É falso que Canadá disse que vacinados contra Covid-19 contraíram Aids

Compartilhe

Não é verdade que dados do governo do Canadá mostram que 74% das pessoas triplamente vacinadas contra a Covid-19 desenvolveram Aids, como afirmam publicações nas redes. Os documentos citados não associam em nenhum momento a doença à vacinação nem medem o nível de imunidade proporcionado pelas vacinas.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulavam 4 mil compartilhamentos no X (ex-Twitter), além de centenas de curtidas e compartilhamentos no Instagram e no Facebook, respectivamente, até a tarde desta terça-feira (3).


Selo falso

Governo canadense admite que 74% dos triplamente vacinados agora têm AIDS

Captura de tela mostra uma das publicações enganosas que alegam que o governo canadense admitiu que 74% dos triplamente vacinados contraíram Aids, o que é falso.

É falso que relatórios do governo canadense mostram que 74% das pessoas que tomaram três doses da vacina contra a Covid-19 perderam imunidade e desenvolveram Aids, como tem sido difundido nas redes. Os documentos citados pelas peças de desinformação não fazem qualquer menção à Aids como consequência da imunização contra a Covid-19.

Os relatórios semanais da Agência de Saúde Pública do Canadá mostram somente o número total de casos, hospitalizações e mortes causadas pela Covid-19, quantidade de testes realizados e lista as variantes que circulam no país do vírus Sars-Cov-2, que causa a doença. O detalhamento sobre casos da doença após a vacinação pararam de ser atualizados em setembro de 2022, e um resumo dos dados era publicado nos relatórios semanais até maio.

Segundo a agência de saúde canadense, uma das razões para isso é que a maioria dos cidadãos do país contraiu a Covid-19 ao menos uma vez, o que tornava difícil separar os impactos da imunidade da doença, da imunidade da vacina e da imunidade de ambas.

As peças enganosas deduzem que 74% dos vacinados que tomaram três doses do imunizante teriam sofrido danos no sistema imunológico e, portanto, contraído Aids, a partir de uma fórmula que leva em consideração as taxas de casos entre vacinados e não imunizados, e realiza subtrações e divisões de maneira arbitrária. O cálculo não serve para medir o desempenho do sistema imunológico, como é falsamente alegado.

“Esse cálculo não faz o menor sentido. Eles distorceram o cálculo de efetividade da vacina para poder criar essa suposta medida de performance do sistema imune. Em toda a minha formação em imunologia, eu nunca ouvi falar desse tipo de cálculo”, afirmou Letícia Sarturi, mestre em imunologia pela USP, ao Aos Fatos.

Leia mais
Nas Redes Relatórios do governo britânico não afirmam que vacinas contra a Covid-19 causam Aids
Nas Redes Substância de coquetel anti-HIV em remédio da Pfizer não é prova de que vacinas contra Covid-19 causam Aids

Em checagem anterior, Sarturi disse que a resposta imunológica ao longo do tempo é avaliada pela geração de células de memória (como linfócitos T e B) e o nível de anticorpos produzido por elas. Essas informações não constam nos relatórios do governo canadense.

É importante esclarecer que uma pessoa não contrai Aids pelo enfraquecimento do seu sistema imunológico, mas devido à infecção pelo vírus HIV, que ocorre pelo contato direto com o sangue, sêmen ou fluidos vaginais de um indivíduo infectado. Segundo a SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia), não se conhece nenhuma relação entre qualquer vacina contra a Covid-19 e a Aids. A infecção pelo HIV leva o indivíduo a perder progressivamente a imunidade celular, tornando-o suscetível a outras doenças.

A alegação falsa circula nas redes desde que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) mentiu ao estabelecer uma ligação entre casos de Aids e vacinas contra Covid-19 durante uma live em outubro de 2021. O ex-mandatário se baseou em sites que publicaram informações falsas, e que citaram relatórios do governo britânico que nunca difundiram essa informação, como checado, na época, pelo Aos Fatos.

Leia mais
Nas Redes 'Exame' não caiu em contradição ao chamar de mentira fala de Bolsonaro sobre vacinas e Aids
BIPE YouTube derruba live de Bolsonaro com associação falsa entre vacinas contra Covid-19 e Aids

Referências

  1. Governo do Canadá (1 e 2)
  2. Wayback Machine (1 e 2)
  3. Aos Fatos
  4. Ministério da Saúde
  5. Agência Aids
  6. G1

Compartilhe

Leia também

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

falsoIdosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

Idosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

falsoLula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores

Lula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores