Vídeo da Globo sobre candidatura de Lula barrada em 2018 é difundido como se fosse atual

Por Bruna Leite

14 de setembro de 2022, 18h58

Não foi gravado em 2022 o vídeo que mostra a apresentadora Renata Lo Prete, da Globo, anunciando que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) barrou a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à presidência, como afirmam postagens nas redes sociais (veja aqui). As cenas foram veiculadas em 2018, quando a candidatura de Lula à Presidência da República foi barrada após um julgamento da corte eleitoral que o considerou inelegível. Em 2022, a candidatura de Lula foi validada por unanimidade.

O vídeo que viralizou no Kwai, já ultrapassa 500 mil visualizações, 29 mil curtidas e 12 mil compartilhamentos, e também circula fora de contexto no Facebook e no Instagram.


Selo falso

Eles querem excluir Lula das eleições desse ano!!!



Hashtag #Eleições2022 foi adicionada a vídeo de 2018 em que Renata Lo Prete anuncia que candidatura de Lula foi barrada


Postagens nas redes sociais enganam ao apresentar como se fosse atual um vídeo em que a jornalista Renata Lo Prete, da Globo, anuncia que o TSE barrou a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da República. O vídeo foi ao ar em agosto de 2018, quando o candidato foi considerado inelegível pelo TSE com base na Lei da Ficha Limpa.

A desinformação aparece na legenda adicionada ao vídeo da apresentadora, em que é afirmado que querem "excluir Lula das eleições desse ano” e adicionada a hashtag #Eleições2022. No vídeo, a apresentadora Renata Lo Prete anuncia:

“O TSE formou maioria para rejeitar o registro da candidatura de Lula à presidência da República. Acaba de votar o ministro Admar Gonzaga. Com o voto dele contra o registro da candidatura do ex-presidente, a maioria do TSE votou para excluir Lula das eleições deste ano. Admar acompanhou o voto do relator, Luis Roberto Barroso, e o placar no TSE está em 4 a 1 para rejeitar o registro. Ainda faltam os votos de Tarcisio Vieira e da presidente do TSE, Rosa Weber. Pelo voto da maioria, Lula não poderá mais participar de campanha e ficará fora da propaganda no rádio e na TV. Não terá o nome da urna. O PT terá até dez dias para substituir o candidato e até lá não terá direito ao horário eleitoral gratuito. A cobertura completa desse julgamento você vai ver no Jornal da Globo."

Naquela época, Lula havia sido condenado em duas instâncias por corrupção passiva e lavagem de dinheiro e estava preso. Em 15 de abril de 2021, o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a anulação das condenações de Lula na operação Lava Jato, ao declarar incompetência da 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, o que o tornou elegível para qualquer disputa. Na quinta-feira (8), o candidato petista teve sua candidatura aprovada com unanimidade pelo TSE.

O Aos Fatos fez um levantamento dos processos em que o ex-presidente Lula foi absolvido.

Esta checagem também foi feita pelo G1.

Referências:
1. Globoplay
2. TSE (1 e 2)
3. TRF
4. STF
5. G1
6. Aos Fatos


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.