É falso que Bolsonaro assinou decreto que proíbe políticos de deixarem o país

Compartilhe

Não é verdade que o presidente Jair Bolsonaro (PL) assinou um decreto que cancela a emissão de passaportes diplomáticos e a concessão de cidadania a políticos, além de proibi-los de deixarem o país, como alega áudio que viralizou nas redes. Nenhuma norma semelhante foi publicada no DOU (Diário Oficial da União). Tampouco procede que 300 servidores foram remanejados para Itamaraty e embaixadas: decreto publicado na semana passada apenas alterou a estrutura dos gabinetes da Presidência e impactou cerca de 300 funções no governo.

A publicação enganosa acumula ao menos 12 mil compartilhamentos no Facebook até a tarde desta segunda-feira (19). O conteúdo também circula no WhatsApp (fale com a Fátima), onde não é possível estimar o seu alcance (Fale com a Fátima).


Selo falso

(...) Está proibida a emissão de passaportes diplomático e proibida a saída de políticos e cidadanias de qualquer pessoa política do país. Vocês entenderam ou quer que eu desenhe? Então se vocês não entenderam vai lá na DOU, que é o Diário Oficial da União, e lê o decreto. (...) Trezentas pessoas transferidas para desembargador, Itamaraty e embaixadas. Nenhum político pode deixar o país. Nenhum político, nenhum visto vai poder ser dado. Nenhuma cidadania pode ser dada.

Áudio que circula nas redes engana ao afirmar que Bolsonaro proibiu passaporte diplomático e cidadania a políticos

Um áudio que viralizou nas redes sociais engana ao afirmar que Bolsonaro assinou decreto que cancela a emissão de passaportes diplomáticos e a concessão de cidadania a políticos, além de proibi-los de sair do país. Não há qualquer norma similar publicada no DOU (Diário Oficial da União), e a página em que o Ministério das Relações Exteriores explica a solicitação de passaporte diplomático continua no ar. Também não há registros na imprensa ou em sites do governo que corroboram a alegação do áudio.

Em certo momento do áudio, a autora afirma ainda que o suposto decreto prevê “300 pessoas transferidas para desembargador, Itamaraty e embaixadas”. Ainda que não tenha ocorrido nenhum remanejamento recente entre servidores das áreas mencionadas, Bolsonaro de fato assinou um decreto na quarta-feira (14) que alterou a estrutura dos gabinetes da Presidência da República e impactou cerca de 300 funções da administração federal. Também houve mudanças similares nos quadros do Ministério da Defesa e da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Nos últimos dias, tem circulado nas redes sociais a teoria enganosa de que o futuro presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teria antecipado a data de sua diplomação para garantir um passaporte diplomático que lhe permitiria visitar os Estados Unidos sem o risco de ser preso. Como mostrado por Aos Fatos, no entanto, além de Lula já ter direito ao documento por ter ocupado a função de presidente da República, não há qualquer mandado de prisão em aberto contra ele na Justiça americana.

Referências

  1. Planalto (1, 2, 3 e 4)
  2. Governo federal
  3. Metrópoles
  4. Aos Fatos

Compartilhe

Leia também

Com demissões e sem ‘PL das Fake News’, 'big techs' aprofundam apagão de dados sobre moderação

Com demissões e sem ‘PL das Fake News’, 'big techs' aprofundam apagão de dados sobre moderação

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

falsoIdosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

Idosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro