É falso que Lula cancelou perdão a dívidas do Fies

Por Ethel Rudnitzki

12 de dezembro de 2023, 15h41

Não é verdade que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cancelou um perdão à dívida do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) que teria sido concedido por Jair Bolsonaro (PL), como afirma vídeo viral no TikTok. O programa anunciado pelo governo federal garante a renegociação das dívidas, assim como medida da gestão anterior. Não houve perdão de dívidas em nenhum dos dois casos.

O vídeo acumulava mais de 430 mil visualizações na plataforma até a manhã desta terça-feira (12).


Selo falso

A partir de segunda-feira você já pode pagar a dívida que Bolsonaro tinha perdoado

 Vídeo mistura anúncio de Lula com fala imprecisa de Bolsonaro para mentir sobre renegociação do Fies

Um vídeo viral no TikTok engana ao alegar que o governo Lula anulou um perdão a dívidas do Fies que teria sido concedido pelo governo Bolsonaro.

O conteúdo mistura um anúncio do governo federal com uma fala imprecisa de Bolsonaro. No trecho, o então presidente dizia que “a grande maioria” dos estudantes com dívidas poderia “ser anistiada em até 99% do empréstimo”. Na verdade, a parcela de devedores que tinham direito a perdão de 99% do saldo devedor no Fies correspondia a apenas 17% do total de 1 milhão de inadimplentes na época. Portanto, a iniciativa do governo anterior não garantia o perdão da dívida.

A medida implementada pelo governo atual também garante desconto de 99% sobre o valor total da dívida para uma parcela dos devedores. A nova lei apenas ampliou o período do vencimento das dívidas dos inadimplentes com direito ao programa para 30 de junho de 2023, que antes era 30 de dezembro de 2021.

Durante seu mandato, Bolsonaro repetiu 19 vezes a alegação falsa sobre ter perdoado a dívida do Fies, conforme o agregador de declarações do Aos Fatos.

No início do ano, outras peças desinformativas que circularam nas redes sociais também alegavam que o atual governo teria cancelado a renegociação de dívida implementada pela gestão anterior. Aos Fatos também desmentiu as publicações na época.

Referências:

1. TikTok [@lulaoficial]

2. Aos Fatos (1, 2)

3. Poder 360

4. Governo Federal

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.