Moraes autorizou operações da PF contra Bolsonaro e aliados antes de eventos com o ex-presidente

Compartilhe

São enganosas as publicações que fazem crer que as operações da PF (Polícia Federal) contra aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), em janeiro e fevereiro, ocorreram em virtude de uma perseguição contra ele por causa de sua participação em eventos públicos. As operações foram autorizadas pela Justiça antes de os eventos ocorrerem.

Publicações com a correlação enganosa acumulavam centenas de compartilhamentos no Facebook e milhares de visualizações no X (ex-Twitter) até a tarde desta quinta-feira (8).

Leia mais
WHATSAPP Inscreva-se no nosso canal e receba as nossas checagens e reportagens

Selo falso

Ações contra a direita sempre depois de um grande evento… coincidência ou perseguição? Eles não suportam ver Jair Bolsonaro arrastando multidões nas ruas!

m que foi evidenciada a popularidade do ex-presidente Bolsonaro

Posts enganosos estabelecem uma falsa correlação entre a operação da PF deflagrada contra políticos de direita e aliados de Bolsonaro, em 29 de janeiro e nesta quinta-feira (8), e a participação do ex-presidente em eventos realizados dias antes das ações policiais. As operações foram autorizadas pela Justiça antes que os eventos ocorressem.

Em 27 de janeiro, o ex-presidente Jair Bolsonaro e os três filhos que têm mandatos eletivos anunciaram que iriam realizar uma “superlive” no dia seguinte (28), às 19h. A live foi transmitida no horário marcado. Na segunda-feira (29), o ministro do STF Alexandre de Moraes emitiu um mandado de busca e apreensão, e a PF realizou a operação em endereços ligados especificamente a Carlos Bolsonaro. A ação ocorreu no âmbito de uma investigação que apura se integrantes do antigo governo monitoraram opositores por meio de programas de inteligência.

A petição foi protocolada em 22 de janeiro, e o pedido da PF para realizar a operação foi atendido três dias depois pela PGR (Procuradoria-Geral da República). A decisão autorizando a busca e apreensão na casa do vereador e dos outros citados na investigação foi publicada por Moraes no dia 27 do mês passado, antes, portanto, da realização da live. No texto, consta que o mandado de busca e apreensão foi requisitado pela própria PF.

Leia mais
Nas Redes Moraes autorizou operação contra Carlos Bolsonaro antes de ‘superlive’

Nesta quinta-feira, Bolsonaro e ex-ministros foram alvos de uma outra operação da PF, no âmbito de uma investigação sobre uma organização suspeita de “tentativa de golpe de Estado e abolição do Estado Democrático de Direito” antes e depois das eleições de 2022, com o objetivo de manter Bolsonaro no poder.

As peças checadas enganam ao alegar que a operação teria acontecido em represália a uma visita de Bolsonaro a São Sebastião (SP) na quarta-feira (7). A visita foi anunciada pelo ex-presidente um dia antes (6).

Entretanto, a decisão inicial que autorizou a operação desta quinta, solicitada pela PF, foi assinada por Alexandre de Moraes em 26 de janeiro — ou seja, 12 dias antes do evento em São Sebastião. A petição inicial foi protocolada no STF em 18 de dezembro de 2023 e acatada pela PGR quatro dias depois. No dia 2 de fevereiro, a PF solicitou a inclusão de Valdemar Costa Neto no escopo da medida de busca e apreensão, além da imposição de medidas cautelares diversas. Tudo isso foi acatado pela PGR na quarta-feira (7), o que gerou uma nova decisão de Moraes no mesmo dia.

Referências

  1. YouTube (1 e 2)
  2. Twitter (1 e 2)
  3. G1
  4. STF (1, 2, 3 e 4)
  5. UOL

Compartilhe

Leia também

Pablo Marçal descumpre lei eleitoral ao remunerar seguidores na pré-campanha, dizem especialistas

Pablo Marçal descumpre lei eleitoral ao remunerar seguidores na pré-campanha, dizem especialistas

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’

falsoServiço Secreto não desautorizou disparo em autor de atentado contra Trump

Serviço Secreto não desautorizou disparo em autor de atentado contra Trump