Não é verdade que Ciro gravou áudio dizendo que eleições estão armadas para Lula

Por Priscila Pacheco

4 de outubro de 2022, 15h40

Não foi gravado pelo candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) um áudio com as alegações falsas de que a eleição estava armada a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e que as Forças Armadas vão afastar o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Alexandre de Moraes, como afirmam postagens (veja aqui). A assessoria do PDT negou que Ciro tenha feito tal gravação, e Aos Fatos não encontrou discursos similares do ex-ministro. Na tarde desta terça (4), o pedetista declarou apoio a Lula no segundo turno da eleição presidencial.

Esta peça de desinformação conta com ao menos 40,8 mil interações no TikTok, 6.100 visualizações no Instagram e mil compartilhamentos no Facebook nesta terça-feira (4).


Selo falso

Rapaz, a partir do momento que o TSE, no comando daquele advogado de facção, diz que ninguém pode contestar as eleições, já estava tudo armado, meu amigo. Isso é certo, todo mundo sabe. Eu vou dizer o que vai acontecer. As Forças Armadas sabem disso. Na hora que der o resultado das eleições que o Lula ganhou, vai ser colocado em prática o artigo 142, viu? Vai ser restabelecida a ordem, se afasta Xandão, se afasta esses vagabundo tudinho, ladrão, safado dessa quadrilha.

Postagens destacam áudio falso para afirmar que Ciro Gomes fala sobre fraude eleitoral e contra o TSE

Postagens nas redes sociais enganam ao atribuir ao ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) um áudio que fala de uma suposta trama para fraudar as eleições em benefício do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e que o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Alexandre de Moraes, seria preso pelas Forças Armadas. A assessoria de imprensa de Ciro Gomes disse em nota que o áudio “claramente” não é do pedetista, que declarou, nesta terça-feira (4), apoio a Lula no segundo turno da eleição presidencial.

As postagens ganharam tração na segunda-feira (3), um dia depois do primeiro turno. O Aos Fatos não identificou fala semelhante do político durante a campanha. No dia 26 de setembro, durante discurso em que ressaltou a manutenção da candidatura, Ciro Gomes disse que o Brasil estava na iminência de sofrer a maior fraude eleitoral da história, mas não se referia ao sistema de votação. Ele criticou na ocasião as estratégias do presidente Jair Bolsonaro (PL) e de Lula, mas ressaltou a inviolabilidade do sistema eleitoral. Inclusive, chamou de “mentirosa” a fraude das urnas eletrônicas “inventada por Bolsonaro”:

“Lula continua a repetir que colocou os poros no orçamento, quando na verdade os contentou com migalhas deixando-os aonde sempre estiveram, na escravidão da pobreza. Bolsonaro, sua cria maligna, seguiu parte dessa cartilha aliando-se ao centrão e rendendo-se à corrupção e ao clientelismo. E acrescentou, sem dúvida, conteúdos gigantescamente mais pavorosos: o desrespeito às instituições e crimes contra a humanidade. Mas essas diferenças não conseguem os separar de tudo. Ao contrário, conteúdos políticos e econômicos profundos, mas os aproximam do que os separam. Por isso tudo o Brasil está na iminência de sofrer a maior fraude eleitoral da nossa história, não a mentirosa fraude das urnas eletrônicas inventada por Bolsonaro, mas a fraude do estelionato eleitoral, que sofrerão as vítimas que apertarem nas urnas invioláveis o 13 ou 22. As urnas são de fato invioláveis, mas a legítima vontade popular está sendo tremendamente violada.”

Vale ressaltar que não há comprovação de fraude em eleições recentes no Brasil. Aos Fatos não conseguiu identificar o verdadeiro autor do áudio.

Referências:

1. Twitter Ciro Gomes
2. YouTube Poder360
3. Escriba
4. TSE


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.