🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Vídeo em que artistas convocam para protestos é de 2015, não atual

Por Luiz Fernando Menezes

2 de março de 2020, 16h11

Um vídeo de março de 2015 em que artistas convocam a população para protestos pelo impeachment de Dilma Rousseff (PT) ressurgiu em sites e perfis nas redes sociais como se fosse atual, referente aos atos pró-Bolsonaro marcados para este mês (veja aqui).

A desinformação tem sido amplificada por sites como o Notícias Brasil Online e perfis pessoais no YouTube e no Facebook. Nesta última rede, os posts enganosos já acumulavam ao menos 20 mil compartilhamentos nesta segunda-feira (2) e foram marcados com o selo FALSO na ferramenta de verificação (saiba como funciona).


FALSO

Um vídeo com depoimentos de vários artistas convocando a população às manifestações pelo impeachment de Dilma Rousseff, lançado em março de 2015, tem circulado nas redes sociais como se fosse atual e referente aos protestos a favor do governo Jair Bolsonaro, marcados para o próximo dia 15.

Na época, o apoio dos artistas, entre eles os atores Kadu Moliterno e Caio Castro, chegou a ser noticiado pela imprensa. As convocações que aparecem no vídeo podem ser encontradas na página do movimento Vem Pra Rua Brasil e são de 13 de março de 2015.

A edição que voltou a circular agora, com os depoimentos sequenciados em um único vídeo, foi publicada primeiro no dia 13 de março de 2015 pela página no Facebook Parada Hétero Brasil.

Manifestações. Após o vídeo começar a circular fora de contexto, a atriz Alessandra Maestrini, que se manifestou na época dos protestos contra Dilma e aparece nas imagens, disse no Instagram que não é a favor dos atos pró-Bolsonaro.

Os outros artistas citados na publicação — Paulo Ricardo, Christine Fernandes, Marcelo Serrado, Caio Castro, Márcio Garcia, Kadu Moliterno e Malvino Salvador — não fizeram convocações a protestos em favor do atual governo.

Outro lado. No dia 2 de março, Aos Fatos entrou em contato com o Notícias Brasil Online para que eles pudessem comentar a checagem. Após orientação da redação, o editor do site corrigiu o texto e publicou uma errata no dia 4 de março.

Referências:

1. Época
2. IG


Esta checagem foi atualizada às 20h24 do dia 4 de março para acrescentar a informação de que o Notícias Brasil Online corrigiu o texto identificado como FALSO.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.