Poster do agregador

Em 1.367 dias como presidente, Bolsonaro deu 6.381 declarações falsas ou distorcidas

Esta base agrega todas as declarações de Bolsonaro feitas a partir do dia de sua posse como presidente. As checagens são feitas pela equipe do Aos Fatos semanalmente.

Atualizado em 29 de Setembro, 2022


Número de afirmações sobre




As três afirmações mais repetidas

REPETIDA 236 VEZES

Em 2019: 15.dez, 23.dez, 24.dez, 26.dez. Em 2020: 10.jan, 06.fev, 20.fev, 03.mar, 09.mar, 16.mar, 20.mar, 22.abr, 28.abr, 05.mai, 22.mai, 28.mai, 26.jul, 30.jul, 02.ago, 13.ago, 07.out, 08.out, 11.out, 15.out, 22.out, 29.out, 09.nov, 25.nov, 29.nov, 08.dez, 10.dez, 15.dez, 19.dez, 24.dez, 31.dez. Em 2021: 07.jan, 11.jan, 12.jan, 15.jan, 18.jan, 08.fev, 11.fev, 20.fev, 04.mar, 07.abr, 27.abr, 05.mai, 08.mai, 11.mai, 13.mai, 10.jun, 15.jun, 18.jun, 21.jun, 24.jun, 25.jun, 07.jul, 12.jul, 13.jul, 18.jul, 19.jul, 21.jul, 22.jul, 26.jul, 27.jul, 29.jul, 31.jul, 02.ago, 04.ago, 05.ago, 06.ago, 17.ago, 19.ago, 23.ago, 24.ago, 25.ago, 28.ago, 30.ago, 31.ago, 09.set, 10.set, 15.set, 17.set, 21.set, 23.set, 24.set, 30.set, 09.out, 13.out, 14.out, 18.out, 20.out, 21.out, 24.out, 25.out, 27.out, 07.nov, 09.nov, 10.nov, 19.nov, 22.nov, 23.nov, 25.nov, 26.nov, 02.dez, 07.dez, 09.dez, 10.dez, 15.dez, 19.dez, 27.dez, 30.dez, 31.dez. Em 2022: 06.jan, 12.jan, 20.jan, 31.jan, 02.fev, 07.fev, 09.fev, 10.fev, 11.fev, 12.fev, 16.fev, 18.fev, 21.fev, 23.fev, 24.fev, 25.fev, 28.fev, 04.mar, 07.mar, 16.mar, 21.mar, 22.mar, 23.mar, 27.mar, 04.abr, 08.abr, 11.abr, 12.abr, 15.abr, 05.mai, 12.mai, 30.mai, 02.jun, 08.jun, 15.jun, 18.jun, 24.jun, 09.jul, 23.jul, 24.jul, 27.jul, 30.jul, 22.ago, 24.ago, 03.set, 06.set, 07.set, 11.set, 13.set, 14.set, 16.set, 17.set, 20.set, 24.set, 29.set.

“Qual denúncia de corrupção no meu governo? Não tem.”

Integrantes e ex-integrantes do governo Bolsonaro são alvos de investigações e denúncias de casos de corrupção e outros delitos ligados à administração pública. Em junho de 2022, a PF (Polícia Federal) prendeu preventivamente o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro por suposto envolvimento em um esquema de liberação de verbas na pasta. Ele é investigado por prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência e foi liberado por habeas corpus. Atuais e antigos integrantes do governo também são investigados pela PF ou pelo Ministério Público por suspeita de corrupção, como o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP); Ricardo Salles (PL), ex-titular do Meio Ambiente; o deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PL), que comandou o Turismo; e Fabio Wajngarten, que chefiou a Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social). Além disso, relatório de junho deste ano da Americas Society/Council of the Americas afirma que as tentativas do presidente de controlar órgãos de investigação e os cortes orçamentários de agências independentes seriam sinais de recuo no combate à corrupção no Brasil.

REPETIDA 139 VEZES

Em 2020: 09.abr, 11.abr, 16.abr, 18.abr, 29.abr, 30.abr, 02.mai, 07.mai, 14.mai, 19.mai, 20.mai, 21.mai, 22.mai, 26.mai, 28.mai, 02.jun, 03.jun, 04.jun, 08.jun, 09.jun, 11.jun, 15.jun, 18.jun, 19.jun, 25.jun, 07.jul, 09.jul, 16.jul, 18.jul, 06.ago, 13.ago, 24.ago, 25.ago, 03.set, 16.set, 22.set, 24.set, 09.out, 19.out, 09.nov, 10.dez, 19.dez, 24.dez, 31.dez. Em 2021: 07.jan, 14.jan, 15.jan, 21.jan, 04.fev, 02.mar, 03.mar, 04.mar, 10.mar, 21.jul, 22.jul, 28.jul, 29.jul, 02.ago, 04.ago, 05.set, 15.set, 27.set, 09.out, 14.out, 31.out, 23.nov, 25.nov, 26.nov, 02.dez, 07.dez, 08.dez, 11.dez, 19.dez. Em 2022: 12.jan, 14.jan, 31.jan, 02.fev, 08.fev, 09.fev, 11.fev, 25.fev, 17.mar, 21.mar, 12.abr, 28.abr, 13.mai, 16.mai, 19.mai, 29.jun, 05.jul, 20.jul, 24.jul, 30.jul, 08.ago, 03.set.

“Eu fui desautorizado pelo Supremo Tribunal Federal [durante a pandemia de Covid-19].”

O STF (Supremo Tribunal Federal) não retirou do Executivo o poder de conduzir ações para controlar a pandemia da Covid-19 no Brasil, como afirma Bolsonaro. A corte entendeu, na verdade, que a União não poderia invadir as competências de municípios, de estados e do Distrito Federal. O presidente não poderia, por exemplo, derrubar medidas de isolamento social colocadas em práticas por prefeitos, mas a União não foi impedida de conduzir outras medidas de combate à Covid-19. “O plenário decidiu, no início da pandemia, em 2020, que União, estados, Distrito Federal e municípios têm competência concorrente na área da saúde pública para realizar ações de mitigação dos impactos do novo coronavírus. Esse entendimento foi reafirmado pelos ministros do STF em diversas ocasiões. Ou seja, conforme as decisões, é responsabilidade de todos os entes da federação adotarem medidas em benefício da população brasileira no que se refere à pandemia”, afirmou a corte em janeiro de 2021. Em entrevista ao Aos Fatos, Cecilia Mello, especialista em direito administrativo e ex-desembargadora do TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), explicou que o STF não excluiu a responsabilidade ou a atuação da União no enfrentamento da Covid-19: “Não houve qualquer suspensão de vigência da lei quanto às competências do presidente e dos órgãos federais para o combate à crise, tampouco foram eles eximidos de seus deveres e atribuições.”

REPETIDA 115 VEZES

Em 2020: 10.set, 16.set, 22.set, 08.out, 11.out, 14.out, 19.out, 27.out, 11.nov, 16.nov, 17.nov, 27.nov, 15.dez, 24.dez. Em 2021: 14.jan, 15.jan, 27.jan, 28.jan, 03.fev, 04.fev, 05.fev, 08.fev, 11.fev, 12.fev, 19.fev, 20.fev, 22.fev, 23.fev, 26.fev, 03.mar, 04.mar, 10.mar, 18.mar, 22.mar, 23.mar, 25.mar, 31.mar, 01.abr, 05.abr, 07.abr, 15.abr, 23.abr, 26.abr, 20.mai, 23.mai, 01.jun, 02.jun, 10.jun, 12.jun, 18.jun, 25.jun, 26.jun, 28.jun, 19.jul, 20.jul, 21.jul, 29.jul, 30.jul, 31.jul, 06.ago, 12.ago, 17.ago, 23.ago, 25.ago, 26.ago, 28.ago, 30.ago, 02.set, 10.set, 21.set, 29.set, 30.set, 07.out, 14.out, 21.out, 26.out, 27.out, 07.nov, 11.nov, 25.nov, 02.dez, 07.dez, 09.dez, 17.dez, 27.dez. Em 2022: 02.fev, 28.fev, 07.mar, 12.mar, 08.abr, 11.abr, 12.abr, 16.abr, 28.abr, 05.mai, 12.mai, 13.mai, 17.mai, 01.jul, 24.jul, 02.ago, 05.ago, 03.set, 23.set.

“Eu sempre falei que você deve combater sim o vírus, mas também combater o desemprego em nosso país.”

De fato, Bolsonaro tem destacado desde o início da pandemia, em março de 2020, que haveria dois problemas para o Brasil, um de saúde pública e um econômico, e que os dois deveriam ser tratados simultaneamente. Em levantamento feito nas redes e nas falas do presidente, o Aos Fatos identificou o início de declarações do tipo no dia 15 de março de 2020, data de uma entrevista à CNN Brasil. O presidente, porém, nunca tratou as duas questões com o mesmo peso, já que, desde o início do surto de Covid-19 no Brasil, tem minimizado os efeitos da doença e criticado suas principais formas de prevenção. Em diversas entrevistas e declarações públicas, Bolsonaro relacionou a doença a uma “gripezinha” e chegou a dizer em discurso que o isolamento social seria “conversinha mole” e que as medidas de restrição de circulação seriam para “os fracos”. O presidente também ataca reiteradamente as vacinas, que afirma serem experimentais e não terem comprovação científica. Por todos esses motivos, sua declaração é falsa.

Explore as afirmações

Filtros

Por tema

Por origem

Ordenar por

05.jun.2022

“O que pega fogo no entorno da Amazônia muitas vezes é o próprio ribeirinho, o próprio indígena que faz a sua cultura usando o fogo.”

Como forma de justificar as queimadas na Amazônia, Bolsonaro atribui recorrentemente a origem dos focos de incêndio a indígenas e pequenos produtores rurais, que usariam o fogo como método de limpeza de pasto para a agropecuária. Ainda que essa técnica seja, de fato, tradicionalmente utilizada na região, é falso que a maior parte dos incêndios seja causada por pequenos produtores. Em nota publicada em agosto de 2020, a ONG Ipam segmentou os dados de incêndio no bioma para apontar os principais responsáveis pelos focos. De acordo com levantamento realizado a partir de dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e da Nasa (agência espacial americana), 50% dos focos de incêndio identificados no primeiro semestre de 2020 ocorreram em propriedades rurais médias e grandes (com mais de quatro módulos fiscais). Enquanto isso, pequenas propriedades, assentamentos rurais e terras indígenas foram responsáveis, respectivamente, por 10%, 11% e 12% dos focos. Dados analisados pela ONG entre 2016 e 2019 também mostram que o manejo agropecuário é a causa mais comum dos focos de incêndio na Amazônia, sendo responsável, em média, por 42% das queimadas registradas.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 7 VEZES. Em 2021: 01.nov, 19.nov, 09.dez. Em 2022: 24.mai, 05.jun, 13.ago, 26.set.

Tema: Meio ambiente. Origem: Entrevista

05.jun.2022

“Mas a Amazônia é mais da metade do Brasil. É uma Europa Ocidental.”

Com área total de 5.015.067,75 km², segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a Amazônia Legal corresponde a 58,9% do território brasileiro. A região, no entanto, não tem extensão similar à da Europa Ocidental, como afirma o presidente: ela é, na realidade, muito maior. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), a Europa Ocidental, composta por Bélgica (30,278 km²), França (551.695 km²), Irlanda (70.280 km²), Luxemburgo (2,586 km²), Mônaco (2 km²), Holanda (41.526 km2) e Reino Unido (244,820 km²), tem área total de cerca de 1 milhão de km².

FONTE ORIGEM

REPETIDA 17 VEZES. Em 2021: 21.set, 19.nov. Em 2022: 31.jan, 16.abr, 05.jun, 10.jun, 13.jun, 29.jun, 17.jul, 19.ago, 22.ago, 23.ago, 30.ago, 18.set, 20.set, 26.set, 29.set.

Tema: Meio ambiente. Origem: Entrevista

03.jun.2022

“O Brasil é exemplo para o mundo na preservação ambiental.”

É falso que o Brasil seja um dos países que mais preserva o ambiente. De acordo com dados do Banco Mundial, o país ocupa a 30ª posição no ranking de nações que mais protegem suas florestas. Análise publicada em 2022 pelo Global Forest Watch aponta que o país foi líder na perda de florestas primárias no mundo em 2021, com aumento de 25% na destruição desse tipo de vegetação em relação a 2019. Já no Environmental Performance Index de 2020, que avalia a sustentabilidade com base em uma série de fatores, o país apareceu na 55ª posição. O estudo é feito pelas universidades de Yale e Columbia em colaboração com o Fórum Econômico Mundial e usa 24 indicadores — entre eles a emissão de gases, a proteção da biodiversidade e a porcentagem de água potável — para fazer um ranking de 180 países.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 40 VEZES. Em 2019: 22.jan, 23.mar, 27.jun, 27.jul, 24.set, 11.dez. Em 2020: 05.jun, 17.jun, 25.jun, 03.set, 05.set, 17.set, 18.set, 24.set, 06.nov, 07.nov, 02.dez, 03.dez. Em 2021: 09.fev, 29.abr, 13.mai, 24.ago, 25.ago, 30.ago, 22.set, 23.set, 04.nov, 29.nov. Em 2022: 04.abr, 12.abr, 13.abr, 04.mai, 03.jun, 10.jun, 13.jun, 29.jun, 27.jul, 11.set.

Tema: Meio ambiente. Origem: Discurso

24.mai.2022

“E para mostrar que todo ano, lógico que tem as exceções, né? Pega fogo no mesmo lugar. É o próprio indígena, muitas vezes, o caboclo, que não tem como fazer agricultura sem tocar fogo.”

Como forma de justificar as queimadas na Amazônia, Bolsonaro atribui recorrentemente a origem dos focos de incêndio a indígenas e pequenos produtores rurais, que usariam o fogo como método de limpeza de pasto para a agropecuária. Ainda que essa técnica seja, de fato, tradicionalmente utilizada na região, é FALSO que a maior parte dos incêndios seja causada por pequenos produtores. Em nota publicada em agosto de 2020, a ONG Ipam segmentou os dados de incêndio no bioma para apontar os principais responsáveis. De acordo com levantamento realizado a partir de dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e da Nasa (agência espacial americana), 50% dos focos de incêndio identificados no primeiro semestre de 2020 ocorreram em propriedades rurais médias e grandes (com mais de quatro módulos fiscais). Enquanto isso, pequenas propriedades, assentamentos rurais e terras indígenas foram responsáveis, respectivamente, por 10%, 11% e 12% dos focos. Dados analisados pela ONG entre 2016 e 2019 também mostram que o manejo agropecuário é a causa mais comum dos focos de incêndio na Amazônia, sendo responsável, em média, por 42% das queimadas registradas.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 7 VEZES. Em 2021: 01.nov, 19.nov, 09.dez. Em 2022: 24.mai, 05.jun, 13.ago, 26.set.

Tema: Meio ambiente. Origem: Outros

24.mai.2022

“A floresta [amazônica] não pega fogo.”

O presidente repete o argumento FALSO de que a floresta amazônica não poderia ser incendiada por ser úmida. Por mais que seja, de fato, úmida, as plantas que compõem a floresta amazônica podem sim entrar em combustão, mas apenas por meio da ação humana. Dados da ONG Ipam e da Nasa, agência espacial americana, indicam que os focos de incêndio que atingiram a região em 2019 aconteceram em áreas previamente desmatadas. Esta seria, segundo a bióloga Erika Berenguer, a única forma de incendiar a floresta. No processo de desmatamento, a vegetação é derrubada, colocada ao sol para secar e, então, queimada para a limpeza da área.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 49 VEZES. Em 2020: 09.mar, 10.mar, 16.jul, 23.jul, 11.ago, 03.set, 22.set, 08.out, 11.out, 21.out, 22.out, 11.nov, 13.nov, 19.nov, 17.dez. Em 2021: 08.fev, 09.fev, 23.abr, 27.mai, 28.mai, 10.jun, 24.jun, 08.jul, 03.ago, 25.ago, 10.set, 09.out, 15.nov, 19.nov, 25.nov, 09.dez. Em 2022: 31.jan, 03.mar, 09.mar, 16.mai, 21.mai, 24.mai, 05.jun, 07.jun, 08.jun, 13.jun, 08.ago, 13.ago, 01.set.

Tema: Meio ambiente. Origem: Outros

24.mai.2022

“Você pode jogar um tanque de combustível lá [Amazônia] que não pega fogo. A floresta é úmida.”

O presidente repete o argumento FALSO de que a floresta amazônica não poderia ser incendiada por ser úmida. Por mais que seja, de fato, úmida, as plantas que compõem a floresta amazônica podem sim entrar em combustão, mas apenas por meio da ação humana. Dados da ONG Ipam e da Nasa, agência espacial americana, indicam que os focos de incêndio que atingiram a região em 2019 aconteceram em áreas previamente desmatadas. Esta seria, segundo a bióloga Erika Berenguer, a única forma de incendiar a floresta. No processo de desmatamento, a vegetação é derrubada, colocada ao sol para secar e, então, queimada para a limpeza da área.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 49 VEZES. Em 2020: 09.mar, 10.mar, 16.jul, 23.jul, 11.ago, 03.set, 22.set, 08.out, 11.out, 21.out, 22.out, 11.nov, 13.nov, 19.nov, 17.dez. Em 2021: 08.fev, 09.fev, 23.abr, 27.mai, 28.mai, 10.jun, 24.jun, 08.jul, 03.ago, 25.ago, 10.set, 09.out, 15.nov, 19.nov, 25.nov, 09.dez. Em 2022: 31.jan, 03.mar, 09.mar, 16.mai, 21.mai, 24.mai, 05.jun, 07.jun, 08.jun, 13.jun, 08.ago, 13.ago, 01.set.

Tema: Meio ambiente. Origem: Outros

21.mai.2022

“Eu tenho dito várias vezes, por exemplo, que a Amazônia não pega fogo, é uma floresta úmida.”

Em diversas ocasiões, o presidente já afirmou que, por ser úmida, a floresta amazônica não poderia ser incendiada. Nessa declaração, ele mais uma vez sugere esse tipo de correlação, que é FALSA. Por mais que seja, de fato, úmida, as plantas que compõem a floresta amazônica podem sim entrar em combustão, mas apenas por meio da ação humana. Dados da ONG Ipam e da Nasa, agência espacial americana, indicam que os focos de incêndio que atingiram a região em 2019 aconteceram em áreas previamente desmatadas. Esta seria, segundo a bióloga Erika Berenguer, a única forma de incendiar a floresta. No processo de desmatamento, a vegetação é derrubada, colocada ao sol para secar e, então, queimada para a limpeza da área.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 49 VEZES. Em 2020: 09.mar, 10.mar, 16.jul, 23.jul, 11.ago, 03.set, 22.set, 08.out, 11.out, 21.out, 22.out, 11.nov, 13.nov, 19.nov, 17.dez. Em 2021: 08.fev, 09.fev, 23.abr, 27.mai, 28.mai, 10.jun, 24.jun, 08.jul, 03.ago, 25.ago, 10.set, 09.out, 15.nov, 19.nov, 25.nov, 09.dez. Em 2022: 31.jan, 03.mar, 09.mar, 16.mai, 21.mai, 24.mai, 05.jun, 07.jun, 08.jun, 13.jun, 08.ago, 13.ago, 01.set.

Tema: Meio ambiente. Origem: Discurso

16.mai.2022

“Amazônia não pega fogo. É uma floresta úmida. Pode jogar um tambor de gasolina e tocar fogo. O fogo se apaga quando queimar todo o combustível. ”

Em diversas ocasiões, o presidente já afirmou que, por ser úmida, a floresta amazônica não poderia ser incendiada. Nessa declaração, ele mais uma vez sugere esse tipo de correlação, que é FALSA. Por mais que seja, de fato, úmida, as plantas que compõem a floresta amazônica podem sim entrar em combustão, mas apenas por meio da ação humana. Dados da ONG Ipam e da Nasa, agência espacial americana, indicam que os focos de incêndio que atingiram a região em 2019 aconteceram em áreas previamente desmatadas. Esta seria, segundo a bióloga Erika Berenguer, a única forma de incendiar a floresta. No processo de desmatamento, a vegetação é derrubada, colocada ao sol para secar e, então, queimada para a limpeza da área.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 49 VEZES. Em 2020: 09.mar, 10.mar, 16.jul, 23.jul, 11.ago, 03.set, 22.set, 08.out, 11.out, 21.out, 22.out, 11.nov, 13.nov, 19.nov, 17.dez. Em 2021: 08.fev, 09.fev, 23.abr, 27.mai, 28.mai, 10.jun, 24.jun, 08.jul, 03.ago, 25.ago, 10.set, 09.out, 15.nov, 19.nov, 25.nov, 09.dez. Em 2022: 31.jan, 03.mar, 09.mar, 16.mai, 21.mai, 24.mai, 05.jun, 07.jun, 08.jun, 13.jun, 08.ago, 13.ago, 01.set.

Tema: Meio ambiente. Origem: Discurso

16.mai.2022

“ A multagem [ambiental] caiu em média 80%.”

A redução no volume de multas no campo não foi tão expressiva como diz o presidente, por isso a declaração foi classificada como FALSA. De acordo com dados do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), foram aplicadas nos três anos do governo Bolsonaro 28.968 autuações ambientais, que totalizaram R$ 9,9 bilhões, em valores corrigidos pela inflação. Como nos três anos anteriores (2016 a 2018), o número total de multas foi de 47.878 (valor total de R$ 12,5 bilhões), a redução na atual gestão é de 36,7% no número de autuações e 20,8% nos valores.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 7 VEZES. Em 2022: 17.jan, 02.fev, 11.fev, 07.mar, 09.abr, 29.abr, 16.mai.

Tema: Meio ambiente. Origem: Discurso

09.mai.2022

“Você sabia que os países do G20, responsáveis por 80% do PIB mundial, também são responsáveis por 78% do monóxido de carbono emitido na atmosfera?”

O presidente possivelmente confunde o monóxido de carbono, gás tóxico produzido pela queima de combustíveis fósseis em situações de baixa concentração de oxigênio e altas temperaturas, e o dióxido de carbono, produzido também pela queima de combustíveis e um dos responsáveis pelas mudanças climáticas. Por isso, a declaração é imprecisa. De acordo com dado divulgado em 2021 pelo governo americano e reproduzido em relatório da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), os países do G20 são responsáveis por 80% das emissões de gases causadores do efeito estufa — dióxido de carbono, metano, óxido nitroso, entre outros — sendo que o dióxido de carbono corresponde a 80% desse total de emissões. Aos Fatos não encontrou dados globais de emissões de monóxido de carbono por país.

FONTE ORIGEM

Tema: Meio ambiente. Origem: Twitter

09.mai.2022

“Já o Brasil, por outro lado, é responsável pela emissão de apenas 2,9% [do monóxido de carbono].”

Para minimizar o impacto das atividades econômicas brasileiras nas mudanças climáticas, o presidente afirma que o país é responsável por apenas 2,9% das emissões globais de monóxido de carbono. Bolsonaro é impreciso na sua declaração, pois provavelmente confunde o gás, que é produzido pela queima de combustíveis fósseis em situações de baixa concentração de oxigênio e altas temperaturas, com o dióxido de carbono, produzido também pela queima de combustíveis e um dos responsáveis pelo efeito estufa. De acordo com o Our World in Data, o Brasil foi responsável por cerca de 1,34% das emissões de dióxido de carbono mundiais em 2020. Em termos cumulativos, a taxa diminui para 0,96% — dados que ficam abaixo dos 2,9% citados pelo presidente. Ainda assim, o país consta entre os 20 maiores emissores. Aos Fatos não encontrou dados globais de emissões de monóxido de carbono por país.

FONTE ORIGEM

Tema: Meio ambiente. Origem: Twitter

04.mai.2022

“Ninguém preserva mais que nós!”

É FALSO que o Brasil seja o país que mais preserva o ambiente. De acordo com dados do Banco Mundial, o país ocupa a 30ª posição no ranking de nações que mais protegem suas florestas. Análise publicada em 2021 pelo Global Forest Watch aponta que o país foi líder na perda de florestas primárias no mundo em 2020, com aumento de 25% na destruição desse tipo de vegetação em relação a 2019. Já no Enviromental Perfomance Index de 2020, que avalia a sustentabilidade com base em uma série de fatores, o país apareceu na 55ª posição. O estudo é feito pelas universidades de Yale e Columbia em colaboração com o Fórum Econômico Mundial e usa 24 indicadores — entre eles a emissão de gases, a proteção da biodiversidade e a porcentagem de água potável — para fazer um ranking de 180 países.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 40 VEZES. Em 2019: 22.jan, 23.mar, 27.jun, 27.jul, 24.set, 11.dez. Em 2020: 05.jun, 17.jun, 25.jun, 03.set, 05.set, 17.set, 18.set, 24.set, 06.nov, 07.nov, 02.dez, 03.dez. Em 2021: 09.fev, 29.abr, 13.mai, 24.ago, 25.ago, 30.ago, 22.set, 23.set, 04.nov, 29.nov. Em 2022: 04.abr, 12.abr, 13.abr, 04.mai, 03.jun, 10.jun, 13.jun, 29.jun, 27.jul, 11.set.

Tema: Meio ambiente. Origem: Twitter

03.mai.2022

“Não adianta fazer videozinho mentiroso que tá pegando fogo na Amazônia, que vai mudar o clima no mundo.”

Ao criticar o posicionamento do ator norte-americano Leonardo di Caprio sobre a Amazônia, Bolsonaro sugere que não haveria incêndios na floresta amazônica e que a devastação do bioma não seria capaz de alterar o clima. A declaração, no entanto, é FALSA. Ainda que a Amazônia seja, de fato, úmida, as plantas que a compõem podem entrar em combustão por meio da ação humana. Dados da ONG Ipam e da Nasa, agência espacial americana, indicam que os focos de incêndio que atingiram a região em 2019 aconteceram em áreas previamente desmatadas. Esta seria, segundo a bióloga Erika Berenguer, a única forma de incendiar a floresta. No processo de desmatamento, a vegetação é derrubada, colocada ao sol para secar e, então, queimada para a limpeza da área. Também é incorreto afirmar que a Amazônia não influencia o clima. Como explicou Aos Fatos em reportagem sobre o tema, o ecossistema equilibra o ciclo de chuvas, estabiliza temperaturas e absorve grande quantidade de carbono.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

Tema: Meio ambiente. Origem: Outros

29.abr.2022

“Eu acredito que a multagem no campo caiu em torno de 80%.”

A redução no volume de multas no campo não foi tão expressiva como diz o presidente, por isso a declaração foi classificada como FALSA. De acordo com dados do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), foram aplicadas nos três anos do governo Bolsonaro 28.968 autuações ambientais, que totalizaram R$ 9,9 bilhões, em valores corrigidos pela inflação. Como nos três anos anteriores (2016 a 2018), o número total de multas foi de 47.878 (valor total de R$ 12,5 bilhões), a redução na atual gestão de 36,7% no número de autuações e de 20,8% nos valores.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 7 VEZES. Em 2022: 17.jan, 02.fev, 11.fev, 07.mar, 09.abr, 29.abr, 16.mai.

Tema: Economia, Meio ambiente. Origem: Entrevista

16.abr.2022

“Meu amigo, a Amazônia tem uma área equivalente à Europa Ocidental.”

Bolsonaro é IMPRECISO em sua declaração, porque a área ocupada pela região amazônica é, na verdade, bastante superior à da Europa Ocidental. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), a região, composta por Bélgica (30,278 km²), França (551.695 km²), Irlanda (70.280 km²), Luxemburgo (2,586 km²), Mônaco (2 km²), Holanda (41.526 km2) e Reino Unido (244,820 km²), tem área total de cerca de 1 milhão de km². A Amazônia Legal, por sua vez, ocupa uma extensão de 5,01 milhões de km², de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

FONTE ORIGEM

REPETIDA 17 VEZES. Em 2021: 21.set, 19.nov. Em 2022: 31.jan, 16.abr, 05.jun, 10.jun, 13.jun, 29.jun, 17.jul, 19.ago, 22.ago, 23.ago, 30.ago, 18.set, 20.set, 26.set, 29.set.

Tema: Meio ambiente. Origem: Entrevista

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.