PT não defende estatizar rádios e emissoras de TV religiosas

Compartilhe

Três textos publicados em sites de orientação católica dando conta de que o PT planeja estatizar rádios e emissoras de TV religiosas distorcem informações e as tiram de contexto, de modo a difundir uma versão enganosa dos fatos.

As publicações retiram trechos de um documento produzido pela tendência Esquerda Marxista, que deixou o PT em 2015, e atribuem os posicionamento ao partido como um todo, distorcendo a informação.

Denunciada por usuários do Facebook, a publicação foi marcada com o selo DISTORCIDO na ferramenta de verificação disponibilizada pela rede social (entenda como funciona).

Confira, abaixo, em detalhes, o que Aos Fatos checou.


DISTORCIDO

PT defende estatização da Canção Nova, TV Aparecida e outras emissoras religiosas

Os textos dos sites católicos citam um trecho do caderno de teses do 5º Congresso Nacional do PT, que aconteceu em abril de 2015, em Salvador, a fim de sustentar que o partido defende a estatização de emissoras religiosas.

O trecho diz: “Estatizar a Rede Globo, que é concessão pública e abri-la para os movimentos sociais! (…) Estatizar todas as redes, TVs e rádios religiosas, de qualquer confissão. O Estado é laico e os serviços públicos devem ser laicos e democráticos”.

Esse documento, porém, representa a visão de apenas uma das sete tendências internas do PT que publicaram suas teses, a Esquerda Marxista, que anunciou a saída do partido naquele mesmo ano para entrar no PSOL.

Ao final daquele congresso, o PT divulgou a Carta de Salvador, documento em que mostra as resoluções aprovadas por todo o partido. Em apenas um trecho é citada “a democratização dos meios de comunicação”, que, segundo o documento, deveria ter sido uma “tarefa prioritária” dos governos petistas. A carta, porém, não detalha como seria feita essa “democratização” e não cita as teses da Esquerda Marxista.

No Facebook, a informação distorcida foi compartilhada mais de 600 vezes em uma página chamada Paraclitus, 653 no site CatólicaConect e outras 312 vezes na página Nossa Senhora Cuida de Mim. Os links são para os sites Filhos de Deus.blog, CatólicaConect e Nossa Senhora cuida de mim.

A informação distorcida circula desde 2015 e, de tempos em tempos, ressurge em novas fontes. Na época, um texto do colunista Vanderlúcio Souza, no site do jornal O Povo, do Ceará, foi publicado exatamente com o título distorcido: “PT defende estatização da Canção Nova, TV Aparecida e outras emissoras religiosas”.

Depois, o título foi atualizado para deixar claro que se tratava de uma tese em discussão, não de um posicionamento do partido: “Tese do PT defende estatização da Canção Nova, TV Aparecida e outras emissoras religiosas”.

Aos Fatos entrou em contato com o PT. Esta checagem será atualizada caso haja resposta.

Compartilhe

Leia também

falsoPosts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Posts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Pré-candidato, Marçal oferece prêmio a seguidores e especialistas veem infração eleitoral

Pré-candidato, Marçal oferece prêmio a seguidores e especialistas veem infração eleitoral

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’