Vídeo que mostra Lula se entregando à PF em 2018 é editado para inserir xingamentos

Por Bruna Leite

14 de setembro de 2022, 16h02

Um vídeo que mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) antes de se entregar à Polícia Federal, em 2018, circula nas redes sociais com o áudio alterado (veja aqui). Foi inserida nas imagens uma gravação com xingamentos de “vagabundo”, mas no vídeo original são ouvidos gritos de “Lula livre” e outras saudações ao petista. As postagens também enganam ao omitir que o vídeo não é recente.

A alteração do áudio do vídeo foi feita pelo aplicativo Kwai, mas viralizou no Facebook. Até esta quarta-feira (14), as postagens com a gravação falsa obtiveram 12 mil compartilhamentos na rede.


Selo falso

Print de publicação desinformativa no Facebook, que mente ao afirmar que Lula foi xingado em manifestação, ao se entregar para a Polícia Federal

Um vídeo de 2018 foi manipulado digitalmente para inserir gritos de “vagabundo” a imagens que mostram Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ex-presidente e candidato ao Planalto, circulando em meio a uma multidão. As cenas originais foram gravadas quando Lula saiu do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo (SP), em 7 de abril de 2018, para se entregar à Polícia Federal, e foram publicadas no perfil da revista Veja no Facebook, creditadas ao repórter fotográfico Jefferson Coppola. No áudio original, não são ouvidos xingamentos, e sim gritos de “Lula livre” e o canto “Lula, guerreiro do povo brasileiro”.

É possível constatar que as imagens do vídeo manipulado são as mesmas veiculadas pelo perfil da revista Veja por elementos semelhantes entre as imagens. Um homem de camiseta cinza ao lado de Lula aparece na mesma posição nas duas publicações, no trecho entre 54 segundos e 1 minuto e 2 segundos (veja a comparação abaixo).

À esquerda, vídeo com a legenda desinformativa em que aparece um homem com camisa cinza; à direita, o mesmo homem no vídeo publicado em abril de 2018

Comparação. Homem de camisa cinza em vídeo desinformativo e nas imagens reais (Reprodução/Revista Veja)

A confusão na saída de Lula do Sindicato dos Metalúrgicos se deve ao fato de que o ex-presidente foi impedido pela militância de sair de carro do prédio, uma vez que alguns dos seus apoiadores não queriam que ele se entregasse. Assim, Lula deixou a sede a pé — momento que é mostrado pelo vídeo — e embarcou em um carro da Polícia Federal cinco minutos depois, segundo o site G1. Naquela noite, ele começou a cumprir pena por corrupção e lavagem de dinheiro na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, condenações posteriormente anuladas pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Esta checagem também foi feita pela Reuters.

Referências:

1. Reuters
2. Veja
3. G1 (1 e 2)




Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.