Vídeo mostra gravação de filme, não encenação de mortes no conflito entre Hamas e Israel

Compartilhe

Não é verdade que um vídeo registra o momento em que uma equipe de gravação forja uma cena de violência contra uma criança no conflito entre Hamas e Israel. A filmagem compartilhada pelas peças de desinformação mostra os bastidores do curta-metragem “Empty Place” (Espaço Vazio, em português), lançado em 2022, que conta a história real de um jovem palestino acusado de esfaquear cidadãos israelenses.

Publicações com o conteúdo enganoso somavam 10 mil compartilhamentos no X (ex-Twitter) e 4.000 visualizações no Telegram até a tarde desta quarta-feira (11).


Selo falso

A gravação de cenas de guerra em Israel

Cena de gravação de filme circula como se mostrasse equipe forjando cena de violência no conflito entre Israel e o Hamas

Cenas dos bastidores do curta-metragem “Empty Place”, dirigido por Awni Eshtaiwe, têm circulado nas redes como se mostrassem uma equipe de gravação forjando registros de violência no contexto do conflito armado entre Israel e Hamas. As imagens mostram uma cena em que o protagonista do filme é atropelado por um carro.

O curta-metragem conta a história real do adolescente palestino Ahmed Manasra, preso desde 2016 em Israel após ser condenado por tentativa de homicídio. Ele e um primo — morto a tiros pela polícia — foram acusados de esfaquear dois cidadãos israelenses. Os familiares dos jovens negam que eles tenham cometido os crimes.

O registro original do vídeo que agora circula fora de contexto foi publicado na conta do TikTok de Mohamad Awawdeh, operador de câmera que integrou a equipe de filmagem, em abril de 2022 — antes, portanto, do conflito armado iniciado no sábado (7).

@awawdehproduction

كواليس تصوير مشهد اعداء المستوطنين على الطفل احمد مناصرة

♬ original sound - Mohamad awawdeh


Desde o início da semana, Aos Fatos tem checado diversas publicações enganosas sobre o conflito entre Israel e o Hamas, que já causou a morte de ao menos 2.300 pessoas. Nas redes brasileiras, destacam-se peças de desinformação que buscam associar o governo Lula (PT) ao grupo extremista e vídeos descontextualizados que circulam como se mostrassem cenas reais da guerra.

Referências

  1. YouTube (1 e 2)
  2. Al Jazeera
  3. Reuters
  4. Tik Tok
  5. G1
  6. Aos Fatos

Compartilhe

Leia também

Por um uso ético da IA no jornalismo

Por um uso ético da IA no jornalismo

falsoBolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

Bolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

falsoFilho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

Filho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas