tomando conta do Brasil

Vídeos da operação Fronteira de Ouro, deflagrada neste mês pela PF em conjunto com o Ibama e a Polícia Nacional da Colômbia, têm sido difundidos nas redes como se mostrassem uma ação dos exércitos da Venezuela e da Colômbia para destruir o patrimônio de brasileiros autorizada pelo presidente Lula, o que é falso. Aos Fatos não identificou qualquer informação de uma medida tomada por Lula com esse teor em busca no site oficial do Executivo e na imprensa.

Em nota, a PF confirmou que as imagens se referem a uma operação realizada entre os dias 1º e 3 de dezembro para prevenir e reprimir a extração ilegal de ouro do território brasileiro e colombiano, mais especificamente nos municípios do Japurá (AM) e Santo Antônio do Içá (AM).

“Para esse trabalho em solo brasileiro, a Polícia Federal destacou cerca de dez policiais treinados para realizar abordagens táticas a embarcações. A ação também contou com o trabalho de explosivistas policiais e agentes do Ibama. Já em solo colombiano, a ação contou com os policiais da PNC para dar apoio e realizar, concomitantemente, a operação de cunho internacional”, informou a PF em nota à imprensa.

Sete dragas grandes, uma embarcação, uma retroescavadeira e uma balsa de combustível que eram empregadas na extração ilegal do minério na região foram inutilizadas por agentes brasileiros

A destruição de equipamentos utilizados em práticas de infração ambiental é prevista pela Lei dos Crimes Ambientais (lei nº 9.605/1998) e pela Instrução Normativa do Ibama nº 3/2018.

Leia mais
Nas Redes Vídeo não mostra incêndio em comércios causado pela PF e pela Força Nacional
Nas Redes Vídeo mostra veículos incendiados pela PF em operação contra garimpo ilegal, não ação do MST

Referências

  1. Governo Federal (1, 2 e 3)
  2. G1
  3. Câmara dos Deputados

Compartilhe

Leia também

falsoPosts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Posts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Pré-candidato, Marçal oferece prêmio a seguidores e especialistas veem infração eleitoral

Pré-candidato, Marçal oferece prêmio a seguidores e especialistas veem infração eleitoral

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’