Vídeo de protesto contra Lula divulgado como atual é de 2018

Por Marco Faustino

6 de junho de 2022, 17h21

Um vídeo de 2018 de um protesto contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), filmado em frente ao Hotel Sheraton de Porto Alegre (RS), voltou a circular nas redes sociais como se fosse atual (veja aqui). A manifestação ocorreu em 2018, quando o petista foi à capital gaúcha para acompanhar um julgamento do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região).

O conteúdo enganoso reunia 300 mil visualizações no Kwai e 21 mil compartilhamentos no Facebook nesta segunda-feira (6).


Selo não é bem assim

Vídeo mostra protesto contra Lula em frente ao Hotel Sheraton, em Porto Alegre (RS), em junho de 2022

Vídeo mostra protesto na capital gaúcha contra Lula em 2018, não em 2022

Um protesto contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em frente ao Hotel Sheraton, em Porto Alegre (RS), foi gravado em 2018, e não recentemente, como afirmam postagens nas redes sociais. Por meio de busca reversa, Aos Fatos localizou que o vídeo original foi publicado no canal do site O Antagonista no YouTube, em 23 de janeiro daquele ano.

Na época, Lula foi à cidade para acompanhar o julgamento no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), que confirmou a condenação do petista pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá. Ele se hospedou no Hotel Sheraton, no bairro Moinhos de Vento, e manifestantes com bandeiras do Brasil protestaram contra ele em frente ao estabelecimento. Imagens da manifestação também foram registradas pelo Estadão e pelo MBL (Movimento Brasil Livre).

A condenação de Lula foi anulada em março de 2021 pelo STF (Supremo Tribunal Federal) e arquivada por decisão da juíza Pollyanna Alves, da 12ª Vara Federal Criminal em Brasília, em janeiro de 2022. Entre os dias 1° e 2 de junho deste ano, o ex-presidente voltou a Porto Alegre para participar de eventos públicos e encontros partidários. Desta vez, Lula ficou hospedado no hotel Plaza São Rafael e não houve protesto semelhante, conforme informou a sua assessoria.

Origem. O vídeo antigo difundido fora de contexto tem uma marca d’água da plataforma de vídeos Kwai e um nome de usuário. Com esses elementos e com informações do código-fonte da página do vídeo, Aos Fatos verificou que o registro circula desde março como se fosse recente. Na época, a AFP publicou uma checagem semelhante.

Referências:

1. YouTube
2. TRF4
3. Facebook (Fontes 1 e 2)
4. G1 (Fontes 1 e 2)
6. Partido dos Trabalhadores
7. Kwai


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.