É falso que Dilma Rousseff assumirá Ministério da Defesa de Lula

Por Bianca Bortolon

27 de dezembro de 2023, 15h59

Não é verdade que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), atualmente à frente NBD (Novo Banco de Desenvolvimento), assumirá o Ministério da Defesa do governo Lula (PT), substituindo o atual ministro José Múcio Monteiro. As postagens desinformativas compartilham como se fosse verdade um texto satírico do site Portal Militar.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulavam 17 mil visualizações no TikTok e centenas de curtidas no Instagram até a tarde desta quarta-feira (27). As peças circulam também no Telegram e no WhatsApp, plataforma na qual não é possível estimar o alcance dos conteúdos (fale com a Fátima).


Selo falso

BOMBA! Múcio sai em fevereiro e Dilma Roussef assume como Ministra da Defesa

Posts compartilham postagem satírica afirmando que Dilma Roussef substituirá José Múcio Monteiro, atual ministro da Defesa, como se fossem verdadeiras.

Um texto satírico afirmando que a ex-presidente Dilma Rousseff assumirá em fevereiro o Ministério da Defesa tem circulado nas redes como se fosse real. A peça original foi publicada nesta terça-feira (26) pelo site Portal Militar, que diz se tratar de uma peça de “humor crítico”.

Imagem mostra a matéria original publicada pelo Portal Militar e destaca elementos que deixam claro se tratar de uma peça satírica
Peça satírica. A matéria publicada pelo Portal Militar indica se tratar de uma sátira, mas postagens nas redes compartilham como se fosse uma notícia real.

Além disso, não há nenhum registro recente indicando que a ex-presidente do Brasil irá assumir a pasta. Em 14 de abril deste ano, ela tomou posse como dirigente do NDB, banco multilateral estabelecido em 2014 pelos Brics para facilitar empréstimos de infraestrutura e desenvolvimento para países emergentes. Atualmente, a instituição também é composta por países que não integram o bloco, como Emirados Árabes, Egito, Uruguai e Bangladesh.

À época, Aos Fatos desmentiu peças desinformativas alegando que, após Rousseff assumir a “presidência dos Brics”, 19 países teriam manifestado interesse em ingressar no bloco. Na verdade, Dilma não foi escolhida como dirigente do bloco econômico, e sim do NBD. Além disso, declarações de autoridades e registros na imprensa mostram que vários pedidos de adesão teriam ocorrido ainda em 2022, quando Jair Bolsonaro (PL) era presidente do Brasil.

Referências:
1. Portal Militar
2. G1
3. India Times
4. Aos Fatos

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.