Posts usam banner do Avante para dar a entender que Zema apoiou Lula em 2022

Por Luiz Fernando Menezes

9 de janeiro de 2024, 15h18

Posts nas redes usam materiais de campanha que não foram feitos pelo partido de Romeu Zema (Novo) e nos quais ele aparece em montagens ao lado de Lula (PT) para dar a entender que o hoje governador apoiou o petista na disputa de 2022. Na verdade, os panfletos e faixas usados nas peças foram produzidos pelo partido Avante, que apoiou Zema para o governo de Minas Gerais e Lula para a Presidência, mas não tiveram anuência do Novo. Em 2022, quando se reelegeu, Zema deu declarações de apoio a Jair Bolsonaro (PL) e fez críticas a Lula.

Publicações que descontextualizam o cartaz, afirmando que Zema “sempre foi Lula”, acumulavam ao menos mil compartilhamentos no X (ex-Twitter) e centenas de curtidas no Instagram até a tarde desta terça-feira (9).


Selo não é bem assim

Essa sempre foi a verdade do Zema, ele sempre foi Lula.

Tuíte mostra cartaz do Avante mostra rosto de Lula e Zema lado a lado; acima, legenda sugere que governador ‘sempre foi Lula’

Desde que confirmou presença no evento realizado em Brasília na última segunda-feira (8) para marcar um ano da invasão golpista à sede dos Três Poderes, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), tem sido criticado nas redes por usuários que fazem oposição ao governo Lula. Apesar de ter desistido de participar da solenidade, o governador tem sido alvo de peças de desinformação, que têm compartilhado um pôster descontextualizado para sugerir que ele teria apoiado o presidente Lula nas eleições de 2022.

O cartaz que mostra Lula ao lado de Zema é real, mas não é um material de campanha oficial: ele foi produzido em setembro de 2022 pelo Avante. O partido era coligado ao Novo, de Zema, na eleição de Minas Gerais, mas também apoiava a eleição de Lula. Em nota publicada em setembro de 2022, tanto o Novo como Zema desautorizaram o cartaz.

A peça publicitária foi produzida durante o primeiro turno do pleito de 2022. Naquela época, Zema apoiava o candidato de seu partido à Presidência, Luiz Felipe D’Ávila, e por isso se absteve de fazer muitos comentários em relação a Lula ou a Bolsonaro. Ainda em setembro, no entanto, o governador sinalizou que em um eventual segundo turno entre Lula e Bolsonaro não ficaria ao lado do PT.

Apesar do posicionamento do governador, veículos de imprensa estimaram no ano passado que muitos dos eleitores de Zema acabaram votando em Lula no primeiro turnoreeleito, o político mineiro recebeu 6 milhões de votos, enquanto o petista recebeu 5,8 milhões e Bolsonaro, 5,2 milhões. Questionado sobre o tema, Zema afirmou na época que o resultado se deu porque “Lula tem identificação com algumas regiões do Brasil, que é a origem dele” e que “o eleitor não é um animal racional que coloca tudo em uma planilha”.

No segundo turno, o mineiro e seu partido apoiaram explicitamente o ex-presidente Jair Bolsonaro. Na época, inclusive, o governador afirmou que o Brasil e seu estado iriam “perder muito” caso Lula vencesse o pleito e que apoiar um candidato do PT seria impossível porque cidades mineiras “foram arrasadas por este partido”.

Referências:

1. g1
2. Terra
3. O Tempo
4. Instagram (@novo30minasgerais)
5. TSE
6. CNN Brasil
7. UOL (1 e 2)
8. Estado de Minas
9. Valor Econômico
10. Correio Braziliense

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.