É falso que SP revisou dados e agora registra apenas 26 mortes por Covid-19

Por Luiz Fernando Menezes

6 de abril de 2020, 15h33


Publicações que circulam nas redes sociais enganam ao afirmar que o governo de São Paulo revisou para baixo o número de mortes por Covid-19 (veja aqui). Ao sustentar a informação falsa, as postagens tratam como iguais dados que são diferentes: o saldo de testes pendentes divulgado no dia 3 de março (de 201 exames feitos sobre mortes suspeitas, 26 deram positivo, 119 negativo, 37 estavam inadequados e 19 serão refeitos) e o total de óbitos pela doença confirmados no estado: 214 naquele dia.

O conteúdo enganoso circula desde sábado (4) em publicações que, no Facebook, acumulavam ao menos 12 mil compartilhamentos na tarde desta segunda-feira (6). Todos foram marcados com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (saiba como funciona).


FALSO

A FRAUDE PAULISTA. Das 201 mortes, 119 tiveram resultado negativo para o coronavírus. Outros 37 exames foram considerados inadequados, ou seja, não foi possível fazer a análise porque as amostras estavam prejudicadas seja por falta de material, coleta incorreta ou danificada durante o transporte. De acordo com a secretaria 19 exames foram classificados como “extraído”, ou seja, houve dúvida na análise e os testes estão sendo refeitos. APENAS 26 MORTOS EM SÃO PAULO.

É falso que o governo de São Paulo revisou dados e registra agora somente 26 mortes por Covid-19, como afirmam publicações nas redes sociais que acusam a gestão de João Doria (PSDB) de inflar os números da doença. As postagens enganam ao tratar como se fossem a mesma coisa dois dados distintos: o diagnóstico de mortes suspeitas e o total de óbitos pelo novo coronavírus confirmados no estado.

Para isso, os posts checados citam reportagem do G1 de sexta-feira (3) que traz dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde paulista sobre resultados de testes de pacientes mortos com suspeita da doença. Dos 201 exames pendentes até aquele dia, 26 deram positivo para Covid-19, 119 acusaram negativo, 37 estavam inadequados (a análise não foi efetuada por falta de material, coleta incorreta ou danificada) e 19 serão refeitos pois houve dúvida na análise.

Essas informações são distintas da estatística oficial de mortes pelo novo coronavírus no estado, que, naquela mesma sexta-feira, chegou a 214, já somados os 26 casos positivos informados pelos testes do Instituto Adolfo Lutz. Ou seja, não houve revisão para baixo.

Desde então, o número total de óbitos cresceu: 275 no domingo (5), dado mais recente até a publicação desta checagem. Só na capital, 220 pessoas já morreram em decorrência da Covid-19.

A disputa entre governadores e o presidente Jair Bolsonaro tem estimulado nas redes sociais a narrativa de que o número de mortes pelo novo coronavírus é inflado pelos estados como justificativa para a extensão de medidas de isolamento social. Aos Fatos já desmentiu que as mortes de um borracheiro em acidente de trabalho e de um homem atropelado em São Paulo foram registradas nos atestados de óbito como Covid-19. Também checamos a falsidade de um comunicado atribuído ao Ministério da Saúde que orientava familiares a desconfiarem da causa da morte de parentes.

Referências:

1. G1
2. Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo
3. Aos Fatos (Fontes 1, 2 e 3)


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.