É falso que manifestante usou batom para simular agressão policial durante protesto na Alesp

Por Marco Faustino

8 de dezembro de 2023, 12h37

Não é verdade que um dos participantes de um protesto na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) na última quarta-feira (6) usou batom líquido para simular uma agressão da polícia. Posts desinformativos nas redes fazem essa alegação mostrando a foto de um estudante que de fato foi ferido em confronto com agentes de segurança. Reportagens atestam que policiais atingiram militantes com cassetetes. Não há provas de que cosméticos tenham sido usados para imitar ferimentos.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulavam centenas de compartilhamentos e curtidas no Facebook e no Instagram, além de milhares de visualizações no TikTok até a tarde desta sexta-feira (8).


Selo falso

Isso é a Esquerda! Manifestantes fingem agressão e sangramento em votação na Alesp

Vídeo alterna cenas de manifestação ocorrida na Alesp com foto de militante ferido e imagens de batom líquido vermelho para alegar que militantes teriam forjado agressões policiais

A foto de um jovem ferido no confronto com a polícia durante um ato ocorrido na Alesp na última quarta (6) tem circulado nas redes junto de uma gravação em que uma pessoa segura um batom líquido vermelho para fazer crer que o militante teria usado o cosmético para simular uma agressão.

Em nota, a UP (Unidade Popular), partido que participou dos atos, afirmou que o rapaz que aparece ferido é um estudante do IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo). Foi enviada ao Aos Fatos uma outra imagem que mostra o ferimento na cabeça do jovem, que teria feito exame de corpo de delito para provar as lesões.

A UP disse, ainda, que o batom que aparece nas imagens pertencia a uma manifestante, cuja identidade é desconhecida.

Imagens e relatos da imprensa atestam que policiais militares usaram cassetetes e spray de pimenta em confronto com os militantes, que protestavam contra a privatização da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), aprovada naquele dia no plenário. A confusão começou quando os manifestantes tentaram derrubar um vidro que separa a audiência dos deputados estaduais. O presidente da Alesp, André do Prado (PL), chegou a suspender a sessão e esvaziar o local. Quatro pessoas foram presas e policiais também ficaram feridos.

Aos Fatos questionou a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo) se o vídeo que mostra o batom foi gravado por um policial militar e se há provas de que os manifestantes teriam usado cosméticos para simular ferimentos. A secretaria afirmou que algumas pessoas no plenário de fato estavam com “produtos artificiais com coloração e aspectos semelhantes ao sangue humano”, que, no entanto, não foram apreendidos. Não foram fornecidos elementos que pudessem comprovar a simulação das agressões.

Na última quinta (7), no entanto, o Metrópoles noticiou que a Polícia Civil de São Paulo abriu uma investigação para apurar se manifestantes teriam usado “sangue falso” durante o confronto.

Referências:

1. Boticário
2. Twitter [@UP80BR]
3. Folha de S. Paulo
4. UOL
5. G1
6. Metrópoles

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.