Vídeo de Bolsonaro em supermercado mostra elogio ao Auxílio Brasil, não ao Bolsa Família

Por Marco Faustino

30 de janeiro de 2024, 14h01

Não é verdade que um vídeo mostra uma cliente de um supermercado dizendo para Jair Bolsonaro (PL) que compra mais produtos com o atual Bolsa Família do que com o Auxílio Brasil, benefício instituído pelo ex-presidente em substituição ao criado no primeiro governo Lula (PT). O registro difundido pelas peças de desinformação foi gravado em 2022 e editado para omitir trecho em que a cliente elogia o Auxílio Brasil, em vigência à época, e diz que o benefício é melhor que o Bolsa Família, encerrado por Bolsonaro em 2021. Em 2023, o governo Lula recriou o Bolsa Família.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulavam 11 mil curtidas no Instagram e milhares de visualizações no Kwai até a tarde desta terça-feira (30).


Selo falso

Bolsonaro foi no mercado fazer politicagem. Aí ele foi perguntar para as pessoas o que elas faziam com o Bolsa-Família e o que elas faziam com o Auxílio-Brasil. E a mulher falou aí a verdade, né? Com o Bolsa-Família ela está comprando muito mais coisa do que comprava antigamente.

Diferentemente do que fazem crer posts nas redes, mulher diz em gravação feita em 2022, que comprava mais produtos com o Auxílio-Brasil do que o antigo Bolsa-Família.

O vídeo que mostra uma conversa entre Bolsonaro e uma cliente de supermercado não é atual nem exibe a mulher dizendo que compra mais produtos com o atual Bolsa Família do que quando recebia o Auxílio Brasil. O registro original foi gravado em outubro de 2022 e circula editado para omitir que a cliente, na realidade, responde a Bolsonaro que estava comprando mais itens com o Auxílio Brasil do que na época que recebia o Bolsa Família.

A versão editada omite a pergunta completa de Bolsonaro, que faz a seguinte indagação a cliente: “Antes dos R$ 190 do Bolsa Família, o que a senhora não comprava, que hoje compra com o Auxílio-Brasil?”. Então, a cliente diz que, antes do benefício criado por Bolsonaro, comprava bem menos leite, verduras, arroz e que, mesmo economizando dinheiro, ainda faltavam produtos.

Leia mais
WHATSAPP Inscreva-se no nosso canal e receba as nossas checagens e reportagens

Bolsonaro faz referência ao valor médio de R$ 190 do Bolsa Família — programa de transferência de renda criado em 2004 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) — que foi pago até outubro de 2021, quando foi criado o Auxílio Brasil para substituí-lo. Desde então houve alterações de valores:

  • O valor médio subiu em novembro de 2021 para R$ 217,18;
  • Em maio de 2022, o benefício teve o valor mínimo fixado em R$ 400, o que elevou a média para R$ 409,51;
  • Em julho de 2022, o valor mínimo foi reajustado para R$ 600 com validade até dezembro daquele ano;
  • Em janeiro de 2023, Lula assinou uma MP (Medida Provisória) que manteve o valor de R$ 600 do benefício, que voltou a ser chamado de Bolsa Família em março. O novo Bolsa Família passou a incluir valores adicionais para cada criança e adolescente na composição familiar
Leia mais
Nas Redes Nova lei não exige atualização de CPF para quem recebe Bolsa Família e BPC
Nas Redes É falso que Lula cortou 8 milhões de cadastros do Bolsa Família e gastou mais de R$ 1 bilhão em viagens

Referências:

1. Facebook
2. Diário do Nordeste
3. Governo Federal (Fontes 1 e 2)
4. Câmara dos Deputados
5. Valor Investe
6. Exame

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.