É falso que Anthony Fauci disse que coronavírus seria fruto de engenharia genética

Por Luiz Fernando Menezes

9 de junho de 2021, 19h28

Emails trocados entre cientistas e o infectologista Anthony Fauci, conselheiro da Casa Branca no combate à Covid-19, não afirmam que o novo coronavírus é fruto de engenharia genética, como afirmam nas redes sociais (veja aqui). As mensagens, obtidas pela imprensa americana, são de fevereiro de 2020, não sugerem que o Sars-Cov-2 foi fabricado em laboratório e um cientista com quem o médico trocou os emails desmentiu as alegações.

As informações enganosas acumulavam ao menos dois mil compartilhamentos nas redes sociais nesta quarta-feira (9). O conteúdo foi sinalizado como desinformação na ferramenta de verificação da plataforma (veja como funciona).


Vazam e-mails para Dr. Fauci, da Casa Branca, afirmando que o vírus chinês aparenta ser fruto de engenharia genética e inutilidade das máscaras.

É falso que Anthony Fauci, infectologista e conselheiro da Casa Branca no combate à Covid-19, teria dito que o novo coronavírus seria fruto de “engenharia genética” em emails trocados com cientistas. As mensagens, obtidas pela imprensa americana, datam de fevereiro de 2020 e mencionam diversas hipóteses que foram posteriormente rechaçadas tanto pelo remetente quanto pelos destinatários.

As peças de desinformação têm como base uma investigação do site Buzzfeed News, que teve acesso a 3.200 páginas com emails trocados por Fauci entre janeiro e junho de 2020. Em nenhum momento Fauci escreve que o Sars-CoV-2 tinha origem laboratorial. No final de janeiro, ele trocou e-mails com o pesquisador Kristian G. Andersen, que pesquisava a origem do novo coronavírus e considerava diferentes teorias acerca do surgimento do vírus.

O pesquisador publicou um artigo cerca de um mês depois, na Nature Medicine, em que diz que o Sars-CoV-2 não teria sido construído em laboratório. Andersen também ressaltou em sua conta no Twitter que a mensagem foi enviada a Fauci com apenas dois dias de análise e que seus posicionamentos faziam parte do processo científico. Em entrevista à CNN, Fauci disse acreditar que o novo coronavírus foi transmitido “de espécie para espécie”.

Máscaras. Sobre o uso de máscaras, as peças de desinformação argumentam que, em pelo menos dois emails, Fauci teria dito que os equipamentos seriam inúteis. As mensagens enviadas são de fevereiro de 2020, quando a orientação era de que as máscaras deveriam ser prioritariamente utilizadas por médicos, antes que houvesse um consenso internacional sobre a orientação de uso pela população em geral.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) só recomendou o uso universal das máscaras em junho do ano passado. Já o CDC (Centers for Disease Control, órgão de saúde do governo dos EUA), passou a recomendá-las em abril. “Se soubéssemos que os dados mostrariam que as máscaras fora do cenário hospitalar realmente funcionavam, nós teríamos feito algo diferente”, disse Fauci à CNN.

As peças de desinformação também foram checadas no Brasil pela Agência Lupa e pelo Projeto Comprova. Nos EUA, por Poynter, Factcheck.org, USA Today e AFP .

Outro lado. Procurado por Aos Fatos, o site Politz, que veiculou a informação enganosa, não respondeu até a publicação desta checagem, na noite desta quarta-feira (9).

Referências:

1. Buzzfeed News
2. Nature Medicine
3. CNN
4. Twitter Kristian G. Andersen (Fontes 1 e 2)
5. BBC
6. NPR


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.